AS AVENTURAS DAS DUAS JOVENS

AS AVENTURAS DAS DUAS JOVENS

A primeira era uma conceituada Advogada na região.

A segunda uma simples gari da Prefeitura local.

As duas eram vistas sempre conversando e nos finais de semana a segunda era vista na casa da primeira fazendo serviços de faxina.

Numa reviravolta do destino a segunda conseguiu ganhar o prêmio máximo da Mega-Sena da Virada.

Aparentemente a Advogada se envolveu com traficantes e acabou presa. Ela dizia que era inocente.

Agora Magali estava por cima e Cristine por baixo na roda da vida.

Mas mesmo na prisão ela, a Cristine, a Advogada, conseguia burlar a portaria e saia para fazer pequenos passeios pela cidade.

Num deles encontrou a ex-gari, agora com a grana toda, num bar, a tomar só Whisky e outras bebidas caras.

Ela contou a amiga que estava desfrutando muito bem do prêmio que ganhou. Comprara vários imóveis, um carro importado, fizera doação para uma entidade que cuidava de presos e que realmente precisava.

A outra contou os problemas por que passava e achava que haviam “armado” alguma coisa contra ela. Nunca se envolvera com traficantes, sua área era a trabalhista, sem vínculo algum com a outra classe.

A milionária naquele vidão que pediu a Deus, levantando tarde, comendo do bom e do melhor. Não tinha acostumado era viver sempre com dois guarda-costas no seu pé. Mudou-se para uma fazenda de criação de peixes onde havia várias lagoas naturais e cachoeiras por todo lado.

Magali contratou um bom Advogado para defender a amiga. E acabou descobrindo a origem de tudo. Era um cara que um dia a convidou para sair e ela recusou. Aí já encontraram drogas no seu carro e em sua casa, assim de uma hora para outra. Cada vez piorando a sua situação perante a justiça.

Provas testemunhais e câmaras de seguranças filmaram alguns elementos colocando coisas estranhas no seu veículo. Os mesmos foram flagrados pulando o muro de sua residência.

Mediante estas provas e o bom comportamento da presa, esta foi solta e continuou o seu trabalho e cada vez mais se tornando uma brilhante Advogada, chegou até a receber uma medalha do Governo do Estado.

Já a segunda, a ex-gari agora milionária, vários problemas aconteceram, o mais recente foi um sequestro, onde os bandidos exigiam vários milhões de reais para soltá-la, mas com a intervenção de Cristine, a polícia acabou pegando os sequestradores sem nenhum pagamento.

Mas os problemas não pararam por aí, o IBAMA multou a milionária por estar usando as lagoas para criação de peixes exóticos e corte de árvores para construções em sua fazenda.

Outra vez Cristine entra em ação e a salva de maiores problemas.

Agora a que enfrentava problemas era a Advogada: um cliente antigo recebera uma indenização e reclamava que os honorários recebidos eram muito altos. Mas tudo estava no contrato.

A ex-gari, milionária, Magali, resolveu fazer uma viagem para o Egito. Não gostou dos camelos fedorentos e nem do Hotel. Criou problemas com a direção.
 Quando souberam que era a mais nova milionária brasileira, satisfizeram todas as suas vontades.

Só visitava as pirâmides numa Hilux do ano e assessorada por uma equipe que ia mostrando tudo para a ilustre visitante.

Entediada por tudo aquilo, resolveu viajar para Austrália a fim de conhecer as suas belezas e os famosos cangurus.

Foi de moto até o deserto de Atacama, no Chile e pode perceber a beleza da noite naquele local que há muito tempo não cai uma gota d’água.

Passou por Argentina, quando falaram para ela que fazia parte do programa visitar o famoso Cemitério, onde estavam enterrados grandes personalidade do País, ela disse que não. Iria para outras bandas: num bar onde apresentariam os dançarinos de tango.

Chegando a Foz do Iguaçu ficou encantada com a beleza daquelas águas caindo nas cataratas.

Quando tudo parecia perdido para as duas amigas, refugiaram-se num Motel e foram as duas para a cama.

Manoel Amaral

www.afadinha.com.br

11 DICAS PARA SOBREVIVER NA INTERNET

11 DICAS PARA SOBREVIVÊNCIA NA INTERNET

Imagem Google

1 – A principal, verifique a procedência. Não fique postando textos ou imagens de outros autores sem antes analisar muito bem. Coloque sempre o nome do autor.

2 – Leia e corrija os textos que anda postando, todo mundo está de olho.

3 – Lembre-se que uma postagem é para sempre! Só através de processo judicial o Facebook apaga o que te prejudica. Mesmo assim fica muita coisa nos arquivos dos inimigos.

4 – Pese muito bem o que vai publicar, use a lei das “Três peneiras”. Não vou mostrar isso, você deverá encontrá-la.

5 – Não publique nada que possa prejudicar alguém.

6 – Não responda a comentários maliciosos. Conhece aquela? B(*)ta quanto mais mexe mais fede.

7 – Em hipótese alguma publique fotos de pessoas nuas ou em posições desagradáveis. Você já sabe muito bem o que vai acontecer.

8 – Pare de postar, partilhar, curtir ou abrir estes vídeos idiotas, sem graça nenhuma e talvez esteja até transmitindo vírus. A moda agora é publicar vídeo de brigas nas escolas.

9 – Agora que vamos iniciar a Campanha Eleitoral, lembremo-nos da Lei do Marco Civil e a Legislação Eleitoral. Você não conhece? Então vá pesquisar, não vou facilitar nada para você. Depois se pegar “uma cana”, não diga que não avisei.

10 – Não fique clicando por todo lado, comentando o que não entende. Poderá arrepender-se amargamente mais tarde.

11 – Coisas gratuitas, principalmente e-books? Saia fora, eles querem é pegar o seu e-mail e depois vai virar uma “sarna para se coçar” até o fim de seus dias.

Esta lista pode aumentar, faça o seu comentário e acrescente mais uma.

Manoel Amaral

(Nestes vocês podem clicar!)

OSVANDIR E O GOLPE DO ACIDENTE

“Não tenha medo de tentar nem se culpe
quando fizer algo que não dê certo.”
(Luiz Gasparetto)
Há uns dez anos aconteceu um fato muito interessante em Belo Horizonte, capital de Minas.

Aqueles ônibus loucos, aquelas obras inacabáveis, carros velhos e novos buzinando a todo momento, motos por todo lado, tudo contribuindo para que cada dia o trânsito ficasse cada vez pior.

Osvandir descia lá do alto da Avenida Afonso Pena, com intenção de pegar a Avenida Amazonas e vir para sua terra, mas antes pode observar um fato muito esquisito.

Viu um homem de meia idade, atravessar uma rua em disparada, não deu tempo do motorista da Kombi parar e o infeliz bateu com o corpo todo na lateral direita do veículo, provocando um grande amasso na lataria.

Até aí tudo bem, mais um acidente naquele conturbado trânsito.
Engano, aquilo gerou um rumoroso processo judicial.

O motorista ficou receoso de que o pedestre solicitasse algum valor de indenização na justiça e antes que isso acontecesse pediu a um advogado que preparasse uma Ação de Indenização por Perdas e Danos, contra o infeliz.

Como a justiça é morosa, gastou alguns meses para o Senhor Jairzinho ser citado para a audiência. Achou muito interessante, pois não devia nada a ninguém. Leu a documentação entregue pelo Oficial de Justiça, mas não entendeu muito bem.

Na petição o Advogado fazia uma série de alegações e munido da perícia concluía que o pobre do pedestre havia atropelado o veículo e requeria danos morais e materiais.

Aquele processo serviu de gozação no Fórum local, mas o fato é que ele seguia os trâmites legais.

No dia da audiência, o MM. Juiz notando a pobreza do indivíduo e a malícia do autor, propôs um acordo: o autor pagaria as custas e o advogado, o réu comprometeria perante todos que não reclamaria qualquer tipo de indenização no futuro.

Ambos satisfeitos, declarou-se encerrado mais um processo na primeira audiência.

Tudo estaria esquecido se não fosse uma conversa que Osvandir ouviu, por acaso, depois da audiência:

__ Você conseguiu sair de mais essa, não é mesmo Jairzinho?
__ É, eu errei o cálculo, a minha velocidade não deu para cair na frente do veículo, aí bati na lateral.
__ Como é mesmo esta história? Perguntou Osvandir.
__ O Jairzinho já vinha planejando este acidente há tempos, com a intenção de pedir indenização. Acontece que ele não foi feliz no golpe…
– informou um amigo.

Osvandir saiu dali sem saber quem era o mais esperto, se o motorista ou o atropelado.

MANOEL AMARAL