NÃO RECEBEU OVO DE PÁSCOA, RECEBEU BALA


Páscoa em hebraico quer dizer passagem, travessia para um mundo novo. (Hélio Consolaro)

Impressionante como a vida não está valendo nada. Agora mesmo recebo notícia que aqui pertinho de casa mais um tombou no asfalto inocentemente.

Os bandidos estão atirando a esmo. Matam seus concorrentes, inimigos, amigos, usuários ou não de drogas.

A coisa está ficando preta. A moda pegou, usam um carro ou uma moto e saem atirando em quem passa primeiro. Carros caros tipo Corola ou motos bonitas, coloridas, novinhas, roubadas.

Um dia desses deram 35 tiros num veículos, onde já se viu uma coisa dessas?
No interior passavam anos sem haver assassinato, hoje virou rotina.
O povo do campo também não tem mais paz. Quem se mudou de cidade grande para o interior fugindo da violência, não adiantou.

Por todo lado eles, geralmente menores, mais muito grandes nos crimes saem atirando e deixando um corpo estirado no asfalto.

É a impunidade, precisamos rever nossa legislação, principalmente da sobre menores. Esta história de ficar passando as mãos em suas cabeças dá é nisso: crime e mais crime.

Acho errado divulgarem em massa que não podemos reagir, nos defender. Temos que ser passivos, deixando-os fazerem o que quiserem, aí não dá.
As nossas armas o governo pegou, o que vocês queriam? Os bandidos estão com a faca e o queijo nas mãos.

Além da droga que virou uma matança, carnificina, um massacre, os mais espertos estão aproveitando para assaltar bancos, postos de combustíveis, joalherias e tudo que movimente grandes quantias.
Os arrastões em prédios de condomínio de  luxo acontecem todos os dias. O rico também não tem para onde ir, todos são tratados da mesma maneira.
Chegam batem em todo mundo, amarram, amordaçam e se reagir leva bala. Mesmo assim sou a favor da reação. Também temos que nos armar e mandar bala. Só assim acho que alguma coisa pode mudar.

Páscoa em hebraico quer dizer passagem, travessia para um mundo novo e ele foi mesmo para o outro lado.

Manoel Amaral

CORPO FECHADO II

CORPO FECHADO II



“Ave Maria, gratia plena, Dominus tecum:
benedicta tu in mulieribus et benedictus fructus ventris tui Iesu.
Sancta Maria, Mater Dei, ora pro nobis
peccatoribus, nunc et in hora mortis nostrae.”

Na sua mão direita, queimada pela pólvora, uma bala disparada pela segurança do Governador.

Quase ninguém entendeu o porquê daquela bala estar alojada ali na mão do matador profissional.

Todos os dias quando levantava para o trabalho, rezava a oração de São Jorge:

Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos tendo pés, não me alcancem; tendo mãos, não me peguem; tendo olhos não me vejam e nem em pensamentos eles possam me fazer mal. Armas de fogo o meu corpo não me alcançarão, facas e lanças se quebrarão sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar. “
“Jesus Cristo me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina graça, Virgem de Nazaré me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições, e Deus com sua Divina Misericórdia e grande poder seja meu defensor contra as maldades e perseguições dos meus inimigos. Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, e que debaixo das patas de seu fiel cavalo meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós. “
“Assim seja com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo.”

Além da oração, o profissional levava um patuá junto ao corpo. Uma espécie de “breve”, dobrada e costurada, amarrada a um fino fio de couro.
Estes encantos eram preparados por feiticeiros, que além da oração, poderiam conter muitas outras coisas.

Um raminho de alecrim, outro de arruda, algumas pedrinhas de sal grosso, figas de guiné, estrelas de Salomão, Cruz de Caravaca (oração) e uma imagem ou medalha do santo da devoção do usuário.

Seria como se fosse os atuais escapulários, muito difundidos no meio católico.
A oração da Cruz de Caravaca é a seguinte: “Em nome do Pai, do Filho, do Espírito Santo. O espírito de Jesus Cristo é vencedor. Cristo reina, Cristo governa. Pelo Santo Lenho em que foi pregado, Cristo pode nos salvar. Se, por qualquer arte mágica, Satanás pretende escravizar-me, nosso Senhor Jesus Cristo, por sua misericórdia infinita, não consentirá e me restituirá a liberdade e a posse da sua divina graça. Senhor meu Jesus Cristo, filho de Deus, eterno e omnipotente, que vos encarnastes no ventre da Santíssima Virgem Maria, para salvação dos pecadores e redenção da humanidade, rogo-vos, Senhor, livrai-me dos maus espíritos. Satanás e todos os espíritos do mal, que pretendeis aprisionar-me e torturar-me, afastai-vos de mim, pelo poder da Cruz do meu Salvador. Amém.”

E o nosso herói, (eu disse herói?), não, ele era um matador profissional e não fazia serviços pequenos. Só trabalhava com ricos fazendeiros, empresários, Deputados, Senadores e outras pessoas importantes.

Após o seu trabalho, entrava numa igreja mais próxima e pedia a Deus, perdão por seus pecados, rezava alguns Pais Nossos e outras tantas Ave Marias e saía dali com a alma mais limpa.

Os seus trabalhos eram garantidos, por isso  era muito disputado pelos “grandes”.

Ele estava ali naquela pequenina cidade, numa sexta-feira, não para matar, mas para redimir de seus pecados.

A bala que não conseguiu penetrar no seu corpo foi apanhada no ar como uma demonstração de poder.

Morreu de outros males; de tiros, facadas, lançadas, flechadas e outros tantos meios de matar ele estava protegido.

Gemiro morreu de ataque cardíaco, um mal que a oração não protegia.

Manoel Amaral