TROPICÁLIA – O PAÍS DAS MARAVILHAS

TROPICÁLIA – O PAÍS DAS MARAVILHAS

Este país ao sul da África está nos seus melhores dias. Hoje mesmo o presidente conseguiu fechar negócios com grandes exportadores da China para comprar carne bovina e frango.
Abaixo alguns detalhes do país das maravilhas:

1 – Fado, Forró e Funk
O país é uma mistura de tudo. Todos os ritmos são rodados, e o povo aprecia aquilo tudo em CDS, DVD vendidos nas feiras das cidades.

2 – Putas, Transvestis e Prostituição
Elas ou eles ficam na beira da estrada, nos postos de combustíveis tentando conseguir algum dinheiro com programas.
3 – Morangos, Pimentões e Tomates,

São os que têm maior índice de agrotóxicos, mas o povo continua comprando assim mesmo.

4 – Frango, FriVaca  e Peixe
Agora já se fala até em carne de cachorro e cavalos. O povo está faminto e cada vez pede mais. O FriVaca está exportando a maior parte de sua produção. Os frangos congelados têm mais de 30% de gelo, que é incluído no peso para o consumidor. Peixe virou produto de rico, só podem comer sardinha e o bagre africano, que são mais baratos.

5 – Cebolas, Cenouras e Batatas
No alto da serra produz Cebolas, Cenouras e Batatas. Mas ali o trabalho do menor é explorado. Eles vão atrás das máquinas apanhando as plantas que não são alcançadas. Muitas mulheres ali trabalham e ganham uma ninharia.

6 – Ovo e Uva boa – Vinho
As granjas estão vendendo os ovos com altos preços. Seriam ovos de ouro?
As plantações de uvas estão rendendo um bom dinheiro com a exportação de vinho.

7 – Melões, Melancias, Cruá, Melão-caboclo, Jamelão

Os melões, melancias, Cruá, melão-caboclo, jamelão  são produzidos nestas terras, de pouca chuva, grande parte pode ser utilizado para exportação.

8 – Alface, Salsa e Chuchu (Cerveja)
E agora que estão utilizando o chuchu para fabricar a cerveja, o consumidor não vai mais comer o dito cujo. Teremos que ficar na alface e a salsinha.

9 – Aveia, Milho e Trigo
O terreno é pródigo, produz o milho, a aveia e o trigo.

10 – Etanol, Gás e Petróleo
No país das maravilhas tem muito álcool combustível e pouco petróleo. Só agora estão explorando o gás. Existem canaviais por todos os lados.

11 – Mandioca, Cachaça e Carne de Porco
Quem é que não quer passar num bar e pegar uma porção de mandioca frita, um dose de cachaça, bem como uma carne de porco?
Não podemos esquecer do torresminho…

12 – Teatro, Literatura e Cultura
Aquele país não tem leitores, livros são escritos aos milhares todos os anos, mesmo sem incentivo do Governo Federal. Os teatros estão quase todos vazios. O povo não quer saber de cultura.

13 – Água: Outorgas e as Empresas
Depois de anos explorando o povo e sem nenhum investimento na área, as empresas detentoras do direito de uso da água agora estão devolvendo para os municípios o abacaxi. Rede de esgoto? Praticamente nada foi feito em obras. Os rios estão completamente esgotados. As outorgas para as empresas pagam uma ninharia, quando pagam. As mineradoras estão poluindo os rios e nunca recuperam o meio ambiente, bem como as empresas que retiram areia dos mesmos.

14 – Dengue, Caxumba e outras doenças
Aqui aparece todo tipo de doenças: caxumba, dengue e muitos outras que estão voltando.
Os carrapatos dos cavalos têm picadas mortais. As capivaras agora livres, beirando os rios também são hospedeiras destes insetos.

15 – Laranjas, mangas e outras frutas.
As laranjas estão por todo lugar e as mangas também, inclusive as de boa qualidade para exportação.

16 – Partidos, Políticos e Propinas -PPP
Por todas as cidades, estados e na capital federal estão infestados de políticos que vivem de propinas.

17 – Drogas, Tráfico e Riqueza
O país está afundado em dívidas, mas o tráfico cada vez tem mais dinheiro para gastar, subornando todo mundo.

18 – O País das Maravilhas
Este é TROPICÁLIA– o país das maravilhas. Os turistas acham que ali tudo pode ser feito. O que eles não podem fazer nos seus, vão até lá para fazê-lo.

Manoel Amaral

AS AVENTURAS DAS DUAS JOVENS

AS AVENTURAS DAS DUAS JOVENS

A primeira era uma conceituada Advogada na região.

A segunda uma simples gari da Prefeitura local.

As duas eram vistas sempre conversando e nos finais de semana a segunda era vista na casa da primeira fazendo serviços de faxina.

Numa reviravolta do destino a segunda conseguiu ganhar o prêmio máximo da Mega-Sena da Virada.

Aparentemente a Advogada se envolveu com traficantes e acabou presa. Ela dizia que era inocente.

Agora Magali estava por cima e Cristine por baixo na roda da vida.

Mas mesmo na prisão ela, a Cristine, a Advogada, conseguia burlar a portaria e saia para fazer pequenos passeios pela cidade.

Num deles encontrou a ex-gari, agora com a grana toda, num bar, a tomar só Whisky e outras bebidas caras.

Ela contou a amiga que estava desfrutando muito bem do prêmio que ganhou. Comprara vários imóveis, um carro importado, fizera doação para uma entidade que cuidava de presos e que realmente precisava.

A outra contou os problemas por que passava e achava que haviam “armado” alguma coisa contra ela. Nunca se envolvera com traficantes, sua área era a trabalhista, sem vínculo algum com a outra classe.

A milionária naquele vidão que pediu a Deus, levantando tarde, comendo do bom e do melhor. Não tinha acostumado era viver sempre com dois guarda-costas no seu pé. Mudou-se para uma fazenda de criação de peixes onde havia várias lagoas naturais e cachoeiras por todo lado.

Magali contratou um bom Advogado para defender a amiga. E acabou descobrindo a origem de tudo. Era um cara que um dia a convidou para sair e ela recusou. Aí já encontraram drogas no seu carro e em sua casa, assim de uma hora para outra. Cada vez piorando a sua situação perante a justiça.

Provas testemunhais e câmaras de seguranças filmaram alguns elementos colocando coisas estranhas no seu veículo. Os mesmos foram flagrados pulando o muro de sua residência.

Mediante estas provas e o bom comportamento da presa, esta foi solta e continuou o seu trabalho e cada vez mais se tornando uma brilhante Advogada, chegou até a receber uma medalha do Governo do Estado.

Já a segunda, a ex-gari agora milionária, vários problemas aconteceram, o mais recente foi um sequestro, onde os bandidos exigiam vários milhões de reais para soltá-la, mas com a intervenção de Cristine, a polícia acabou pegando os sequestradores sem nenhum pagamento.

Mas os problemas não pararam por aí, o IBAMA multou a milionária por estar usando as lagoas para criação de peixes exóticos e corte de árvores para construções em sua fazenda.

Outra vez Cristine entra em ação e a salva de maiores problemas.

Agora a que enfrentava problemas era a Advogada: um cliente antigo recebera uma indenização e reclamava que os honorários recebidos eram muito altos. Mas tudo estava no contrato.

A ex-gari, milionária, Magali, resolveu fazer uma viagem para o Egito. Não gostou dos camelos fedorentos e nem do Hotel. Criou problemas com a direção.
 Quando souberam que era a mais nova milionária brasileira, satisfizeram todas as suas vontades.

Só visitava as pirâmides numa Hilux do ano e assessorada por uma equipe que ia mostrando tudo para a ilustre visitante.

Entediada por tudo aquilo, resolveu viajar para Austrália a fim de conhecer as suas belezas e os famosos cangurus.

Foi de moto até o deserto de Atacama, no Chile e pode perceber a beleza da noite naquele local que há muito tempo não cai uma gota d’água.

Passou por Argentina, quando falaram para ela que fazia parte do programa visitar o famoso Cemitério, onde estavam enterrados grandes personalidade do País, ela disse que não. Iria para outras bandas: num bar onde apresentariam os dançarinos de tango.

Chegando a Foz do Iguaçu ficou encantada com a beleza daquelas águas caindo nas cataratas.

Quando tudo parecia perdido para as duas amigas, refugiaram-se num Motel e foram as duas para a cama.

Manoel Amaral

www.afadinha.com.br

A ERVA DO DIABO

A ERVA DO DIABO

“Não preciso me drogar para ser um gênio…”

Charles Chaplin

Hoje ele é muito respeitado como palestrante nas rodas antidrogas; mas já foi um dos caras mais viciados que já conheci.

Passo a palavra para José Imaculado, mas conhecido como Zé da Merda.

“Já fumei, cheirei, injetei, tomei e lambi. Fiz de tudo nesta vida para poder manter o meu vício. Roubei, furtei, assaltei, só não matei. Pulei muro, rasguei o corpo em arame farpado correndo da polícia.”

Sempre assim que ele inicia as suas concorridas palestras para viciados e familiares. O seu bairro ficou pequeno, a cidade também. Fez palestras para todo o estado. Viajou até para o exterior, atendendo a pedidos de universidades norte americanas.

“Não acreditem na amiga da mente, isso é pura ficção. A erva maldita rói seu cérebro, provoca distúrbios nos seus neurônios.”

Ele é mesmo bom de fala, consegue manter a plateia prestando atenção às suas palavras por horas e horas.

“A minha intenção hoje é contar para vocês como foi que larguei o vício. Cheguei a levar a minha família a loucura, vendi tudo para comprar a Noia. Até um liquidificador que tinha dado de presente para minha mãe.”

Por aí ele vai tirando lágrimas e sorrisos de todos que ali estão. Zé da Merda virou mesmo um excelente orador. Preste bastante atenção a interessante história que ele vai contar:

“Por que tenho o apelido de Zé da Merda? Vou explicar: tinha uns viciados na cadeia e estavam sempre pedindo drogas aos visitantes, mas a portaria não deixava passar nada. Nestes dias eu estava lá depois de ser preso tentando vender um celular roubado.”

Haviam encontrado uma nova maneira para traficar o Fumo brabo.

Engoliam várias cápsulas e arranjavam uma maneira de ser preso, uma vez dentro da cadeia era só esperar o bagulho sair.

Acontece que na maioria das vezes a embalagem não era bem preparada e rompia-se no estômago e ao sair dava mais trabalho na limpeza.

Era muito interessante, hilário mesmo, vendo ele contar com toda simplicidade como tudo aconteceu.

“Os presos não queriam nem saber, ia cada um pegando o seu papel para preparar o Brow. Mas na pressa eu peguei um pedaço da maldita e fiz logo o meu Palhão. Quando comecei a tirar as primeiras baforadas percebi um odor diferente. Aí fui verificar como haviam transportado a Planta do diabo até a cadeia e fiquei sabendo que tudo aquilo tinha vindo na barriga do idiota do Lolô, um maconheiro já velho que estava à beira da morte. Vomitei três dias seguidos e nunca mais coloquei qualquer tipo da droga na boca. Fumei merda, aí a razão do meu apelido.”

Dá para acreditar? Podem crer, existem viciados usando coisa muito pior que isso!

Boas Entradas de Ano

Fuja das drogas, droga é uma droga!

Manoel Amaral

O POBRE VAMPIRO DE SÃO JOSÉ DE BICAS

“Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de
chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas,
pois eu também sou o escuro da noite.”
(Clarice Lispector)

Imagem Google

Ninguém sabia o seu nome, apareceu na festa de fim de semana.

Bebeu, fumou e cheirou. Saiu, tropeçou, caiu e dormiu.

De madrugada acordou. Olhou no escuro da noite e não viu nada.

O barulho de veículos foi diminuindo, ele dormiu novamente. Belos sonhos sonhou.
Da manhã, procurou um boteco para tomar um café forte a fim curar a ressaca de tantas drogas ingeridas.

A cabeça doía muito. Parecia que o cérebro havia evaporado. Não conseguia pensar coisa com coisa.

Enveredou por uma ladeira, viu umas mulheres na calçada. Magras, roupas curtas e muito feias. Ainda procuravam os últimos fregueses.

A pequena cidade de São Joaquim de Bicas, com pouco mais de 25 mil habitantes, pertence a pertence a Região Metropolitana de BH.

Não é a melhor nem a pior das cidades do entorno da capital. Tem as suas sequelas. Bandidagem, ladroagem, roubalheira, drogas, drogas e drogas.


O Jornal O Tempo abriu manchete: Polícia estoura laboratório de refino e distribuição de drogas em São Joaquim de Bicas.

Os serviços públicos, como em qualquer cidade brasileira, deixam muito a desejar.
A Prefeitura não tem como atender tantos pedidos de emprego, conserto de ruas, canalizações esgoto, construção de escolas, pontes, creches e outros prédios públicos.

Os Vereadores continuam legislando sobre troca de nome de rua. O prédio da Sede Administrativa é muito moderno.

Tudo ali deveria correr as mil maravilhas ao primeiro olhar, mas na realidade só mudou a construção, continua tudo como qualquer Prefeitura do Interior. A Oposição de um lado e a Situação de outro, cada um tentando mostrar mais serviço.

Lá também tem casos de crianças desaparecidas: Polícia investiga sequestro e encontra jovem em cárcere privado… que foi manchete Nacional.

Mas aquele Senhor sem nome estava no fim da linha. Os pensamentos voavam. Os restos das drogas no organismo faziam, agora, efeito contrário. Ele foi ficando depressivo, precisava arranjar um local para apagar as suas mágoas e arranjou.
Entrou num beco, viu um tambor velho com pedaços de pau queimando naquela manhã serena. Um friozinho subia a sua coluna vertebral e parava ali na nuca provocando um baque. Parecia uma chave de desligamento de energia. O seu corpo ficava mais leve.

De repente, por entre aquelas ruas estreitas surgiu um louco com uma estaca de metal.

Sem que tivesse tempo de desviar, recebeu aquele forte impacto no peito. Metal frio arregaçando as carnes.

Ainda vivo, tentou encontrar socorro na beira da rodovia, ficou ao lado de um Fiat Palio, de cor prata.

Foi encontrado pela Polícia Rodoviária Federal o homem, de 33 anos, com vida, no km 509 da rodovia, mas morreu logo após dar entrada no hospital.

Manoel Amaral
www.casadosmunicipios.com.br