ROMANCE NA INTERNET TERMINA EM MORTE

ROMANCE NA INTERNET TERMINA EM MORTE
“Bandido bom é aquele que ainda não nasceu.
(Comentarista da notícia)

 

Numa escola com atendimento especializado, Pré-escola, Ensino Fundamental, Ensino Médio em Ituiutaba/MG, Bairro Setor Sul,  no Pontal do Triângulo, na tarde desta terça-feira, 22 de julho, tudo tranquilo.

Mil alunos circulavam no intervalo, uma conversa aqui, uma briguinha ali, um namorico acolá, tudo coisa normal.

Um jovem pulou o muro, num local com pouco movimento, penetrou naquele ambiente estudantil.

Não era aluno da instituição, morava na cidade de Capinópolis, próximo dali a uns 40 km.

Portava um facão, mas ninguém percebeu, cada aluno aproveitava os últimos momentos do intervalo para conversar com os colegas como sempre acontecia.

Aproximou-se de uma garota de 13 anos que ali se encontrava em conversa com algumas amigas.

Sacou a arma branca da mochila e foi logo arrastando-a para um refeitório, local isolado dos outros alunos.

Ameaçava cortar-lhe o pescoço, a razão ninguém ficou sabendo direito.
Os outros alunos observavam a cena em pânico.

Alguém foi até a Diretoria e avisou que tinha um jovem querendo matar uma menina na escola.

A polícia foi acionada, tentou negociar, fez de tudo para que ele largasse a arma.

Ele acabou ferindo um dedo da menina.

Não sendo possível, policiais tentaram segurar o facão com as mãos.

Um tiro certeiro se ouviu e um corpo caiu no chão, tentaram socorrê-lo, mas o rapaz não resistiu aos ferimentos na cabeça e faleceu.

A vítima foi encaminhada ao Pronto Socorro Municipal com um ferimento leve e passa bem.

Pela carteira de identidade ficaram sabendo que o agressor tinha 17 anos.

Eles se conheceram pela internet.

Manoel Amaral
www.afadinha.com.br

O LADRÃO ATRAPALHADO

O LADRÃO ATRAPALHADO

Imagem Google

Um ladrão Zé Mané, novo ainda, sem prática nenhuma, mas querendo assaltar a qualquer custo, saiu entrando e saindo do comércio local, com grana no bolso.

Mas o negócio estava tão frequente que os donos desconfiaram do idiota do ladrão e resolveram dar-lhe o troco.

Numa manhã ele entrou numa padaria e quando disse:
–É um assalto, passe a grana – a menina do caixa gritou e logo apareceram uns rapazes e desceram o pau no dito cujo.

Escaldado da primeira tentativa do dia resolveu partir para outra.
Desta vez entrou num comércio menor e aproveitou que quem estava no balcão era uma mocinha e sozinha.

Disse que queria dinheiro, com a cara coberta pela metade, pela sua blusa e achou que assustou. Que nada, a moça partiu para cima dele,  gritou pelas pessoas que passavam por ali e ele apanhou de novo.

Outro dia ele foi parar no hospital por tentativas frustradas de assaltos a pequenos comerciantes.

Mas lá no centro ele se deu mal, na primeira loja que entrou o gerente já sabia da sua existência,  chamou todos os empregados e o prenderam no banheiro. Chamaram a polícia, mas logo foi solto e continuou com a sua peregrinação de desastres.

Mas não parou por aí e disse:
–Oba, oba! Já sei, vou para o primeiro posto de gasolina que encontrar.

Arrumou um pedaço de galho seco e lá se foi atrás do dinheiro para comprar drogas. O viciado precisa sempre de grana para manter o seu vício, o traficante não vende fiado. Quando vende acaba matando o cliente por falta de pagamento.

Bom, o assaltante atrapalhado não acertava uma. Era mesmo um azarado. Assim que se aproximou do Posto Xexéu levou um susto. Havia policiais por todo lado. Correu e se escondeu num matinho de dum lote vago.

Os policiais acabaram de pegar  outro seu colega que assaltava de moto, muito mais prático.

Então ele resolveu inovar. Arrumou (roubou) uma bicicleta antiga, daquelas sem nenhum recurso, com uma catraca velha.

Fez um pequeno assalto com bom resultado, conseguiu arrumar uma graninha.
Mas como sempre ele “não dava uma dentro”, caiu na bobagem de assaltar o Supermercado PP (Pague Pouco).

Quando ele olhou estava cercado pelos empregados, tentou ainda safar-se montando na velha bicicleta, sem fôlego, não conseguiu chegar nem na esquina.

Foi amarrado  num poste com bicicleta e tudo até a polícia chegar. Desta vez foi preso e pode até ser solto no final da semana.

Enquanto isso os comerciantes tem folga deste “di Menor”.
Manoel Amaral