B. CASSIDY & S. KID – I


B. CASSIDY & S. KID – I

Os bandidos do New-West

Cassidy e Kid estavam sempre juntos naqueles assaltos a bancos, carros fortes e suas intermináveis fugas pelas montanhas daquele país.

Já tinham passado pelas Gerais onde procuravam as cidades menores, a caraterística principal destes assaltantes.

Faziam um levantamento inicial, contratavam alguns extras para vigiar as entradas.

Provocavam um acidente para chamar a atenção para outro lado, enquanto dinamitavam os bancos ou os caixas fortes.

Dominavam quartéis, delegacias e fóruns levando todas as armas.

Chegaram a comprar até uma metralhadora antiaérea e antitanque, adquirida no Paraguai, vários carros, celulares e uma infinidade de outras armas e equipamento para arrombar cofres. Nunca se esquecendo das caixas de dinamite, um artefato explosivo à base de nitroglicerina.

Cassidy vivia bolando os mais incríveis planos para atacar as cidades.
Certa vez estavam planejando um assalto a uma mina de ouro na Venezuela que renderia uns  50 milhões, mas houve muitas prisões e eles tiveram que desistir do plano.

Um dos assaltos mais espetaculares que realizaram teve um planejamento de aproximadamente um mês.

Alugaram uma casa próxima a um banco. Fizeram um túnel, sem que ninguém desconfiasse de nada e num feriadão levaram todas as joias e dinheiro ali depositado. Foi preciso uma pá-carregadeira para transportar tanto dinheiro.

Os 40 milhões foram distribuídos entre os participantes e os coitados caçados por todo país.

Outros compraram carros, casas, fazendas e até iates. Com mulheres e farras foi uma ninharia.

A partir daí o seu bando foi quase dizimado. Houve extorsão, assalto a assaltantes e vários assassinatos de familiares dos bandidos. Mas isso foi há muito tempo.

Agora eles contentam com pequenos roubos a carros fortes e assalto a bancos de pequenas cidades.

O CRIME DA MALA

“O mais puro insólito” (Cleosmar, primo do Osvandir)

O corpo daquela mulher já cheirava mal. Estava acondicionada numa velha mala, na zona Sul do Rio, num canal de escoamento de água e esgoto.

Funcionários da Prefeitura estavam realizando a limpeza no local e viram aquela mala na água.

Era um corpo de mulher, todo cortado em pedaços.
Seu nome: Íris Bezerra de Freitas, de 21 anos.

O Delegado trabalha com a hipótese de crime passional e o principal suspeito é o seu ex-marido Rafael da Silva Lima.

A morte parece que teria sido causada por uma briga do casal.

Vendo esta notícia no jornal, Osvandir lembrou de uma história sobre outro crime da mala, acontecido em 1928, conforme seu avô contava.

“Aconteceu em São Paulo, sendo protagonistas Giuseppe Pistone e Maria Mercedes Fea Maria, que ao completar 21 anos, casaram-se, imigrando para o Brasil no navio Conte Biancamano. “

“Trabalhava na casa de salames e vinhos de seu primo Franceso Pistone em São Paulo, Giuseppe recebe deste uma proposta de sociedade. Sem o capital necessário, escreve um telegrama à sua mãe Marcelina Baeri, na Itália, pedindo um valor equivalente a 150,000 contos de réis, parte de uma herança deixada por seu pai.”
– dizia um jornal da época.

Descobrindo todo seu plano de extorsão, resolve escrever para sua sogra, mas foi descoberta a carta e Pistone sufoca a esposa com um travesseiro. Ela estava grávida de uma menina.

“Sem saber o que fazer com o corpo, decide ocultá-lo em uma mala, seccionando o joelho com uma navalha e quebrando o pescoço para que o cadáver coubesse na mesma. Usando endereços e nomes falsos, remete a mala à “Francesco Ferrero”, em Bordeaux, França, através do navio Massilia”.- informa uma revista.
Foi condenado a 31 anos de prisão, por homicídio e ocultação de cadáver. Alegou ter cometido o crime por encontrar sua esposa com um amante no apartamento do casal, sua pena é comutada para 20 anos de prisão. Faleceu em 28 de junho de 1956
“O episódio inspirou a realização de um filme, O Crime da Mala. Dirigido por Francisco Madrigano, foi lançado em 31 de outubro de 1928. O assassinato foi também tema de um episódio especial do programa Linha Direta, exibido em 2 de junho de 2005.”
Fonte: Wikipédia (O Crime da Mala de 1928)