COLUNA DO MANÉ IRÔNICO

COLUNA DO MANÉ IRÔNICO

30 BILHÕES DE DÉFICIT NO ORÇAMENTO
O Governo Federal apresentou um Orçamento para o ano que vem, já com um déficit de 30 bilhões. Pode uma coisa dessas? Tem qualquer truque por trás disso tudo. Estão querendo aumentar mais impostos ou forçar a aprovação da abominável CPMF, o malvado imposto sobre cheque que agora seria sobre o Cartão porque quase ninguém usa cheque mais. E para disfarçar vem com outro nome, fiquem atentos senhores Deputados.
CELULARES NOS PRESÍDIOS
Nosso personagem Osvandir pergunta: querem acabar com os celulares nos presídios? É fácil, eles não têm que ser recarregados todos os dias? É só cortar todos os fios de energia das celas. Colocar iluminação oculta de maneira que não possam ser utilizados como extensão de tomadas de energia. Muito simples é só por em prática. Não precisa de caras antenas para bloquear os celulares. Mais cuidado nas entradas de visitas nas celas, algumas mulheres transportam celular em qualquer cavidade. Visto isto está resolvida a questão.

TRABALHO PARA OS PRESOS

Vamos colocar os presos para trabalhar. O governo federal gasta atualmente R$ 3.472,22 por cada preso, é uma despesa muito grande. Tem muita gente recebendo por aí menos que um salário mínimo.
É só privatizar as penitenciárias que este preço baixaria drasticamente.
Existem  projetos baratos que resolveriam estes problemas.
No Brasil mesmo temos bons exemplos. Se não querem pegar nossos modelos, vamos para os EUA, França ou Inglaterra, onde existir.
Basta implantar para o sistema funcionar!

DÍVIDA DE POBRE

O Pobre quando fica devendo a Bancos,  Financeira ou comércio em geral, tem que pagar de qualquer jeito. Tem gente conseguindo empréstimo em financeira para pagar outro empréstimo. É o cúmulo do absurdo! Os aposentados estão todos endividados!
Agora, se a dívida é da ZElite, (como dizia um letrado,) das grandes empresas, muito dinheiro em jogo, então o Governo Federal vem socorrer, para não haver falências…

MINAS TEM CULTURA

A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) está classificada entre as melhores universidades do mundo em 18 das 36 áreas do conhecimento avaliadas pelo QS World University Rankings by Subject.
Não precisa de mais comentários.
Vamos ter excesso de alunos neste ano para estas Universidades bem classificadas.
Os ricos que podem pagar cursinho vão entrar e os pobres vão levar naquele lugar….
RIO SÃO FRANCISCO: TRANSPOSIÇÃO

A presidenta Dilma Rousseff inaugurou a primeira parte da obra, após oito anos do início do projeto. Com essa estação, a água vai percorrer cerca de 46 quilômetros até chegar aos reservatórios.

Imaginamos que este buraco sem fundo seria interrompido, mas não, continuam com esta burrice.

O Governo precisa economizar e estão jogando dinheiro fora. 

 

CAMPANHA ELEITORAL

A eleição é só em 2016, mas os candidatos já estão a caminho. Amarram aqui, soltam (verbas) acolá e seguem o caminho da campanha que não será nada fácil.
Vou lançar no ano que vem um Manual de Campanha para Vereador ensinando com gastar pouco com a eleição. Aguardem.

ESCUTA: ESCUTAS?!

Queremos entender porque não usam essa parafernália toda de escutas para barrar os bandidos do tráfico de drogas.
Achamos que estão usando, mas as vezes os políticos não deixam!

CANDIDATOS DA MINHA TERRA

A crise está feia, falta dinheiro até para o papel higiênico, mas mesmo assim os candidatos para o ano que vem já aparecem nos jornais, na TV e em qualquer lugar.
Muitos poderão ter votos, mas a maioria vai ser uma decepção.
É minha opinião que esses políticos mais antigos deverão passar para os jovens esta luta. Mas tem gente mesmo sabendo que vai perder feio, não desistem do “osso”.

SANTA IGNORÂNCIA

Santa inocência, desta Comissão da Petrobrás (CPI). Vocês acham que eles vão chegar e contar tudo que sabem? Não vão abrir o bico.
Para quê? Isso não vai dar em nada mesmo.
E o dinheiro que estão gastando para levar estes depoentes de Brasília até o Paraná?
Tem político de todos partidos com o rabo e o tronco preso, até a garganta. Nem 10% dos trambiques veio a público, podem acreditar.
Quando o ano eleitoral chegar, vai haver dossiês valendo um milhão… eheheh!!
E bota milhão nisso!

RELEIÇÃO, POÇO DE CORRUPÇÃO!

Não gosto de reeleição! Tem obra pra todo lado, só no último ano! Quando não se reelegem ficam aquele montão de obras inacabadas.
O Prefeito gasta muito dinheiro público para reeleger de qualquer maneira. Vejam na TV, em todos estados, quem está no poder não quer sair e usa de tudo para ficar, permanecer. Seja no Ceará, Amazonas ou no Sul, tudo é igual. Quem esta lá não quer sair de jeito nenhum!
A solução seria acabar com a Reeleição no ano que vem para terminar com esta roubalheira.
13º SALÁRIO
Deveriam acabar com os altos salários e complementos dos políticos.
O 13º salário é uma aberração. Já chega de pagamentos indevidos.
Estamos em regime de contenção.
OS MINISTÉRIOS
É mistério! Ninguém sabe quem vai sair e quem vai ficar. O certo que dez ministérios deverão acabar. Deveriam torrar também um punhado de Secretarias que não servem para nada.

 NEPOTISMO

Coitado dos Deputados, Vereadores, Secretários, Prefeitos e outros políticos, só agora devem mandar “catar coquinho” os seus parentes até o 3º grau! Já deviam ter mandado há muito tempo. Aliás, mandar embora é metáfora, eles já não compareciam ao serviço há anos!
Também se proíbe o “nepotismo cruzado”, isto é, a troca de parentes entre agentes públicos para que tais parentes sejam contratados diretamente, sem concurso.

E OS “CUMPANHEIROS”…

Estes continuam sendo contratados sem concurso em todo canto do país. Onde tiver uma “brechinha” lá estão eles.
Enquanto que quem estudou, passou em concurso vai ficar “lambendo embira”, como dizia meu pai.

Segundo a Wikipédia “lamber embira” é não ter o que comer.

OS LIVROS MAIS VENDIDOS

OS LIVROS MAIS VENDIDOS NO BRASIL EM 2014

Osvandir na Amazônia (Pedra da Morte Livro 1)

9 Nov 2013
por Manoel Ferreira do Amaral
FICÇÃO
Se eu Ficar: Viva para roubar
O sangue na Câmara
A culpa é das estrelas do Partido
O Guardião do Templo
Jogos vorazes política
Cidades de Concreto
Empresa Roubada
Cinquenta tons de Vermelho
Tudo em chamas
Correr ou morrer
Dinheiro Roubado
Super faturamento de Contrato
Osvandir no Amazonas
NÃO FICÇÃO
Nada a perder
A capital no século XXI da Corrupção
Propinas não têm limites
Tudo ou Nada:
Sonho grande todo Deputado tem
A história da garota da Câmara
As Deliciosas Receitas do Tempero no Congresso
O Diário de Demi Lava a jato
Não sou uma dessas Deputadas
Diário de um Petrolão
Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil
A Elite Branca
Memória da Ditamole
AUTO AJUDA
Ansiedade  das empreiteiras
Não se apega ao dinheiro, não
Geração de Valor.
As 25 leis brasileiras de sucesso
As regras de ouro no Senado
O monge e o Presidente
Quem roubou dólares de mim?
O Poder da Escolha do Candidato
Eu não consigo Roubar
A arte roubar com propina
Presidenta Blindada
Deputados inteligentes enriquecem juntos…
Terapia Financeira no Senado
Os Segredos do doleiro Milionário
Observação: Os livros grafados em vermelho estão com os títulos originais.

Fonte: Revista Olha, Arma-zona e outras livrarias.

O JOVEM CANDIDATO I & II


Imagem Google

“Uma eleição é feita para corrigir o erro da eleição anterior, mesmo que o agrave.”
De um lado os poderes do mal: os maus políticos, os traficantes, as drogas e os milhões. Do outro lado os do bem: a polícia, a justiça e a população sem tostões.
Tudo estava virando de cabeça para baixo. A eleição estava chegando.
Havia um candidato jovem, bonitão e rico. As estatísticas (compradas) indicavam que o candidato jovem subia como um foguete.
Dinheiro não faltava e apoiadores nem se fala. Doações caiam na rede como peixe. O partido novo estava vencendo em todas as regiões.
Seguindo a moda a agremiação não começava com a palavra partido. O nome escolhido foi União Renovadora Nacional -URNA. O partido foi registrado com a maior facilidade, um ano antes das eleições.
Não faltavam apoiadores e candidatos mil. A maioria das cidades que tinham tantos candidatos que era necessário fazer uma triagem: eliminavam a metade e só a outra metade poderia concorrer.
As cores estavam espalhadas por todos os morros, centros e bairros. As capitais estavam todas coloridas de verde e branco.
As fotos do candidato estavam dependuradas até em árvores, nas porteiras. Outdoors gigantes espalhados pelos prédios abaixo. Em todos os muros foram desenhados as imagens do partido. Não sobrou espaço para nenhum outro, que estavam encolhidos mediante o gigantismo daquele candidato. Todas as maneiras de propaganda foram utilizadas.
O símbolo era uma mão segurando a outra sobre um fundo verde e branco.
Inventaram milhões de insinuações de que o desenho tinha duas pistolas de cano longo, uma suástica etc. etc.
Milhões de bandeirinhas, bandeiras e bandeirões, bem como faixas de todos os tamanhos circulavam nas mãos de crianças, jovens e velhos.
Muitas mulheres foram arregimentadas para trabalhar como batalhão de frente. Os velhinhos estavam ganhando muito bem distribuindo santinhos por todo lado.
As escolas públicas e privadas, ávidas por algumas verbas a mais, promoviam debates imitando os candidatos e o jovem sempre ganhava de todos.
As grandes empresas estavam todas com aquele candidato apesar de distribuir doações para todos.
Os candidatos a Governadores, Senadores, Deputados Federais e Estaduais daquele partido estavam muito bem colocados. Onde aparecia as cores verde e branco tudo ia de vento em popa, em todos estados.
De Norte a Sul aquele partido ia vencendo a olhos vistos. Não faltavam eleitores, todos muito empolgados.
As urnas eletrônicas passaram por uma revisão. Agora não precisava nem de título eleitoral. Bastava a pessoa colocar o indicador no visor e os seus dados apareciam na tela.
Marcar o candidato ficou mais fácil ainda, por todos os lados tinham as fotos e os números.
Aquela besteira de proibir Showmício acabou. Por todo canto havia um candidato divulgando os seus textos e pensamentos.
Na TV, o prazo da União Renovadora Nacional – URNA era o maior devido as inúmeras coligações.
Os eleitores estavam muito bem tratados. Todos os dias recebiam bolsas, camisas, bonés e até dinheiro devidamente colocado num envelope branco. Sem contar os alimentos, que agora estavam mais baratos. Algumas cestas tinham até carne de primeira e papel higiênico.
Tanto candidato dando as coisas que estava difícil atravessar a rua. Pequenos brindes estavam espalhados em cada esquina, era só o eleitor apanhar.
Em cada casa tinha uma bandeira, nos prédios os bandeirões. Nas mãos das crianças as bandeirinhas.
Adesivos nos carros, placas nos quintais e nas esquinas, de todos tamanhos e gostos.
O dia 15 de novembro estava chegando, a vitória estava próxima.
Houve alguém que até disse que este candidato seria o “divisor de águas,” nunca ninguém fizera uma campanha eleitoral igual a esta.
Toda a eleição decorreu na maior tranquilidade.
Só aconteceu um caso muito interessante: um pequeno povoado com mil e poucos eleitores teve mais votos que habitantes.
Manoel Amaral
O JOVEM CANDIDATO II
“No meio de um povo geralmente corrupto a liberdade não pode durar muito.”
 Edmund Burke

Imagem Google
Não precisava nem contar os votos, todos sabiam que aquele candidato ia ganhar mesmo, a chuva de votos foi tão grande que ninguém acreditou. Ele foi eleito com mais de 80% dos votos. Os outros candidatos pegaram uns 15% e 5% para os votos nulos ou brancos.
A oposição não conseguiu fazer quase nenhum candidato.
Eleito e tomado posse, o jovem presidente foi logo tomando as providências para fazer um bom governo.
Primeiro diminuiu o número de Ministros. Convidou só homens gabaritados para os cargos e não esqueceu os pequenos partidos.
A primeira medida que tomou foi um alvoroço total: foram abolidos todos os incentivos fiscais e bolsas.
Agora as empresas deveriam competir com os produtos internacionais.
Os bolsistas deveriam fazer o mesmo, arranjar um emprego para pagar os estudos.
Outros benefícios de qualquer espécie foram acabando. Os que vivam na mamata, sugando os cofres da nação, foram ficando preocupados.
As ONGs receberam uma comunicação que para receber novas verbas federais deveriam comprovar o uso das anteriores.
A metade fechou, espontaneamente, as portas. Não tinham meios de comprovar todas as despesas. O dinheiro público tinha ido para o ralo.
Era tudo tão prático que diminuiu as saídas e aumentou as entradas de dinheiro.
Alguns impostos foram abolidos e outros tiveram as alíquotas rebaixadas, isto seria o novo incentivo para todos, não para determinados grupos.
O maior problema foi quando ele resolveu fiscalizar as obras das grandes empreiteiras, negar alguns empréstimos para grandes empresas e fiscalizar as licitações marcadas.
As empreiteiras, os canais de TV, as grandes revistas, os grupos sugadores trabalharam em surdina e começaram a montar um esquema para derrubar o jovem Presidente.
Pegaram um motorista que trabalhava no grupo presidencial, uma faxineira, montaram um falso filme sobre sexo e suborno.
Coitado do político, as manchetes das revistas e jornais só publicavam aquilo.
O povo é ingrato, é como folha de bananeira, vira de acordo com o vento. Não esperaram o resultado, o condenaram antes de o processo terminar. Foram todos contra ele.
Foi retirado do governo através de Impeachment. 
Grandes cartazes foram espalhados por todo lado: “O povo coloca o povo tira.”  
Os canais de TV filmavam uns dez manifestantes e replicavam transformando-os em mil, dez mil, fazendo crer que aquilo era no país inteiro.
O povo como sempre, foi manobrado e enganado, em favor de grupos.
Caiu o jovem Presidente da URNA – União Renovadora Nacional, outros bandidos tomaram conta do poder e tudo continuou com antes naquela republiqueta.
Manoel Amaral

DIA DA ÁGUA

Imagem Google

“3 Tendo pois ali o povo sede de água, o povo murmurou contra Moisés, e disse: Por que nos fizeste subir do Egito, para nos matares de sede, a nós e aos nossos filhos, e ao nosso gado?
4 “E clamou o Moisés ao Senhor, dizendo: Que farei a este povo? Daqui a pouco me apedrejará.”
5 Então disse o Senhor a Moisés: Passa diante do povo, e toma contigo alguns dos anciãos de Israel; e toma na tua mão a tua vara, com que feriste o rio, e vai.
6 Eis que eu estarei ali diante de ti sobre a rocha, em Horebe, e tu ferirás a rocha, e dela sairão águas e o povo beberá. E Moisés assim o fez, diante dos olhos dos anciãos de Israel.
7 E chamou aquele lugar Massá e Meribá, por causa da contenda dos filhos de Israel, e porque tentaram ao Senhor, dizendo: Está o Senhor no meio de nós, ou não? (Êxodo, 17.3-7)”
E nos dias de hoje o povo pede água ao Governador e diz: “Por que nos fizeste descer do Nordeste, para nos matares de sede, a nós e aos nossos filhos e aos nossos animais?”
E clamou o Governador a Presidenta, dizendo: “Que farei a este povo? Daqui a pouco vem a eleição e me apedrejará.”
Então disse a Presidenta ao Governador: “Passa diante do povo, e toma contigo alguns dos políticos mais velhos do estado e a ministra do meio ambiente; e traga a perfuratriz, com que ferirá o fundo do Sistema Cantareira, e vai.”
“Eis que eu estarei ali diante de ti, no Vale da Paraíba, a perfuratriz ferirá a rocha, e dela sairão águas e o povo beberá.” E o Governador assim o fez, diante dos olhos dos anciãos da política do estado. (Êxodo Adaptado)
Foi o que aconteceu, uma obra que era para ter se realizado há dez anos não foi feita: diziam que ficaria muito cara.
Só que a população agora é muito maior, cerca de 11 milhões na capital.
A água faltando em quase todos os bairros e o Sistema Cantareira cada abaixa o nível. Como popularmente dizemos: “Está no fundo do poço.”
Fala-se na abertura de um “novo canal de 15 km que interligará o Sistema Cantareira à Represa de Igaratá, no Vale do Paraíba.”
Parte dos “consumidores serão abastecidos pelo Cantareira na capital paulista para os Sistemas Alto Tietê e Guarapiranga.”
O medo é que a “falta d’água possa se estender até às vésperas do início da Copa do Mundo de Futebol.” E o povo não entende e continua lavando carro e calçada com mangueira.
O Governo tem medo que isto tudo possa refletir na sua campanha eleitoral.
Já se anuncia um “investimento de R$ 80 milhões para explorar os cerca de 400 milhões de metros cúbicos armazenados nos fundos dos reservatórios.” É o tal de volume morto.
Mas veja só que ironia: por estes dias os cientistas da Universidade de Penn State e outras instituições,detectaram água na atmosfera de um planeta fora do nosso Sistema Solar que possui a massa de Júpiter e que orbita a estrela próxima Tau Boötis.
– DIA DA ÁGUA, 22 DE MARÇO
Manoel Amaral
Fonte: Bíblia – Êxodo, 17.3-7
Jornal  Estadão

Galeria do Meteorito

ACIDENTES COM AMBULÂNCIAS

ACIDENTES COM AMBULÂNCIAS

Imagem Google
“Ambulância é um veículo que roda muito e, assim, ele tem que ser substituído com certa brevidade.” Governador de Minas Antonio Anastasia
Três acidentes com ambulâncias aconteceram nestes dias, que me chamaram a atenção: um dia 17 deste, outro dia 21 e o último dia 22 de janeiro.
No primeiro um idoso de 82 anos faleceu. Foi quando uma ambulância bateu numa retroescavadeira em Franca (SP).
O segundo  o veículo público vinha de Nova Timboteua, no nordeste paraense, transportando sete pessoas, colidiu com um carro particular, partindo a ambulância ao meio, em Castanhal, (PA), seis ficaram feridos.
O último, do dia 22, ambulância da Prefeitura de Curitiba e um veículo Nissan se envolverem em um acidente, o paciente que era levado para exames de rotina no Hospital de Clínicas e o motorista ficaram feridos.
As ambulâncias do país inteiro estão em péssimas condições, e continuam rodando. A maioria dos Municípios não tem dinheiro para adquirir novos veículos. Esperam que o Governo Estadual faça essas doações, o que as vezes demora muito. Estão elas por aí, colocando em risco a vida das pessoas.
Um paciente nos informou que a ambulância em que viajava “não tinha nem marcador de gasolina, fora outras coisas graves como freios, pneus carecas, ferrugens e resto da lataria fazendo muito barulho”
Sei muito bem como são essas coisas, moro próximo a um hospital aqui na minha cidade e que recebe pacientes de vários municípios da região.
Os motoristas reclamam que quase sempre dormem pouco e têm que dobrar o horário, não existem substitutos.
São muitos os pacientes, em lugares diversos, inclusive na zona rural, que devem ser atendidos.
A rotina diária começa as três, quatro ou cinco da manhã e termina só lá pelas oito, nove ou dez da noite. Trabalho bem pesado.
Enfrentando todo tipo de dificuldade, até na alimentação (comem muito mal).
Estradas esburacadas, pneus carecas, veículos muito velhos, motores sempre falhando e percorrendo diariamente longas distâncias.
Em época de chuvas tudo piora, as estradas rurais ficam intransitáveis.
E ainda estão transportando pacientes, que as vezes tem que deslocar-se de sua cidade, duas vezes por semana para fazer hemodiálises ou tratamento de câncer.
A área de saúde está falida. Pode ser que melhore, esse ano teremos copa e eleições…
Manoel Amaral
Fonte:

Ambulância da Prefeitura com pacientes se envolve em acidente e .

Porto Noticias – http://www.jnmt.com.br

CORPO FECHADO – I

CORPO FECHADO


Signum Crucis.. In nómine Patris et Filii et Spíritus Sancii. Amen.                                            (Sinal da Cruz em Latim)

Acostumado que estava de andar sempre a cavalo, sentia-se meio desajeitado ao lado daquela linda mulher loura, naquele carro novo, uma BMW preta, que comprara só para aplicar o dinheiro que vinha recebendo.

Deu umas voltas pelas ruas, chamou a atenção de todos, estava querendo mesmo se exibir, coisa que não fizera em toda a sua vida.

Queria enfrentar o Sistema, ser maior que o Chefe de Estado.

O Governador estaria naquela pequena cidade para um rápido discurso. O sistema de segurança era muito grande. Do palanque até a igreja tinha uma batalhão de soldados e outros tantos disfarçados de civis.

No alto do principal prédio da praça três atiradores de elite verificavam as ruas, bares, carros e tudo que girava em torno daquele espaço delimitado pela passagem do político famoso e odiado.

Um rumor surgiu no meio dos homens da segurança: ele está aqui na cidade. Os homens concentraram-se em torno da grande figura.

Prefeito recebendo palmas pelo grande feito de levar o governador até aquele rincão.

Era sexta-feira da paixão, dia 2, um ar de tragédia estava pairando sobre aquelas cabeças.

O povo em festa, nem prestava atenção aos fatos que já começavam a desenrolar.

Um carro desceu mais rápido, um pneu estourou, os homens entenderam que era um tiro, o sinal para começar o tiroteio.

A BMW, com o teto solar aberto, descia e contornava a praça da igreja.
Um dos seguranças gritou:
— É ele! É ele!
Lá de cima do prédio três tiros foram ouvidos, cá em baixo uma confusão foi estabelecida. Ninguém estava entendendo nada.

O Governador já estava no palanque falando das verbas que liberara para aquele município. Um guarda pulara sobre ele e esconderam-se por trás da mesa. E foi retirado em segurança, para outro local.

Do carro desceu Gemiro, o temido pistoleiro, subiu as escadarias da igreja e caiu logo na entrada.

Algumas mulheres conhecendo a figura saíram em disparada pela rua abaixo.
De bruços e com a mão direita fechada, sem nenhum sangue derramado, serviu de curiosidade para muitos, que foram chegando de mansinho.

O médico foi chamado e foi constatado: ele morrera de ataque cardíaco.
Quanto ao seu carro sumira dali. Ninguém mais viu o veículo.

Parecia coisa do outro mundo. Gemiro morto, corpo estendido dentro da igreja.

Uma missa ia ser celebrada, agora com corpo presente. O caixão, as flores e toda arrumação já estavam pagas há um mês.

Na igreja o sacristão verificou que havia trinta missas pagas por uma única pessoa: Gemiro.

O corpo foi preparado ali mesmo na entrada e o caixão colocado entre os bancos.

O povo começou a chegar e o Governador não pode esperar, partiu para outros compromissos.

Mariazinha, muito devota, começou logo um terço que não tinha fim.

Alguns passavam, olhavam, estremeciam e sentavam-se bem longe.

A missa terminou e o velório continuou mesmo ali, ninguém quis ou não teve coragem de removê-lo para outro lugar.

Na manhã seguinte o féretro iniciou-se, o cemitério era ali por perto.

Estranhamente uma cova já estava aberta, encomendada por um desconhecido, na noite anterior.

O Coveiro, antes de descer o corpo, quis saber o que tinha na mão fechada: abriu-a e assustou-se.

Na sua mão direita, queimada pela pólvora, uma bala disparada por qualquer um daqueles hábeis seguranças.

Manoel Amaral