MEGA SENA DE SÃO JOÃO

MEGA-SENA DE SÃO JOÃO

“A vida é uma loteria gigante, da qual só se vêm os ganhadores.” Fran Lebowitz
Osvandir estava pensativo, triste e sem palavras, mais uma Mega-Sena de São João e nada.

Antes estudou vários números, fez combinações, consultou a numerologia, avaliou bolões, marcou alguns pontos e sonhou: desta vez vou ficar rico!

Mas o jogo só trás benefício para a caixa (Governo); vejam só este resultado: foram distribuídos em prêmios apenas R$ 40.781.877,95.        
Dizem que 54% da renda dessa loteria são destinadas “ao custeio de diversos programas sociais.”

Nunca vi prestação de contas da Caixa ou de nenhuma dessas entidades.

Em nosso país existe um rolo compressor direto para a corrupção, tudo encobre e tudo arrecada em favor de um grupo do poder.

Fazer bolão é besteira, vejam só o caso da maioria, um senhor fez uma única aposta, de R$2,50 e levou um prêmio de R$65.823.888,16.

É bom lembrar que o rateio é o maior que já houve até agora.


Caro leitor, não se iluda, vá trabalhar, sonhar com os milhões é até bom, mas a realidade é outra. Muito difícil ganhar, veja só o percentual: existem “50.063.860 (cinquenta milhões sessenta e três mil oitocentos e sessenta) modos diferentes de se escolher os seis números de 1 a 60, ou seja: 0,000002% de chances de acertar.”

Então, respire fundo, pegue a enxada, a caneta, a mochila, o computador ou qualquer outro instrumento de trabalho e comece a trabalhar. É mais fácil ficar rico com o seu trabalho do que ganhar na Mega-Sena ou qualquer outro jogo da Caixa!

Manoel Amaral

AS AVENTURAS DAS DUAS JOVENS

AS AVENTURAS DAS DUAS JOVENS

A primeira era uma conceituada Advogada na região.

A segunda uma simples gari da Prefeitura local.

As duas eram vistas sempre conversando e nos finais de semana a segunda era vista na casa da primeira fazendo serviços de faxina.

Numa reviravolta do destino a segunda conseguiu ganhar o prêmio máximo da Mega-Sena da Virada.

Aparentemente a Advogada se envolveu com traficantes e acabou presa. Ela dizia que era inocente.

Agora Magali estava por cima e Cristine por baixo na roda da vida.

Mas mesmo na prisão ela, a Cristine, a Advogada, conseguia burlar a portaria e saia para fazer pequenos passeios pela cidade.

Num deles encontrou a ex-gari, agora com a grana toda, num bar, a tomar só Whisky e outras bebidas caras.

Ela contou a amiga que estava desfrutando muito bem do prêmio que ganhou. Comprara vários imóveis, um carro importado, fizera doação para uma entidade que cuidava de presos e que realmente precisava.

A outra contou os problemas por que passava e achava que haviam “armado” alguma coisa contra ela. Nunca se envolvera com traficantes, sua área era a trabalhista, sem vínculo algum com a outra classe.

A milionária naquele vidão que pediu a Deus, levantando tarde, comendo do bom e do melhor. Não tinha acostumado era viver sempre com dois guarda-costas no seu pé. Mudou-se para uma fazenda de criação de peixes onde havia várias lagoas naturais e cachoeiras por todo lado.

Magali contratou um bom Advogado para defender a amiga. E acabou descobrindo a origem de tudo. Era um cara que um dia a convidou para sair e ela recusou. Aí já encontraram drogas no seu carro e em sua casa, assim de uma hora para outra. Cada vez piorando a sua situação perante a justiça.

Provas testemunhais e câmaras de seguranças filmaram alguns elementos colocando coisas estranhas no seu veículo. Os mesmos foram flagrados pulando o muro de sua residência.

Mediante estas provas e o bom comportamento da presa, esta foi solta e continuou o seu trabalho e cada vez mais se tornando uma brilhante Advogada, chegou até a receber uma medalha do Governo do Estado.

Já a segunda, a ex-gari agora milionária, vários problemas aconteceram, o mais recente foi um sequestro, onde os bandidos exigiam vários milhões de reais para soltá-la, mas com a intervenção de Cristine, a polícia acabou pegando os sequestradores sem nenhum pagamento.

Mas os problemas não pararam por aí, o IBAMA multou a milionária por estar usando as lagoas para criação de peixes exóticos e corte de árvores para construções em sua fazenda.

Outra vez Cristine entra em ação e a salva de maiores problemas.

Agora a que enfrentava problemas era a Advogada: um cliente antigo recebera uma indenização e reclamava que os honorários recebidos eram muito altos. Mas tudo estava no contrato.

A ex-gari, milionária, Magali, resolveu fazer uma viagem para o Egito. Não gostou dos camelos fedorentos e nem do Hotel. Criou problemas com a direção.
 Quando souberam que era a mais nova milionária brasileira, satisfizeram todas as suas vontades.

Só visitava as pirâmides numa Hilux do ano e assessorada por uma equipe que ia mostrando tudo para a ilustre visitante.

Entediada por tudo aquilo, resolveu viajar para Austrália a fim de conhecer as suas belezas e os famosos cangurus.

Foi de moto até o deserto de Atacama, no Chile e pode perceber a beleza da noite naquele local que há muito tempo não cai uma gota d’água.

Passou por Argentina, quando falaram para ela que fazia parte do programa visitar o famoso Cemitério, onde estavam enterrados grandes personalidade do País, ela disse que não. Iria para outras bandas: num bar onde apresentariam os dançarinos de tango.

Chegando a Foz do Iguaçu ficou encantada com a beleza daquelas águas caindo nas cataratas.

Quando tudo parecia perdido para as duas amigas, refugiaram-se num Motel e foram as duas para a cama.

Manoel Amaral

www.afadinha.com.br

MEGA-SENA DA VIRADA

Duas pulgas conversando:
— O que você faria se ganhasse na Mega-Sena da Virada?
A amiga responde, com ar de sonhadora:
— Ah… Eu compraria um cachorro só pra mim!

Osvandir começou a comprar os bilhetes da Mega-Sena da Virada, desde o dia 15 de dezembro.

Tudo parecia que dar certo. Jogou nas dezenas: 10, 20, 30, 40, 50 e 60. Sabia que muita gente iria fazer isso, não importava, se ganhassem todos seriam felizes.

Marcou um cartão com um jogo sonhado, outro por pura intuição e outro de acordo com as idades dos sobrinhos e pais.

Remexeu no bolso ainda sobrara alguns reais; fez mais dois jogos diferentes, marcou os extremos e centro do cartão: 01, 10 – 51 e 60, além de ir para o 25 e 36, depois repetiu os mesmos números dos extremos em outro cartão, alterando somente os números do centro passando para 26 e 35.

Jogou um cartão com os números do seriado da TV, LOST: 4, 8, 15, 16, 23 e 42. Fez outra seqüência com estes números: 48, 41, 51, 52, 34 e 26. Jogou também, como não poderia faltar, nos números derivados de 2010 e 2011: 01, 20, 21, 10, 22, 11.

As datas de nascimento da família, da namorada, tudo serviu para palpite de jogo.

O número da casa, do telefone, do celular e assim por diante.

Agora era só esperar. O dia 31 de dezembro chegou, 20 horas seria o sorteio. O tempo não passava, a aflição era muito grande.

Andou pra lá e pra cá dentro de casa, não deu. Resolveu fazer uma caminhada para relaxar. Passou na porta da Casa Lotérica, antes das 14 horas e a fila era enorme. Pensou: __ Ainda bem que fiz meu jogo por antecipação. Foi um cartão por dia, até ontem.

Aproximando-se das 17 horas e a TV a todo instante fazia chamadas dizendo o valor do prêmio, cerca de R$200.000.000,00 (duzentos milhões de reais), o maior prêmio já pago pela Mega-Sena. O que fazer com tanto dinheiro?

Começou a pensar: __ Primeiro sumiria por uns dois meses, para fugir da mídia, iria pescar no Pantanal e viajar para Itália e Portugal a fim de conhecer os antepassados da família “Vieira Nicolai”.

Os 200 milhões, depositado na caderneta de poupança, (juros de 0,5228%, 31 de dezembro, o pior índice dos últimos tempos desde 1967) renderia cerca de 1,15 milhão de reais por mês. Este valor mensal é maior que o badalado prêmio do BBB por muitos anos.

Para se ter uma ideia, este prêmio daria para comprar 8 mil carros populares ou 40 mil motocicletas de 125cc. Mas se quisesse investir em imóveis, poderia comprar dez edifícios inteiros, cada um com 20 andares e 4 apartamentos por andar ou centenas de casas populares.

Tentou tomar um cafezinho, a mão tremeu, o café caiu na camisa branca da virada do Ano Novo. Nem importou, o seu sentido estava no resultado da Loteria.

Não enxergava mais nada, uma tinta preta escorrera dentro de seu cérebro, por entre os neurônios, apagando tudo. Os seus pensamentos eram apenas uma fumaça negra. Tentou usar o computador e não conseguiu nada.

Foi ver alguns filmes na TV a cabo, não conseguiu. Nem a Play Boy atraiu a sua atenção.

O tempo não passava, os segundos eram horas; os minutos dias e as horas meses. Tudo arrastando numa lentidão sem fim.

Os foguetes começaram a estourar, não sei se pela Mega-Sena ou pela passagem de ano. 2011 seria muito bom para todos, número impar, final de um, somando os números daria 4 e quatro na numerologia representa estabilidade e fidelidade. Simboliza as quatro estações do ano, os elementos e as pontas dos compassos. Este seria mesmo um ano de sucesso para muitos.

Pegou os bilhetes, ficou olhando-os, aqueles números cresciam, viravam miragens, castelos de areia e desapareciam.

Chegou a hora, saiu, agora eletronicamente, o primeiro número: houve um acerto. O segundo: também acertou. O coração estava saindo pela boca. Saiu o terceiro número e houve na sala borbulhar, havia acertado!

Uma pequena pausa no sorteio, para acalmar os jogadores e aumentar o suspense. O Ibope da TV foi às alturas. A internet ficou totalmente congestionada. Foi sorteado o quarto, nem precisava dizer, ele acertou.

Começou a passar mal, as pernas amoleceram, ficou vermelho que nem um peru. A quinta bolinha desceu correndo pela tubulação transparente da máquina eletrônica e caiu naquela mesinha. Apareceu na tela da TV e ele acertou.

O sexto número fez a mesma trajetória e a máquina vomitou-o naquela mesa transparente. Houve um hôôô!!! A bolinha quase caiu no chão de tanta emoção dos que extraiam da máquina aquele resultado.

Daí em diante, na TV, nos Rádios e as conversas nas ruas, só falavam naquilo. Muitos milhões nos bolsos de alguns e outros a ver navios.

Manoel Amaral

www.osvandir.com.br

O CASSINO DO GOVERNO FEDERAL



O jogo (em cassino) no Brasil é proibido, já as loterias são liberadas e veja só a quantidade de jogos que já temos, sem contar as outras raspadinhas e os bilhetes da federal e os estaduais.
É uma jogatina só. Se o pobre tem R$2,00 vai correndo a lotérica mais próxima e faz uma “fezinha” na Mega Sena.
Jogo do bicho nem se fala mais, foi ultrapassado, coisa de pobre, que confia em tudo.
Tinha uma que eu gostava muito era Loteria Esportiva, mais conhecida por Loteca. Gostava de ver na televisão a zebrinha falar: –Deu zebra! Conhecida desde a década de setenta. E aqueles cartões perfurados, muita gente tentava fraudar, cortando com gilete.
Abaixo a arrecadação da Caixa com a jogatina:
Em 2007, R$ 5,2 bilhões,
Em 2008, R$ 5,8 bilhões ,
Em 2009, R$ 7,3 bilhões,
Em 2010, R$ 8,8 bilhões,
Em 2011, R$ 9,7 bilhões,
Em 2012, R$10,4 bilhões,
Em 2013, R$ 11,4 bilhões.
Calculem bem: 11, 4 bilhões, é muito dinheiro, que é esparramado para todo lado. Tem fiscalização nisso tudo?
Há alguns anos tentaram montar uma CPI, mas acho que não deu em nada, nunca mais ouvi falar no assunto. Foi abafada, com certeza!
Urgentemente é preciso que alguém cobre seus deputados e senadores para instalar nova CPI das loterias da Caixa.
Não é preciso acreditar naquelas lendas bobas da internet que dizem: Uma única pessoa ganhou 550 vezes na loteria esportiva.”
Ou outra que diz: “que ganhou 107 vezes, outro que ganhou 327 vezes e outro que ganhou 206 vezes. Todos esses casos são escabrosos
E tem a pior de todas: cidadão que ganhou 107 vezes no mesmo dia, em sete modalidades de loteria, em vários estados diferentes da Federação”.
Na época dos Anões do Orçamento, fins da década de oitenta, tinha o tal de João Alves que ganhava toda semana nas loterias.
Os envolvidos roubaram mais de R$ 100 milhões públicos, com esquemas de propina, para favorecer governadores, ministros, senadores e deputados. “ Wikipédia
“Liberavam para as empreiteiras a inclusão de verbas orçamentárias para grandes obras, em troca de polpudas comissões.”
Para lavagem do dinheiro o dito João Alves dizia que havia ganhado na loteria. Na realidade ele comprava bilhetes premiados.
O deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ), em maio de 2013,  disse que “os jogos da Caixa Econômica Federal estão sendo utilizados para lavagem de dinheiro.
O Senador Álvaro Dias também já fez denuncias a respeito de fraudes nas loterias da Caixa, podendo ser verificado no vídeo abaixo.
O TCU apontou: falhas e demonstrou a necessidade de aprimorar os procedimentos de controle do sistema de loterias, com vistas a coibir a prática de lavagem de dinheiro.”
Agora vem a Copa do Mundo em Junho e podem ter certeza, novos tipos de jogos vão ser explorados, inclusive pela internet.
Manoel Amaral
www.casadosmunicipios.com.br
Fonte: Jornal do Brasil
Wikipédia
https://www.youtube.com/watch?v=3XWuKkUuF_U

O HOMEM DOS DEZ MILHÕES DE DÓLARES

O HOMEM DE 10 MILHÕES DE DÓLARES

Imagem Google

01 – 08 – 17 – 44 – 46 – 53

Atravessei a semana passada com um pensamento na cabeça: — O que terá acontecido com o homem ou mulher que ganhou 23 milhões de reais na Mega-Sena em Julho deste ano?

Os números sorteados foram: 01 – 08 – 17 – 44 – 46 – 53, o desaparecido acertou sozinho os seis números sorteados pelo concurso 1510 da Mega-Sena, no dia 10 (quarta-feira), no mês de julho passado, valor do prêmio: R$22.933,056,04.

Só de juros ele já perdeu mais de R$300 mil reais.

Ele ou ela é de Ponta Grossa/PR, Campos Gerais e fez a aposta na casa lotérica localizada na galeria de um edifício no centro de Ponta Grossa e nem conhecemos o nome a Lotérica.

O que teria acontecido como o feliz/infeliz ganhador (a)?

As conversas fiadas aumentaram nas cidades, nos postos de gasolina dizem que ele morreu atropelado.

Nas Lotéricas dizem que ele foi sequestrado ou tudo foi orquestrado, mais um golpe publicitário para mais vendas no fim do ano com a Mega-Sena da Virada.

Mas as conversas fiadas e à vista, continuaram: — Ele morreu do coração e a família não quer falar nada porque até hoje está procurando o bilhete.

A conversa mais repetida é de que ele não morasse no município; mas que bobagem, ele poderia receber o prêmio em qualquer agência da cidade em que estivesse.
O interessante que pouca gente sabe que a aposta simples na Mega-Sena tem apenas uma chance em 50 mil de acertar as seis dezenas do concurso e ele fez uma aposta destas.

“Dizem que a mulher dele lavou a calça com o bilhete no bolso e o bilhete se desmanchou na água”.

Outros acham que ele nem sequer soube que fez a aposta premiada, isto pode ser verdade, de janeiro a julho deste ano, registrou-se um total de R$ 137,8 milhões em prêmios prescritos em vários concursos e modalidades de loterias.

No mesmo sorteio de que ele participou, 95 pessoas acertaram a quina e 9.101 a quadra.
O sortudo tinha 90 dias para retirar o prêmio , após esse prazo, os valores são repassados ao tesouro nacional para aplicação no FIES – Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior.
Em virtude da greve dos bancários, o ganhador poderá retirar o prêmio até um dia após o fim da paralisação. Parece-me que a greve terminou ontem.
Manoel Amaral
FONTE: Gazeta do Povo e Jornal O Globo
Outras histórias sobre loterias:

O QUE VOCÊ FARIA COM 73 MILHÕES DE REAIS?


“O casamento real entre o Príncipe William e

Kate Middleton está estimado em 70 milhões de reais.”


Pois é, lá se foi à ilusão, o prêmio de R$73.000.000,00 (73 milhões), da Mega (diz Word que é meiga) Sena, saiu para um cidadão de Santo André, São Paulo.

Os números sorteado enganaram a todos: 02 – 05 – 15 – 20 – 43 – 57.

Osvandir quase levou a bolada, errou apenas dois números. Como consolação ganhou uma ninharia da Loto Fácil.

Todo mundo ficou a espera dos fabulosos 73 milhões de reais. Uns até pensaram o que poderia comprar: uma mansão, uma indústria, um povoado inteiro, um prédio de luxo, um poço de petróleo, ações da Vale, da Petrobrás, um bom emprego permanente no primeiro escalão do governo e uma infinidade de coisas bobas.

Os entrevistados responderam que iriam ajudar a mãezinha, a irmãzinha, os filhos, os avós, os parentes e muita gente.

Alguns foram mais racionais e pensaram em poucas coisas: uma viagem pela Europa, EUA, Rússia, China e por aí mundo afora.

A maioria queria saldar as dívidas, sinal que tem muita gente endividada por aí.

Investir em educação ninguém falou.

A mais sensata foi ANA: “primeiro de tudo ficar calma; depois aplicar e pensar bem como fazer esse dinheiro multiplicar e aprender a conviver com ele, sem ser escrava dele”.

Com R$ 73.000.000,00 (setenta e três milhões de reais ) é possível comprar mais de 2 mil carros ou render mais de R$ 300.000,00 por mês, na poupança. Por que poupança? Poderia ser outro tipo de investimento diversificado, bem pesquisado.

O Osvandir pensou bem e ficou mais tranquilo. Aquele dinheirão todo só ia complicar a sua vida!

OSVANDIR GANHOU NA MEGA-SENA DA VIRADA

Duas pulgas conversando:
— O que você faria se ganhasse na Mega-Sena da Virada?
A amiga responde, com ar de sonhadora:
— Ah… Eu compraria um cachorro só pra mim!

Osvandir começou a comprar os bilhetes da Mega-Sena da Virada, desde o dia 15 de dezembro.

Tudo parecia que dar certo. Jogou nas dezenas: 10, 20, 30, 40, 50 e 60. Sabia que muita gente iria fazer isso, não importava, se ganhassem todos seriam felizes.

Marcou um cartão com um jogo sonhado, outro por pura intuição e outro de acordo com as idades dos sobrinhos e pais.

Remexeu no bolso ainda sobrara alguns reais; fez mais dois jogos diferentes, marcou os extremos e centro do cartão: 01, 10 – 51 e 60, além de ir para o 25 e 36, depois repetiu os mesmos números dos extremos em outro cartão, alterando somente os números do centro passando para 26 e 35.

Jogou um cartão com os números do seriado da TV, LOST: 4, 8, 15, 16, 23 e 42. Fez outra seqüência com estes números: 48, 41, 51, 52, 34 e 26. Jogou também, como não poderia faltar, nos números derivados de 2010 e 2011: 01, 20, 21, 10, 22, 11.

As datas de nascimento da família, da namorada, tudo serviu para palpite de jogo.

O número da casa, do telefone, do celular e assim por diante.

Agora era só esperar. O dia 31 de dezembro chegou, 20 horas seria o sorteio. O tempo não passava, a aflição era muito grande.

Andou pra lá e pra cá dentro de casa, não deu. Resolveu fazer uma caminhada para relaxar. Passou na porta da Casa Lotérica, antes das 14 horas e a fila era enorme. Pensou: __ Ainda bem que fiz meu jogo por antecipação. Foi um cartão por dia, até ontem.

Aproximando-se das 17 horas e a TV a todo instante fazia chamadas dizendo o valor do prêmio, cerca de R$200.000.000,00 (duzentos milhões de reais), o maior prêmio já pago pela Mega-Sena. O que fazer com tanto dinheiro?

Começou a pensar: __ Primeiro sumiria por uns dois meses, para fugir da mídia, iria pescar no Pantanal e viajar para Itália e Portugal a fim de conhecer os antepassados da família “Vieira Nicolai”.

Os 200 milhões, depositado na caderneta de poupança, (juros de 0,5228%, 31 de dezembro, o pior índice dos últimos tempos desde 1967) renderia cerca de 1,15 milhão de reais por mês. Este valor mensal é maior que o badalado prêmio do BBB por muitos anos.

Para se ter uma ideia, este prêmio daria para comprar 8 mil carros populares ou 40 mil motocicletas de 125cc. Mas se quisesse investir em imóveis, poderia comprar dez edifícios inteiros, cada um com 20 andares e 4 apartamentos por andar ou centenas de casas populares.

Tentou tomar um cafezinho, a mão tremeu, o café caiu na camisa branca da virada do Ano Novo. Nem importou, o seu sentido estava no resultado da Loteria.

Não enxergava mais nada, uma tinta preta escorrera dentro de seu cérebro, por entre os neurônios, apagando tudo. Os seus pensamentos eram apenas uma fumaça negra. Tentou usar o computador e não conseguiu nada.

Foi ver alguns filmes na TV a cabo, não conseguiu. Nem a Play Boy atraiu a sua atenção.

O tempo não passava, os segundos eram horas; os minutos dias e as horas meses. Tudo arrastando numa lentidão sem fim.

Os foguetes começaram a estourar, não sei se pela Mega-Sena ou pela passagem de ano. 2011 seria muito bom para todos, número impar, final de um, somando os números daria 4 e quatro na numerologia representa estabilidade e fidelidade. Simboliza as quatro estações do ano, os elementos e as pontas dos compassos. Este seria mesmo um ano de sucesso para muitos.

Pegou os bilhetes, ficou olhando-os, aqueles números cresciam, viravam miragens, castelos de areia e desapareciam.

Chegou a hora, saiu, agora eletronicamente, o primeiro número: houve um acerto. O segundo: também acertou. O coração estava saindo pela boca. Saiu o terceiro número e houve na sala borbulhar, havia acertado!

Uma pequena pausa no sorteio, para acalmar os jogadores e aumentar o suspense. O Ibope da TV foi às alturas. A internet ficou totalmente congestionada. Foi sorteado o quarto, nem precisava dizer, ele acertou.

Começou a passar mal, as pernas amoleceram, ficou vermelho que nem um peru. A quinta bolinha desceu correndo pela tubulação transparente da máquina eletrônica e caiu naquela mesinha. Apareceu na tela da TV e ele acertou.

O sexto número fez a mesma trajetória e a máquina vomitou-o naquela mesa transparente. Houve um hôôô!!! A bolinha quase caiu no chão de tanta emoção dos que extraiam da máquina aquele resultado.

Daí em diante, na TV, nos Rádios e as conversas nas ruas, só falavam naquilo. Muitos milhões nos bolsos de alguns e outros a ver navios.

Manoel Amaral