A MANDIOCA

A MANDIOCA




 “Hoje estou saudando a mandioca. Acho uma das melhores conquistas do Brasil” Dilma Rousseff
Naquele terreno recém-preparado, o pessoal estava plantando mandioca.

Cada pé foi cortado em partes de uns 20 cm cada. A preferida é a Cacau. E para outros produtos também servia como as demais.

Cacau tem a casca roxa, cozinha facilmente e pode ser utilizada dentro de pouco tempo depois de plantada.

Ótima para fazer o prato “Vaca Atolada”, principalmente agora que a “Vaca foi pro brejo”. A carne bovina desfiada é melhor na confecção desta apreciada iguaria.

Na nossa região os fazendeiros usam esta qualidade de mandioca para fazer uma ótima farinha-de-pau.

E o mingau, que é muito delicioso, também apreciado pelos índios.

Croquete, Bolinho como molho de jabuticaba, Gratinado com carne moída, Quindim, Bolo caipira e coco, Creme com manga, Bolo com calda de maracujá, Escondidinho de costela, Nhoque recheado, Caribéu (com carne-seca), Tapioca de tomate seco, Creme com cogumelos e ovas de peixe. Tudo feito com a mandioca.

Nos bares da cidade podemos comer a mandioca frita, tomando uma boa cerveja.

Não podemos esquecer que o pão-de-queijo mineiro é feito com polvilho doce e está à venda até em NY.

Existem mais de 300 tipos de bolos de aipim, escolha o seu numa boa receita.
Nunca use a mandioca-brava se não souber bem a receita, ela é muito venenosa.

Ia esquecendo-me da Farinha Multimistura, que é composta da folha da mandioca bem torradinha. Ela possui uma das maiores fontes de vitamina A, aminoácidos e sais minerais encontrados em folhas.

A fraude da mandioca: O golpe aconteceu na cidade de Floresta, Pernambuco, entre 1979 e 1981, durante a ditadura militar e envolveu Banco do Brasil e Proagro.

Existem estudos para aproveitamento dos resíduos derivados da produção de etanol da mandioca para geração de eletricidade.

Aqui se produziu etanol a partir da mandioca, na década de trinta, na Usina de Gravatá, a primeira do Estado. No local, hoje funciona o Teatro Gravatá.

Vários são os nomes da dita cuja: Aimpim, Cacau, Candinga, Castelinha, chitinha, Macamba, Macaxeira, Mandioca-brava, Mandioca-doce, Mandioca-mansa, Manduba, Manioca, Maniva, Maniveira, Moogo, Mucamba, Pão-da-América, Pão-de-Pobre, Pau-de-Farinha, Tapioca, Uaipi e Xagala.

Na sua região podem existir ainda muitos outros nomes para ela.

Por esta razão eu também louvo a mandioca, e digo mais: “nesta terra, em se plantando, tudo dá”, como já dizia Pero Vaz de Caminha, na descoberta do Brasil.

Manoel Amaral

CARGA SAQUEADA

CARGA SAQUEADA

Imagem Google

O ano de 2014 mal começou e o registro de acidentes com caminhões, nestas estradas esburacadas, sempre aumenta. Dia 1º, em Poções/Ba  um caminhão da Coca-Cola tombou e populares aproveitaram para saquear a carga.
Ainda neste mesmo dia,  um caminhão de batatas foi acidentado em Campina Grande e a carga foi levada principalmente por crianças do bairro do Catolé.
No dia 02, foi a vez de uma carreta carregada com cerveja em lata, que saiu de Corumbá com destino ao estado de São Paulo. A carga, acabou se espalhando na pista e foi saqueada por populares.  
caminhão que tombou em  Itabela nesta quinta, dia  2 de janeiro, levava quase 30 toneladas de bebida alcoólica, carga diversas, garrafas de bebidas, entre uísque, vodca, energético e cachaça. Algumas pessoas foram presas, quando estavam saqueando a carga.

No interior de Alagoas, no Sábado (04) município de Pilar, um caminhão carregado de louças e copos, tombou e acabou caindo numa valeta. A carga de louça foi saqueada por populares.

Um caminhão carregado com bebidas tombou na sexta-feira (10) em  Mariópolis, no sudoeste do  Paranã, uma das cintas que seguram a carga arrebentou. As pessoas que moram nas proximidades da rodovia roubaram a carga de três mil caixas de cerveja. A Polícia não conseguiu evitar o saque devido à grande quantidade de pessoas que estavam no local.
Quarta-feira, 15, no trecho que liga Palotina a Assis Chateaubriand, proximidades da entrada para o patrimônio do Nice, um veículo tombou às margens da rodovia, espalhando toda a mercadoria, populares saquearam toda a carga de cigarros do Paraguai.

Uma carreta carregada com óleo de soja, que trafegava próximo a cidade de Bambui/Mg, no domingo (19), quando o motorista perdeu o controle da direção do veículo em uma curva e tombou, a carga foi saqueada.

Um caminhão que transportava pneus, tecidos e cremes neste sábado (21), em Carmópolis de Minas, sofreu um acidente. Como sempre, parte da carga foi saqueada por populares.

Em dezembro do ano passado tivemos os seguintes:
Uma carreta tombou quando transportava milho, em Redenção/PA, na quinta-feira, a rodovia tem muitos trechos com buracos e pontes perigosas, sendo o tráfego muito grande de caminhões carregados de mercadorias de todos os tipos. Parte da carga foi levada por populares.
Um caminhão carregado de carne bovina tomba na localidade Boqueirão, próximo a Nazaré do Piauí, nesta quinta-feira. A carga foi subtraída por populares.
Para ilustrar esta crônica recortamos de vários jornais do país os textos acima, apenas nos meses de dezembro e janeiro. Sabemos que no ano inteiro isso acontece e na maioria das vezes a carga desaparece, isto é, levada, subtraída, ou melhor, saqueada por populares.
A alegação é sempre a mesma, a carga está segurada, as empresas não perdem nada.
Mas vejam bem, não é este o caso, saquear é crime, com pena de até 4 anos de reclusão.
Essa prática que se tornou comum por aqui, quando um caminhão está acidentado na estrada, várias pessoas vão logo pegando as mercadorias, mesmo não tendo utilidade para elas.
Já vi gente saqueando até carga de melancias e em local muito perigoso.
É que o povo anda faminto e aonde um vai, a boiada vai atrás.
Nossa alerta é para que não parem o seu carro na estrada e em hipótese alguma desçam para apanhar mercadorias de veículos acidentados. Pode acontecer algum acidente e por causa de algumas batatas alguém perca a vida.
Manoel Amaral
Fonte: Jornais das regiões onde ocorreram os acidentes.