NOTÍCIAS FALSAS NO FACEBOOK

NOTÍCIAS FALSAS

Em épocas de eleições elas circulam por toda a cidade. São as notícias falsas. Tem o objetivo de prejudicar um candidato.

No ano passado foi nas eleições para Presidente dos EUA. Foram milhões de dados falsos, criados para prejudicar um dos candidatos.

No Brasil, nas eleições municipais, existem toneladas de notícias falsas contra candidatos que se assinadas por qualquer um deles o efeito é o mesmo: derrubar o inimigo
.
Acontece que ninguém leva o candidato até a justiça. Todos sabem que a “Justiça é lerda e cega”, não solucionará antes da posse do candidato eleito. Outros já concorrem, mesmo com a ficha suja, sabem que no fim, se eleitos, não vão ser processados.

No Facebook o assunto NOTÍCIAS FALSAS tomou proporções em nível de Brasil (ou do mundo). Uma notícia não verdadeira pode prejudicar para sempre uma pessoa, um cantor, um ator ou um empresário.

Um caso recente com cantor e compositor, em que o texto dizia que o dito cujo apoiava um determinado assunto, o que não era verdade. Foi parar na justiça e houve até um pedido de reparação de danos. As pessoas que preparam o texto e as que compartilharam foram citadas.

A notícia falsa – o chamado “hoax” (palavra em inglês que significa fraude ou boato) – não é novidade na internet, mas parece ter ganho uma visibilidade e frequência maiores no Facebook.

Você que sai clicando por aí sem pensar, compartilhando, pode estar sujeito a processo judicial. O próprio Facebook pretende regulamentar o assunto:

“Propostas

O CEO disse ainda que a empresa desenvolve sete propostas para combater a desinformação de maneira mais eficiente:

1. Desenvolver sistemas técnicos mais eficientes, para detectar o que as pessoas irão denunciar como falso antes que elas façam isso;

2. Tornar mais fácil o processo de denúncia reportagens falsas;

3. Fazer parcerias com organizações de checagem de fatos;

4. Rotular os links que foram denunciados como notícia falsa e mostrar avisos quando as pessoas lerem ou compartilharem estes links;

5. Aumentar a exigência de qualidade para os links que aparecem como “relacionados” na linha do tempo;

6. Dificultar o lucro dos sites de notícias falsas com anúncios;

7. Trabalhar com jornalistas para aprender métodos de checagem de fatos.  (Jornal Globo – G1)”

Quem quiser se prevenir tem o site www.e-farsas.com.brque desde de 2002 verifica se a notícia ou o texto são falsos.
Tem outras maneiras de verificar se uma notícia tem procedência: basta pegar o texto e jogar no Google e verificar se foi publicada por grandes jornais.
O pior que tem sites só de notícias bombásticas, falsas e chamativas, só para receber mais visitas e faturar dólares, com anúncios.
No Facebook ainda tem pessoas que pegam notícias de cinco anos atrás e publicam como se fossem hoje. Tem um caso de uma menina de seis anos e hoje ela já está com mais de dez anos. E continuam publicando…
Às vezes a pessoa já foi encontrada e aqui vai render assunto por muito tempo.
Tem muita coisa para verificar, mas com jeito você chega lá.
Manoel Amaral

MANÉ IRÔNICO II

MANÉ IRÔNICO II

Resultado de imagem para eleição 2016
Imagem Google

I – Eleições 2016: Kalil bebeu o Leite. Não teremos mais coxinhas, chegou a era dos quibes.

II – Votos em branco escureceu esta eleição.

III – RENOVAÇÃO? Não houve, só velhas raposas políticas.

IV – PSDB – cometeu o mesmo erro da campanha de 2012, para Presidente. Não renovou os candidatos do Partido.

V – REJEIÇÃO – 20 a 30% percentual muito alto. Casos em que foi maior que o candidato que ganhou a eleição.

VI – O GRANDE PERDEDOR? O PT.

VII – CRIVELA, religião ajuda na eleição.

VIII – REELEIÇÃO – Foram poucas graças a Deus.

IX – VOTO LIVRE, Nada de imposição, nova discussão para reforma política.

X – MULHERES, onde estão as mulheres do 2º turno?

XI – ABSTENÇÃO – alto índice, significando que o povo está rejeitando a política.

XII – VOTO OBRIGATÓRIO, Tema para próxima discussão reforma política.

XIII –RESSACA ELEITORAL – Avaliar os danos e tocar o bonde até 2018.

XIX – BOCA DE URNA – Crime pouco usado nestas eleições.

XX – PSDB –Mais prefeitos eleitos.

XXI – NANICOS – Mais força.

XXII – ABCD – PT perdeu o cinturão vermelho, não conseguiu nenhuma prefeitura por lá.

XXIII – PT – Perdeu mais de 10 milhões de votos, com relação a eleição de 2012.

XXIV -ESCOLAS FECHADAS – Um prejuízo de mais de R$3 milhões, quem vai pagar esta conta?

XXV – INDEFERIMENTO DE CANDIDATURAS – O povo quer saber, quem vai pagar as novas eleições.

XXVI – Deputado Federal Nelson Marchezan Júnior (PSDB) foi eleito neste domingo (30) o novo prefeito de Porto Alegre (RS).
XXVII – RECEITA FEDERAL – Vence hoje o prazo para repatriamento de fortuna no exterior. O Leão avisa: a bocada vai ser de 15%.

XXVIII – CIDADES DO 2º TURNO – Apenas 57.

XXIX – PARTIDOS – Os Nanicos estão crescendo de número, querem vencer a Cláusula de Barreira e participar do bolo partidário.

XXX – PREFEITO MAIS VELHO: Ele tem 88 anos, é professor Josibias Cavalcanti (PSD) da pequena cidade de Catende/PE.
XXXI – + JOVEM – Com 21 anos, Leonardo Caldas é o prefeito eleito mais jovem do Brasil, de um local chamado Milagres do Maranhão (MA)
XXXIII – Belo Vale recebeu 86,54% do total, Lapinha, Município Mineiro.
XXXIV – MAIOR PORCENTAGEM – Reeleito com 76,57% dos votos, Waldeli dos Santos Rosa (PR), de 56 anos da cidade de Costa Rica em Mato Grosso do Sul.
XXXV – Enquanto isso, em Divinópolis-MG, foi eleito (um dos mais votados) o Vereador TARZAN.
Veja aqui o grito da vitória: https://www.youtube.com/watch?v=9NL7nP61-hk
Manoel Amaral

CAMPANHA ELEITORAL VEREADOR

CAMPANHA ELEITORAL VEREADOR
Veja na prática como funciona uma
Campanha Eleitoral para Vereador.
Descubra novas ideias, dicas e maneiras
de ganhar a eleição facilmente.
Serão revelados vários
truques para montar sua equipe.
Vamos ensinar-lhe táticas
utilizadas nas grandes campanhas eleitorais.
Outros candidatos já testaram
e foram eleitos.
Quer ser um dos mais votados
Em sua cidade? Então
siga nossas dicas.
Saiba como vencer a eleição,
gastando pouco.
Aprenda como se destacar na
multidão.
Garanta o seu futuro adquirindo
o  nosso produto.
VOCÊ AINDA RECEBERÁ INTEIRAMENTE GRÁTIS:
  1.  Um Manual Prático do Vereador;
  2.  Vários Projetos de Leis para começar legislar;
  3.  Banco de dados para  pesquisas permanentes.
Investimento: R$99.90
Para adquirir: manoel.amaral@gmail.com

Faça seu pedido aqui:

NUNCA MENTIRAM TANTO NESTE PAÍS

NUNCA MENTIRAM TANTO AO NOSSO POVO!
Se vocês prometerem que não vão anunciar descobertas de petróleo no Amazonas, antes das eleições. Nem criar Projetos bombásticos e depois abandoná-los.
Não venderem ilusões de Trem-Bala, ponte ligando o Brasil a Portugal.
Não criarem Projetos para aquisição de mais aviões para a Presidência e deixarem a nossa Força Aérea com aqueles cacos…
Não criarem mais cargos em comissão em todos os Ministérios para colocar os seus colegas de partido, nem dar continuidade a bobagem de outros governos.
Deixarem o passado enterrado a sete palmos de altura, porque nenhum governo é santo. O seu partido não resiste a nenhuma CPI!
Deixarem de fazer palanque eleitoral com desgraça dos outros, serem mais criativos, tem muito pobre precisando.
Se prometerem reduzir os juros bancários vergonhosos. Os juros do Brasil são os mais altos do mundo!
Controlar a inflação, cortar gastos públicos e reduzir a dívida pública.
Nem vamos falar em dívida externa que anda na casa dos trilhões…
Se prometerem reduzir os juros dos cartões de créditos que estão roubando dos pobres brasileiros. Eles não desejam que ninguém pague à vista, pois em prestações mensais os juros sobem muito. (ninguém aguenta 15% de juros ao mês, vão todos quebrarem, depois não digam que não avisei).
Acabar com este sistema de empréstimo de “desconto em folha” dos aposentados e demais funcionários.
Realmente dar um apoio aos pobres que são a “massa” maior.
Mudar este sistema eleitoral corrupto e implantar novo sistema, onde vence quem tiver mais votos.
Colocar as urnas eletrônicas em dúvidas. São mesmo seguras? Porque os EUA não as adotaram?
Acabar com as nomeações para cargos em comissão, sem critério técnico, os patrocínios sem prestação de contas e as polpudas vantagens “não contabilizadas”.
Acabar com outras roubalheiras que estão por aí que CPI não resolve nada. Aliás, se quiserem deixar todo mundo impune é só convocar uma CPI.
Fortalecer a Petrobrás deixando-a trabalhar como antigamente, com critério técnico, sem envolvimento político de nenhum partido.
Se Pré-sal é coisa de futuro, deixar para o futuro, economizar as fofocas. Não voltar mais com essas discussões em época de eleições.
Acho que se quiserem baratear o preço da gasolina poderia, o resto é politicagem! E olha que gasolina suja a nossa!
Já prestaram atenção que enquanto estão falando mal de outro partido, estão automaticamente fazendo campanha para aquele partido? Sejam criativos!
Se prometerem fazer deste país um país melhor, talvez possam contar com o meu voto! Já estamos cansados com tanta falação e pouco resultado prático.
Ajude-nos a denunciar estas farsas. Passe adiante esta mensagem entre seus bons companheiros de partido.
OSVANDIR

Artigo escrito em outubro de 2010, publicado também em 2012 e repetido em 2014 sem nenhuma alteração.

CAMPANHA ELEITORAL VEREADORES

CAMPANHA
ELEITORAL PARA VEREADORES

As campanhas eleitorais 2012 já estão deflagradas, antecipadamente, a imprensa (escrita, falada e internet) iniciaram uma tola discussão perguntando se Vereador pode ou não comprar projetos de leis de Assessorias Particulares.

Pura bobagem, isto já vem sendo feito há muito tempo e os jornalistas fingem que não sabiam disto.

Por causa desta tola discussão é que todos só comentam em seus sites tal assunto. Desde o dia 20 que todos os jornais do país publicaram qualquer coisa sobre o assunto. Tudo teve início com uma entrevista que demos para o Jornal Estado de Minas a Alice Maciel e uma sua amiga, que se
fez passar por uma compradora de Projetos de Leis de certa Câmara Municipal
(que não vou citar é claro!).

Um assunto tão bobo tomou proporções tão grandes que no outro dia dei entrevista para os principais jornais ou eles pura e simplesmente copiaram de outros jornais (eles podem!).

A Rede TV procurou-me no sábado p. passado, marcando entrevista para as 14 hs, lá fui e respondi a todas as perguntas. O assunto era o mesmo: Quem comprava, quanto comprava, quando. Outro questionamento que todos fazem: pode o Vereador comprar projetos de leis de Assessoria Particular? Claro que pode, deve, convém e faz bem!

Tenho mais algumas entrevistas marcadas para esta semana. Do jeito que a coisa está indo, logo, logo estarei sentado ao lado de Jô Soares, Ana Maria Braga, Ratinho, Gugu e Faustão… Não duvidem!

Manoel Amaral

http://www.casadosmuncipios.com.br/

OSVANDIR E AS ELEIÇÕES

BILA & NICO
Ninguém gosta de votar em candidato que vai perder.”
(Osair, tia do Osvandir)

Tudo aconteceu naquela cidadezinha do interior, mais precisamente no norte de Minas, de aproximadamente 5.000 habitantes.

Vida difícil, sem emprego, sem saúde, sem esgoto, sem nada. Os cidadão mais velhos ficavam ali na pracinha sem nada para fazer, discutindo capítulo anterior da novela da Lobo (erro proposital).

Estava aproximando-se as épocas de eleições, quase ninguém queria ser candidato. O senhor NICO foi escolhido na marra, indicado por unanimidade pelo partido do Prefeito, Partido que era o maior da cidade, em eleitores.

Do outro lado tinha o José, que todos conheciam por BILA, ninguém sabia por que. Ele fora indicado a concorrer como candidato da oposição, mas já considerava caso perdido, pois o Prefeito deixou para entregar todas as obras neste ano de eleições.

Ponte para inaugurar, escola para reformar, estradas rurais para melhorar, asfalto de algumas ruas para completar e estava tudo em andamento. Um movimento muito grande na Prefeitura daquela cidadezinha até charmosa.

O Prefeito estava apostando todas as suas fichas naquela eleição. Andou desviando algumas poucas verbas para atender aos gastos da campanha.

Encomendou camisas, santinhos, cartazes, faixas e tudo que os assessores pediram. Alguns itens faltaram, porque as gráficas não estavam em condições de atender a todos, no momento.

Até um pequeno livro, com nome da cidade, estava sendo distribuído, gratuitamente, fazendo uma propaganda disfarçada do candidato maioral.

BILA, o candidato da oposição, reuniu alguns poucos reais e encomendou 2.500 camisas. Recebeu um telefonema da empresa que estava faltando camisas brancas no mercado. Perguntaram se não havia problemas utilizar algumas que já tinham desenhos. Era só imprimir em cima ou em baixo deles, a propaganda do candidato.

Na falta deste material, absorvido pelas grandes cidades, resolveu aceitar a oferta, disseram que poderiam fazer até um preço melhor. Deu a ordem para fazer mais rápido possível o serviço.

Todos naquela apreensão, a espera do material de propaganda para distribuir aos minguados eleitores. Pequenos brindes como lápis, réguas, cadernos, lixa de unhas e outras besteiras como bonés de plástico, já estavam sendo entregues nas casas pelo candidato NICO. Tudo com o nome do candidato bem visível e de seu vice, tudo pago com dinheiro da Prefeitura.

Os vereadores não perdiam tempo, passavam a mão naquele material, carimbavam o seu nome embaixo e distribuíam para todos os eleitores.

Tinha uns apelidos muito esquisitos para candidatos a vereadores: Formigão, Mosquito, Grilo, Tomate, Bolão, Baiano, Brazuca, Franzino, Tonhão, Baixinho, Carruncho, Bozó, Meínha, do lado do candidato do Prefeito.

E do outro lado continuava o festival de apelidos horrorosos: Gordo, Pateta, Bola Murcha, Goiaba, Zé da Praça, Veio, Taxinha, Neca da Mariínha, e ia assim, com cada nome. Alguns apelidos não passaram na hora do registro, de tão feios ou mesmo pornográficos. Nome de artista de TV e jogador de futebol, tinha dos dois lados.

Alguns não conseguiram registrar a candidatura porque eram completamente analfabetos. Não passaram num simples teste elabora pelo Juiz Eleitoral, da próxima cidade, onde era a Comarca.

A empresa avisou que as camisas do candidato BILA, estavam prontas, um carro foi buscá-las no mesmo dia. Botaram o material no veículo, sem conferir nada.

Ao chegarem ao município foram logo colocando nas mãos dos candidatos para distribuírem onde eram seus redutos eleitorais: uns correram para a Ponte Velha, outros para o Buraco Quente e os restantes para o Bairro do Bom Fim e centro da cidade.

Naquela alegria toda nem leram o “slogan” escrito na camisa. De repente começaram a surgir uns comentários do outro lado e a coisa pegou fogo. O candidato do Prefeito sentiu-se ofendido e partiu para a defesa de sua candidatura que estava indo por água abaixo.

É que os funcionários da estamparia, que fizeram o serviço, não notaram que algumas camisas já tinham palavras impressas. Aí surgiu toda aquela confusão. O tiro já estava dado, recolher as camisas para o candidato não seria muito agradável.

Ele soltou um boletim, feito às pressas, justificando o engano, aí que a coisa piorou, a emenda ficou pior que o soneto. O furor foi muito maior, porque o outro candidato não gostou da justificativa dada.

O candidato ofendido saiu correndo até a cidade mais próxima e encomendou urgente, cerca de 3.000 camisas para fazer face aquele estrago em sua campanha.

Quando o material chegou, empregaram o mesmo esquema do candidato da oposição. Entregaram nos mesmos locais onde ele haviam distribuído, aquela camisa odiosa, ofendendo o candidato NICO.

Aí surgiu também um imprevisto, as camisas apresentavam outras palavras, a marca de fábrica. E o candidato da oposição não gostou muito. Julgou que aquilo fosse uma ofensa.

No meio daquela confusão, TICO, o terceiro candidato (esquecemos de falar dele), o mais pobre de todos, foi só subindo no conceito do povo. Não distribuía brinde nenhum, apenas um “santinho” mixuruca, uma foto em preto e branco, com seus dados pessoais. Estava tudo virado de cabeça para baixo. O menor partido estava ganhando dos dois candidatos juntos, assim dizia a prévia publicada por um jornal da vizinha cidade. Aquele artigo foi xerocado e distribuído em toda cidade. Até nos postes, que era proibido, eles pregaram o cartaz do terceiro candidato, junto com a pesquisa eleitoral.

Apurado os votos, o terceiro candidato deu um banho eleitoral nos dois bobocas que ficaram brigando por causa de bobagens.

Osvandir ficou sabendo da história, pegou as malas e partiu direto para aquela cidadezinha. Gastou umas cinco horas na viagem, estrada de terra, areia, buraco, devastação pela seca, até que chegou lá.

Almoçou, conversou com um candidato, o NICO, pegou uma camisa de sua propaganda; com o candidato número dois, o BILA, tomou um café e também recebeu dele de lembrança, uma camisa da campanha.

Nas primeiras camisas distribuídas estava escrito: BILA É O MELHOR e logo embaixo, já estava impresso NICOBOCO, e por azar em algumas camisas havia um pingo de tinta na última letra “Ó”. Isso que foi o pingo d’água da questão.

__ Mas e na outra camisa, o que estava escrito? – Perguntou o curioso amigo do Osvandir.
__ Nada de mais, apenas uma coincidência, uma combinação das palavras que já estavam impressas com as que mandaram imprimir: NICO É O BOM, e debaixo vinha, BILA BONG!

Assim acabou a guerra das eleições naquela cidadezinha, vencendo TICO, o menor e o mais inteligente de todos os candidatos.

MANOEL AMARAL