OSVANDIR E O LCROSS NA LUA

Imagem Google

“Mesmo partida a lua jamais deixará de brilhar”
(Simair, primo de Osvandir)

Outubro de 2009

Foi quando o Lunar Crater Observation and Sensing Satellite (LCROSS), atingiu a lua pela primeira vez, levantando uma poeira de vários quilômetros, em 09 de outubro de 2009, perto da cratera de Cabeus, onde tudo começou.. Com objetivo de estudar a possibilidade de encontrar água na lua os cientistas começaram a enviar cada vez mais satélites de observação para aquele astro.

Os cientistas estavam bastante contentes com a quantidade de dados que recebiam.

Muito sensível, ele fotografava, analisava o solo, enviava um mapa do calor e outros dados de suma importância para as futuras viagem dos astronautas da NASA.

Em alguns meses, todos os dados analisados, para perceberem se havia moléculas de água, constando uma camada de gelo na superfície.

Muitos esperavam imagens fantásticas, mas foram surpreendidos por fotos de simples poeira lunar, levantada pelo impacto daquele aparelho.

Os cientistas, preocupados com a infinidades de dados recebidos, nem se atinavam por possíveis falhas nos sistemas de informações.

Naquele mês o Presidente da maior nação do mundo recebera o Prêmio Nobel da Paz, muitos não entenderam a finalidade daquele título. Até o nome do Presidente Lula fora cogitado, mas a turma de puxa-sacos maior, pendia para o Norte Americano. “Aquele era o Homem!”

Setembro de 2010

Todos estavam preocupados com guerras, fome, falta de alimentos, transtornos na natureza. Furacões, maremotos, chuvas, desmonoramentos, pessoas sem teto; anunciando péssimas notícias para os próximos anos. No Brasil aquela marolinha, com eleições para Presidente.

As experiências na Lua continuaram. Mais uma vez ninguém verificou os efeitos danosos provocados no satélite.

Os foguetões continuaram subindo e impactando o solo lunar. A poeira continuava a subir num espetáculo, cada vez mais observado por astrônomos e cientistas da NASA.

Agosto de 2011

Neste ano muito sucesso foi obtido com o lançamento de dois foguetes contra uma cratera na superfície da Lua.

“O objetivo da missão continuava o mesmo, testar os detritos criados pelo impacto para verificar a presença de água no solo lunar.”

“A comprovação da presença de água congelada no satélite facilitaria a instalação de uma futura base para a exploração na Lua, diziam os cientistas.”

Alguns astrônomos que observavam o impacto a partir de telescópios ainda continuavam decepcionados com as imagens captadas.

“Os cientistas esperavam que cada lançamento criava cerca de 350 toneladas de detritos, jogados a uma altura de até dez quilômetros.”

As missões do Satélite de Sensoriamento e Observação de Crateras Lunares (LCROSS, na sigla em inglês) com um custo estimado de US$ 79 milhões (cerca de R$ 138 milhões) cada, continuaram a seguir para a lua.

E o objetivo era sempre o mesmo: “ajudar a abrir o caminho para o retorno de astronautas americanos à Lua até 2020.”

Novembro de 2012
Tudo estava indo muito bem, até que numa observação de rotina, nos foguetes, encontram uma bomba no meio daquelas fiações quilométricas.

Era uma sabotagem de alguns paises do “eixo do mal”, que desde os primeiros lançamentos já estavam enviando essas bombas de alto efeito no solo.

Em pouco mais de dois anos, várias bombas de alto poder destrutivo estavam sendo enviadas para nosso satélite e ninguém sabia de nada.

Até que um dia a lua começou a sentir os efeitos destas explosões e vários pedaços de granito foram atirados ao espaço e ela dividiu em duas partes. A menor subdividiu-se em vários pedacinhos, girando, como aqueles asteróides que estão entre Marte e Júpiter.

Os poetas ficaram tristes, olhar para o espaço e ver a lua partida, partia os corações. Não havia mais lua cheia, apenas meia lua.

Agora que tudo estava mudado, a NASA e seus cientistas começaram a lancar foguetes com possantes câmeras para estudar… o cinturão de asteróides de Marte…:

Nasa lança sonda para estudar asteróides

“Cabo Canaveral – Uma sonda pioneira, que pode servir de modelo para futuras missões interplanetárias, subiu ao céu na quinta-feira a bordo de um foguete não-tripulado Delta 2, com o objetivo de explorar dois asteróides entre Marte e Júpiter.”

MANOEL AMARAL
osvandir.blogspot.com.br

OSVANDIR FOI PRA PASÁRGADA

“Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá a existência é uma aventura”
Manuel Bandeira

Enquanto nossos amigos Argonautas seguiam para a exposição de foguetes em Cabo Canaveral, na Flórida, local que Dr. Mendes conhecia muito bem de outra viagem sua, lá no acampamento de Bost Osvandir, ferido, febril, passou a delirar.
“__ Quero ir para pasárgada, lá posso passear com Angelina Jolie, com aqueles lábios grossos e tentadores.
Lá o Planalto não tem plano “B”, tem “plano alto”.
Naquele local a Ordem dos Advogados Extraterrestres não fica fiscalizando terceiros, metendo o nariz onde não deve, nem existe Prédio da Justiça em construção, que gasta bilhões de Zolares.
O Zolar, moeda local, está sempre estabilizada, não baixa e nem sobe, não prejudica ninguém.
Cartões corporativos nem pensar, os que existem somente para meia dúzia de autoridades maiores, que sabem como gastar.
Assalto a banco é coisa do passado. O último foi aquele do Banco Central, mas já está tudo resolvido. Os bandidos estão todos na Cadeia Global Intergaláctica (CGI).
Em Pasárgada os políticos são todos honestos, não existe fome e nem pobreza. Na verdade alguns políticos adotam apelidos bem engraçados: Progresso, Felicidade, Pai de Todos, Mão Branca, Polvo e outros mais…
Os Partidos políticos são poucos, mas trabalham pelo e para o povo. Tem nomes comuns: PL – Partido da Lua, PS – Partido do Sol, PSR – Partido Sem Religião, PP – Partido do Povo.
Na Capital Federal tem um hotel com o nome de “Legislatura” onde alguns políticos menores passam a maior parte do dia.
Naquela terra os Bancos têm juros baratinhos, quase zero por cento. São controlados, não podem assaltar o povo, com taxas e juros extorsivos. Não são como empresas que têm lucros. Têm programas sociais, realmente sociais, ajudam o povo.
Os aposentados nunca estão endividados. Podem passear, fazer turismo. São bem tratados, nunca assassinados.
As crianças têm prioridade em tudo, crescem lindas e saudáveis. Nunca são atiradas pelas janelas.
O Programa de Saúde funciona muito bem, a Febre Verde, já está controlada. Ela foi disseminada pelo vírus de um macaco ET, raça em extinção do Planeta Amarelo.
O único inconveniente é que naquela boa terra existem alguns mosquitinhos denominados Petedengues que são uma verdadeira praga. Infestam todos os locais de trabalho e os altos escalões. Mas já, já, estarão extintos pela fome e pelos próprios erros de cálculo.
Os seqüestros Raio são problemas menores, que foram controlados pela CIA – Comando Intergaláctico Aeroespacial.
Todos os brancos também têm cotas nas Universidades. Não existem raças superiores.
O gás da cidade-estado vem de outras duas comunidades chamadas Rolívia e Arruela.
Lá tem uma revista de ufologia denominada ARRUFOS e vários jornais eletrônicos – os impressos em papel estão em extinção: Virgília, Rodovia, Galáctíca e por aí…
A Galáxianet – com bunda larga, não deixa ninguém em desvantagem, todos podem navegar sem Explorer. Os programas Zoogle, Piorhoo, garantem busca em todo o universo.
Em pasárgada tem uma famosa indústria de refrigerante Rota-Cola que está sempre em briga com a concorrente Pesca-Cola. Coisa de mercado, no fundo são todas iguais. Satisfazem o desejo dos cidadãos.
Corrupção nem pensar… O último caso em que um funcionário público roubou um centavo do Zolar, foi severamente punido!”
Osvandir estava acordando, voltando a si, caindo na realidade. Olhou para um lado e para outro, ainda estava em Bost!
Em Cabo Canaveral, Dr. Mendes convida seus amigos a segui-lo pelos emaranhados caminhos dos foguetes, cápsulas e naves.
__ Esta aqui é a Gemini–5, levava dois astronautas, em 1965, ela ficou quase oito dias no espaço, falou Dr. Mendes.
Assim que terminou algumas palavras sobre o foguete Titan, foi chamado por policiais que guardavam o local.
__ Were is your passaport?
Exigiram os passaportes, ninguém tinha tal documento.
__ We have passaport!
Todos foram presos e conduzidos ao interrogatório.
(Continua…) Manoel
= = = = = = = = = = = = = = = = = = =
FONTE: Texto extraído do livro “Bandeira a Vida Inteira”, Editora Alumbramento – Rio de Janeiro, 1986, pág. 90

O CURIOSO RETORNO

Imagem Google



Enquanto Osvandir se safava do urso polar, ouviu três tiros vindos do Portal do Tempo. Era Sawyer que ainda não tinha desaparecido pelo plasma para a viagem. Um dos tiros pegou de raspão na cabeça de nosso herói, que sangrava muito. Os outros dois atingiram certeiramente aquela fera louca e deslocada de seu habitat, fato que acontecia sempre naquela ilha perdida do Pacífico.

Não sabemos se pelos tiros, ou qualquer outro problema, o Portal não aceitou o intrépido Sawyer e o cuspiu violentamente contra algumas rochas do paredão.

Assim que abriu os olhos tratou de acudir seu companheiro que jazia estirado no chão, desmaiado. Amarrou um trapo na sua cabeça, onde o tiro havia deixado um pequeno corte, logo acima da orelha.

Do outro lado daquele Portal, em pleno espaço, sem saber onde estavam e em que viajavam, seguiam Dr. Mendonça, Alvimar, Manoel, Ildebrando; Joaquim, o  fotógrafo, estes Argonautas que não tiveram medo de enfrentar o espaço/tempo, a realidade e a fição. De repente sentiram um baque surdo, acabavam de penetrar numa máquina voadora.

Alguma coisa não ia bem naquela nave, um dos pilotos parecia falar russo. Numa linguagem irreconhecível pedia Vodca…

Depois de girar no espaço, enfrentar mundos e fundos, os nossos viajantes do tempo aterrizaram próximo de um canavial. Eles, os pilotos, estavam muito surpresos, como aqueles cinco foram parar em sua nave espacial. Seria sabotagem ou alguma nova experiência da CIA?

Ao saírem da cápsula Soyuz notaram qualquer coisa estranha, pois foram recebidos por pessoal não técnico, numa região rural, “Eles estavam muito surpresos e não podiam acreditar em seus próprios olhos. Um deles perguntou se a cápsula era um barco. Outro disse que nós poderíamos ter pulado de um avião”. O piloto russo então contou a eles que eram astronautas, “Eles acenaram com a cabeça, mas então perguntaram de novo de onde tínhamos vindo. Eles não podiam acreditar que tivéssemos estado no espaço. Eles só acreditaram em nós quando viram nossas roupas espaciais”, disse.

Dr. Mendonça e seus amigos cuidaram de escapar o quanto antes, dos fotógrafos, repórteres e dos Americanos que já estavam chegando naqueles helicópteros gigantes e pretos, parecidos com gafanhotos.

Desceram pelo canavial e avistaram alguns foguetes, Manoel achou que estavam chegando a casa de Dr. Mendonça, em São Paulo, puro engano!

__ As cápsulas russas nunca foram projetadas para descer no mar. Desde os tempos de Gagarin, este é o modus operandi dessas naves: descem de pára-quedas e nos últimos segundos, são disparados alguns foguetes que ajudam a aliviar o “impacto”. Elas devem (ou deveriam) ter sim um sítio apropriado para essas aterrissagens, em geral, áreas sem risco para outros. Comentava Dr. Mendonça com Ildefonso.

__ Acho que nossa entrada na nave deve ter alterado a sua rota, completou Alvimar Cruz.
__ Pode ser aqueles tiros do Sawyer no Portal do Tempo que tenha desviado a gente da rota, falou Manoel.

Seguindo a caminhada os cinco Argonautas brasileiros avistaram lá embaixo o Cabo Canaveral.
Todos ficaram muito surpresos, não estavam na Rússia, em São Paulo ou qualquer outro lugar conhecido. Dr. Mendonça tranqüilizou-os e disse que já conhecia a região quando de uma visita que fizera ao local. Foi ele mesmo quem explicou para todos o seguinte:

__ Cabo Canaveral (Cabo Canavial), é uma faixa de terra dos Estados Unidos de uma região denominada Brevard, situada na parte costeira oriental, no estado da Flórida. A maioria das naves espaciais dos Estados Unidos rumo ao espaço, são de lá lançadas.

__ Cabo Canaveral foi escolhido como local para o lançamento de foguetes a fim de se situar mais próximo possível do equador e desta forma conseguir lançar um foguete com a menor energia possível, aproveitando-se o movimento de rotação da Terra. Desta forma os foguetes sempre são lançados para o leste sobre o oceano, distante de centros populacionais, completou o Joaquim, o fotógrafo.
__ Vários lançamentos-testes foram realizados entre 1949 até 1957. Lançamentos de destaque incluem o lançamento do primeiro satélite artificial americano em 1958, o primeiro voo espacial com um tripulante a bordo em 1961, e o primeiro voo espacial levando astronautas à lua, na famosa missão Apollo XI, em 1969, concluiu Ildebrando.

Retornando a Ilha de Bost, lá estavam Osvandir e Sawyer seguindo para o acampamento quando notaram no céu mais de mil balões coloridos puxando alguma coisa com se fosse um barco de borracha.

(CONTINUA…)

Manoel Amaral
Obervação: FANFIC DE LOST. “Fanfic são histórias criadas por fãs baseado em animes, bandas, celebridades, séries, mangás, músicos, livros, filmes,”