Untitled

O BATMAN NOS PROTESTOS
Imagem Google

“A noite é mais sombria um pouco antes do amanhecer.”
Batman – O Cavaleiro das Trevas
Batman descia a rua para se juntar as centenas de manifestantes.
Todos de olhos grudados naquela figura. Não é todo dia que se pode ver Batman no meio da multidão e protestando.
O protesto sempre começava em frente a algum edifício público. Todos eram convidados pelas mídias onde os jovens pululam.
Ele era mais um daqueles que lutam contra a corrupção desenfreada no país.
Cobria o rosto, mas não era como os destruidores do alheio, os Black Blocs.
O Homem morcego não perdia uma manifestação, estava sempre lá com a sua roupa preta.
Alguns policiais acharam interessante por que ele era diferente do Batman do cinema, não ajudava a prender os famigerados mascarados.
Estava ali andando pelas ruas como os demais manifestantes, enquanto os Black Blocs eram pagos para quebrar lojas e bancos.
Em Gothan City, digo, Rio City, entre bandidos, traficantes,  mascarados malvados, também existia os que lutavam pelo bem: jovens entre 15 a 17 anos que já não suportava mais a pressão do Governo Federal, que os queria mansos como cordeiros.
As Cotas, as bolsas, os FIES, e outros financiamentos não atendiam mais os seus desejos.
Eles queriam mais, ou seja, queriam todos os seus direitos.
E Batman ali, para dar todo apoio aos jovens manifestantes.
Mas polícia é para conter os manifestantes, a qualquer custo e num cerco também recolheu o pacífico Homem Morcego. Ele não oferecia perigo para a sociedade, pelo contrário, passava uma mensagem de honestidade, que quase não se vê hoje em dia.
Uma confusão lá pelos lados dos bancos e aqueles manifestantes recusaram-se a descobrir os rostos, eles ainda distribuíram máscaras aos demais participantes do protesto.
Os Black Blocs,  ficavam lá no final da rua e descendo o pau nas vidraças e quebrando cercas e muros.
Uma esperta Mulher Gato, digo, ladra, aproveitou aquela multidão para pegar celulares e carteiras. Até alguns carros desapareceram misteriosamente de onde estavam estacionados.
Aquela bomba de gás lacrimogêneo era para cair no meio dos mascarados, mas foi devolvida para o meio dos policiais por uma habilidosa tacada.
Balas de borracha estavam zunindo no espaço. Gente caindo, justamente os que não tinham nada a ver com a destruição.
Confusão geral, polícia fez um cerco aos mascarados.
O Batalhão chegou e foi recolhendo todo mundo que estava de máscaras; no Rio isso era proibido antes do carnaval.
O primeiro que foi preso foi o coitado do Batman que era o mascarado mais próximo do pelotão.
Os demais foram entrando e se acomodando nas viaturas, com aqueles panos preto cobrindo os rostos.
Na Delegacia de Polícia Batman identificou-se como Eron Melo. Ele é habitual frequentador das manifestações, sempre com as vestes do Homem Morcego.
Disse que se fantasiava em protesto contra a corrupção no país.
AGÊNCIA ESTADO

One thought to “Untitled”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *