PAU DE ARARA

PAU DE ARARA
Caminhão de Pau de Arara no nordeste é como ônibus, carrega muita gente, acidentes estão sempre acontecendo todos os dias entre os romeiros, que vão para Juazeiro, Ceará.

Muita gente morre e dezenas de feridos. E não tem médicos, enfermeiros e serviço hospitalares para atendê-los.

Já quando um caminhão de porcos acidenta-se, aparece Veterinários de todo lado e as clínicas recebem os animais e os tratam com carinho.

Nada contra, mas e o ser humano? Não vale nada?

Não, não vale. Todo dia tem “Dimenor” assaltando e matando até por causa de R$10,00.

Eles sabem que vão entrar na Delegacia e sair no mesmo dia, sorrindo, então pintam e bordam e ninguém não pode nem reagir que leva bala.

E no trânsito? Eles param os carros, tiram os ocupantes jogam no meio da rua e saem com os veículos.

Mas voltemos aos porcos: o caminhão transportava 110 animais para um frigorífico, o motorista fez uma manobra, tombou, o trânsito foi interditado. Estava apenas a dois quilômetros do destino final, aconteceu o acidente.

Mas como aqui no Brasil tudo é feito na base de gambiarra, na primeira tentativa não deu certo.

Na segunda piorou, até que apareceu um mais inteligente e pediu que os porcos fossem colocados em outra carreta, o que foi providenciado.

Muitos porcos morreram, outros muito feridos. Apareceu por ali alguém ligado a ONG de maltrato a animais filmou tudo e jogou na internet.

O Caso ganhou proporções inesperadas, apareceu  gente de todo lado para adotar os animais feridos. Os mortos foram levados para inutilização, por que não podem usar aquela carne para o consumo humano.

O restante foi para o frigorífico para abate.

Após a divulgação na internet o povo ficou chocado, parecendo ser uma grande tragédia.

Tragédia são as recusas de governantes em aceitar imigrantes de vários países em guerra, que estão invadindo a Europa.

Eles são tratados como animais (animais seriam melhor cuidados).

Spray de pimenta, chato d’água, bomba de efeito moral, fumaças de todas as espécies, balas de borracha e tudo para impedir a passagem de pessoas por seus países.

Vendo o sofrimento daquele, um milionário até ofereceu, dinheiro suficiente para comprar uma ilha e construir casas para todos.

Quando abro os jornais de hoje, leio:
Ônibus tomba e 15 pessoas morrem em acidente na cidade de Paraty, no Rio”.
Será que apareceu alguém de ONG pró-humana para filmar o acidente?

Você que levou porcos para cuidar, aproveite e leve também um refugiado e um acidentado para sua casa.

Manoel Amaral

O REX

O REX

O cão é o melhor amigo da mulher” (Dito popular)

Abri os jornais e não fiquei nada satisfeito com as notícias: inflação, propinas, corrupção, assassinatos, já fazem parte do nosso prato diário.

Só uma coisa me chamou a atenção hoje de manhã; D. Cotinha pegou um táxi perto de minha casa.

Só vi esta senhora andar de ônibus, pois agora aposentada, não paga mais nada.

Mas ela estava toda arrumadinha, parecia uma mulher de uns 30 anos, apesar de ter bem mais.

Saia branca de bolinhas azuis, tipo anos setenta e uma blusinha clara que mostrava mais do que escondia.

— Onde a Senhora vai descer?

— Lá no centro, na rua de baixo. Vou fazer exames de sangue e fezes.

O endereço, incompleto, seria o suficiente para aquele taxista experiente.
Seguiu por entre carros, motos, caminhões velhos e ruas estreitas.

Corrida: R$15,10, mas o jovem arredondou o preço, tirou R$0,10.

Ela agradeceu e ficou ali como uma estátua esperando o sinal verde para atravessar a rua.

D. Cotinha era muito respeitadora, não atravessava com sinal vermelho.
Chegou ao laboratório que tinha até um nome sugestivo: “Sangue é Vida.”

Pegou a senha, um número muito alto, mas a atendente explicou que muita gente já tinha saído.

Ela ficou ali pensando do porque o seu médico havia solicitado aqueles exames, não chegou a nenhuma conclusão.

Olhou de lado, uma moça deixou a sua bolsa cair e um monte de coisas esparramou pela sala: batom, cortador de unhas, lixas, lenços, copo e até um aparelho muito esquisito: um cabo para ligar na energia, parecia um tubo de shampoo muito comprido.

— D. Cotinha… – chamou a mocinha de avental branco.
— Sim, estou indo.

Levantou-se, deixou a embalagem com urina para trás, voltou e pegou.
Lá no quartinho, a jovem tentou tirar o seu sangue, mas as suas veias não estavam colaborando.

— Fecha a mão, fique firme, não vai doer nada.

Depois de três picadas, acertou e a velhinha foi liberada.

Resultado do exame seria para daí a três dias.

Como demorou a passar, foi ao supermercado, ao salão, ao cabelereiro, ao Banco e ainda faltava um dia.

Aproveitou e foi visitar a D. Mariazinha lá da rua de cima, bateram um papo, puseram as fofocas em dia e ainda deu tempo de passar no açougueiro, aquele moço bonitão que a atendia tão bem.

No dia seguinte, as 17 horas, lá estava ela no balcão do laboratório.

Pegou os exames e perguntou:

— Qual foi o resultado?

— Boas notícias, a Senhora está grávida…

Ela saiu dali meio cabisbaixa e pensando como aquilo poderia ter acontecido:
“Seria o bombeiro hidráulico? Não, não poderia ser, ele demorou muito pouco. E o eletricista? Aquele já estava velho e só roncava…”

“Então só sobrou o Rex, que não me larga a noite inteira.”

Manoel Amaral

PRESENTES DE FIM DE ANO

NATAL, ANOVO E PRESENTES

Muita gente guarda os presentes ruins que recebe nas festas de fim de ano e dá para outras pessoas no ano seguinte.

Os presentes mais odiados são as cuecas e as meias.

Nesta época o povão vai para os Shoppings populares e compram presentes baratos, irritantes, sem utilidades e muitas roupas, coisas que as crianças detestam receber no Natal.

Tem também os que realmente não sabem comprar nada, nem pra si mesmo.
O que alegrou o meu coração foi que vi muitos livros sendo dados como presente, nestes dias.

Os presentes para sacanagem figuram em muitas listas, coisa mais bestas, sem sentido. Faz parte de quem não sabem presentear.

Os mais odiados são: desodorante, sabonete, pano de prato, toalhas, CD, lata de bolachas, chaveiro, agenda e cadernos, canecas de plástico. Tem muitos que detestam panetone.

Os presentes de liquidação que não tem como trocar por tamanho maior ou menor e cores diferentes.

Roupas baratas também são péssima ideia. Pijama, camiseta, principalmente se for daquelas malhas dos camelôs.

E finalmente tem as pessoas com péssima ideia de presentear os amigos com pequenos animais silvestres, proibidos em lei.
Manoel Amaral

www.afadinha.com.br