ACIDENTES COM AMBULÂNCIAS

ACIDENTES COM AMBULÂNCIAS

Imagem Google
“Ambulância é um veículo que roda muito e, assim, ele tem que ser substituído com certa brevidade.” Governador de Minas Antonio Anastasia
Três acidentes com ambulâncias aconteceram nestes dias, que me chamaram a atenção: um dia 17 deste, outro dia 21 e o último dia 22 de janeiro.
No primeiro um idoso de 82 anos faleceu. Foi quando uma ambulância bateu numa retroescavadeira em Franca (SP).
O segundo  o veículo público vinha de Nova Timboteua, no nordeste paraense, transportando sete pessoas, colidiu com um carro particular, partindo a ambulância ao meio, em Castanhal, (PA), seis ficaram feridos.
O último, do dia 22, ambulância da Prefeitura de Curitiba e um veículo Nissan se envolverem em um acidente, o paciente que era levado para exames de rotina no Hospital de Clínicas e o motorista ficaram feridos.
As ambulâncias do país inteiro estão em péssimas condições, e continuam rodando. A maioria dos Municípios não tem dinheiro para adquirir novos veículos. Esperam que o Governo Estadual faça essas doações, o que as vezes demora muito. Estão elas por aí, colocando em risco a vida das pessoas.
Um paciente nos informou que a ambulância em que viajava “não tinha nem marcador de gasolina, fora outras coisas graves como freios, pneus carecas, ferrugens e resto da lataria fazendo muito barulho”
Sei muito bem como são essas coisas, moro próximo a um hospital aqui na minha cidade e que recebe pacientes de vários municípios da região.
Os motoristas reclamam que quase sempre dormem pouco e têm que dobrar o horário, não existem substitutos.
São muitos os pacientes, em lugares diversos, inclusive na zona rural, que devem ser atendidos.
A rotina diária começa as três, quatro ou cinco da manhã e termina só lá pelas oito, nove ou dez da noite. Trabalho bem pesado.
Enfrentando todo tipo de dificuldade, até na alimentação (comem muito mal).
Estradas esburacadas, pneus carecas, veículos muito velhos, motores sempre falhando e percorrendo diariamente longas distâncias.
Em época de chuvas tudo piora, as estradas rurais ficam intransitáveis.
E ainda estão transportando pacientes, que as vezes tem que deslocar-se de sua cidade, duas vezes por semana para fazer hemodiálises ou tratamento de câncer.
A área de saúde está falida. Pode ser que melhore, esse ano teremos copa e eleições…
Manoel Amaral
Fonte:

Ambulância da Prefeitura com pacientes se envolve em acidente e .

Porto Noticias – http://www.jnmt.com.br

A COMENDA DA LIBERDADE E CIDADANIA

A COMENDA DA LIBERDADE E CIDADANIA



 “Se todos quisermos, poderemos fazer deste país uma grande nação.  
Vamos fazê-la.” Joaquim José da Silva Xavier – Tiradentes
Por voltas de 10 horas chegamos a Fazenda do Pombal, berço de Tiradentes para participar da entrega da 3ª Comenda da Liberdade e Cidadania, representando a Academia Divinopolitana de Letras, Augusto Fidélis  juntamente com mais de 100 pessoas.

Todos os anos é feita a entrega a cidadãos mineiros, brasileiros e estrangeiros que contribuíram com o desenvolvimento socioeconômico, turístico e cultural da região, de Minas Gerais, principalmente na região do Rio das Mortes.

A principal função da Comenda, além de condecorar aqueles que se destacaram no cenário nacional, é de despertar nos cidadãos, principalmente nos jovens, o sentimento de nacionalidade”, explicou o chanceler da iniciativa, Eugênio Ferraz.

Este ano coube a Prefeitura de Ritápolis a organização, na Fazenda do Pombal, da entrega da Comenda da Liberdade.
O encarregado do evento foi o secretário de Cultura e Turismo do município, Jaci Mauro Damasceno.

O evento teve início às 10h30min, com a entrega das medalhas e dos certificados da comenda e se estendeu até por volta das 14 h.

“Contou com uma palestra sob o tema “O Auto da Devassa”, revelando detalhes da vida de Tiradentes, e uma apresentação musical”, informou Damasceno.

“Houve indicações das prefeituras das três cidades e dos presidentes das três Câmaras, além de institutos históricos e culturais da região. Haverão agraciados de todo o país, pessoas de projeção, que trazem o desenvolvimento de uma forma direta ou indireta para o evento”.
Fazenda do Pombal
Berço de Joaquim José da Silva Xavier, a Fazenda do Pombal, hoje, além de ser um importante patrimônio histórico, é uma reserva ecológica administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente.

A TV Campos de Minas esteve presente neste evento entrevistando personalidades que fazem a diferença, diretamente de Ritápolis,  o berço, morada e pontos de lutas de Joaquim José da Silva Xavier, o mártir da Inconfidência Mineira, símbolo máximo de um grito de liberdade.

Fonte: Gazeta de São João del-Rei 

Manoel Amaral
www.casadosmunicipios.com.br
http://www.amazon.com/dp/B00GLAOGMQ link para o meu e-book lançado hoje.

O CANDIDATO PERDEU A ELEIÇÃO

O CANDIDATO PERDEU A ELEIÇÃO


Candidato: palavra que vem do latim, “cândido,
ou seja, puro, sem pecado, desprovido de ganância e
maldade que visa o bem comum e não pessoal.”
Coitado do candidato que perdeu a eleição. Quase morreu de emoção!
Trabalhou tanto. Nem vamos falar nos cafés vencidos, biscoitos duros, conversas fiadas, pedidos dos eleitores, dinheiro gasto, campanha contra o tempo, outros concorrentes e tudo mais.
Vamos falar da decepção com os eleitores de duas caras, que mostram uma e depois aplicam a outra. Prometem votar em todo mundo e não votam em ninguém. Às vezes nem títulos têm, ou são analfabetos, votam errados em números que não existem.
Esse texto fala dos candidatos a vereador, porque candidato a prefeito todo mundo ajuda.
O vereador fica abandonado, jogado ao circo para ser devorado pelos famintos leões do eleitorado.
Em cidade pequena é ainda pior, poucos são os que votam e muitos os candidatos de todos os feitios.
Tem gente que entrou a primeira vez, achou que era só candidatar-se e estaria na Câmara, cama ou na fama. Ledo engano, a dificuldade é muito grande. Tem que ralar, gastar as havaianas, tênis ou sapato do bico chato, porque do bico fino ninguém aguenta. As mulheres, não acostumadas, sofreram várias cantadas e quebraram muitos saltos de sapatos. As rasteirinhas deram uma verdadeira rasteira nelas.
No início, os santinhos não chegavam, era aquela ansiedade, quando chegavam tinham muito erros. Eram distribuídos assim mesmo, não havia tempo para correção. As gráficas todas cheias de promessas não cumpridas.
Os prometidos patrocínios nunca chegaram, e os que vieram foram canalizados para a candidatura a prefeito.
Os apelidos não ajudaram em nada, pelo contrário, atrapalharam. Hoje as urnas eletrônicas não querem saber de nome, sobrenome ou apelido, só engolem números e vomitam resultados.
Muitos eleitores não sabiam em quem votar devido ao grande número de papéis na cidade. Partidos então, um montão. Nem sabemos para que tanto partido. Três ou quatro já seriam ótimos.
Os bons, os maus e os que não tinham a menor ideia de nada, estavam ali, sendo malhados pelo povo, como se palhaços fossem.
Santinhos, cartazes, eram todos massacrados, rabiscados, amarrotados e jogados no lixo. Sem contar os bigodinhos, óculos, dentes de vampiros, chapéus e outros nomes impublicáveis, eram acrescentados em tudo que era distribuído ao eleitor.
Todos queriam um candidato perfeito. Não existe candidato perfeito, todos têm os seus defeitos e qualidades.
Ninguém sabe por que a legislação eleitoral proibiu a distribuição de brindes e showmícios, aquilo não comprava voto de ninguém. Além do mais, passada as eleições, as camisas eram transformadas em pijamas macios e gostosos de vestir. A lixa de unha daria para comprar voto de alguém? Que coisa mais ridícula! E o showmício, como era bom assistir, de graça, muito artista famoso cantar as suas músicas de sucesso.
Era uma festa! Agora só papel, papel e mais papel. E nem serve para rascunho, está escrito dos dois lados.
Muitos candidatos inexperientes distribuíram páginas inteiras nas ruas. Não adianta, o povo não lê. Quanto menos texto melhor. O que vale são as imagens. Jornal tem que ter muitas fotos e um texto pequeno. No caso da internet, quanto menor melhor.
Ah, ia esquecendo. E os pobres candidatos que largaram a rua e enveredaram na internet. Ficaram só facebookando, tuitando, youtubando e internetando. Pura bobagem, em cidade pequena não surtiu efeito nenhum. Também curtir, sair seguindo alguém, vendo pequenos e horríveis vídeos caseiros ou pesquisando site e blog de candidatos não quer dizer voto garantido.
Passaram dias e noites clicando, teclando, digitando, escrevendo, falando, cansando… Gastaram um dicionário de palavras. Lavraram textos, fizeram discursos de três linhas no Twitter. Publicaram fotos no Face, usaram até o velho Orkut. Uns que nem conheciam nada de informática viviam falando em iogurte. Uma bobagem só.
O Face só dava Book. O Tu só White. Ora bolas, palavras novas, desconhecidas e o candidato velho, iletrado, cansado, sapato furado, não podia perder tempo. Pegou o sábio sobrinho de 14 anos e entrou no estranho mundo da teia, da net. Saiu decepcionado, o seu eleitorado minguado, em vez de ser usado, usou e abusou do candidato muito bem orientado pelo sabido sobrinho…
Muitos ficaram pelo meio do caminho: assassinados, enfartados, sequestrados, “acidentados”, tudo por paus-mandados.
E nem falamos nas várias contas que ficaram por acertar.
Manoel Amaral
osvandir.blogspot.com
Comentários:

manoel.amaral@gmail.com

Untitled


ROUBARAM OS COMPUTADORES DAS ESCOLAS
Ligo a TV e vejo/ouço, que mais 60 computadores foram surrupiados de uma escola pública.

Parece até que os ladrões tem convênio com o governo.

É só comprarem novos computadores e aparecem os larápios para furar a parede, saltar o muro, pular a cerca, arrombar o portão ou pura e simplesmente entrar sem deixar vestígios de arrombamento, o que é muito suspeito.

Já encaminhei a vários municípios projeto de lei para colocação de um chip localizador por GPS nos computadores e equipamentos das escolas.

É coisa simples. Em cada um seria colocado um aviso que o equipamento está dotado de chip, o que  invalida a venda.

Até em animais domésticos e nos seres humanos estão fazendo isso.

A possibilidade de furto, especialmente de computadores públicos, também assusta a todos. Para garantir a localização mais rápida, cada vez mais pessoas apostam na microchipagem.

“O microchip é do tamanho de um grão de arroz e nele ficam guardadas as informações sobre o equipamento eletrônico, funciona como rastreador ou localizador por GPS.”

O chip, além de identificar os equipamentos, armazena informações importantes relacionadas à escola e contribui para o controle e devolução dos mesmos em caso de roubo.

Já estão comercializando rastreadores tracker por GPS ao preço de R$189,00.
O chip não oferece nenhum risco para o equipamento – informa uma especialista.

Para as escolas é muito fácil localizar os produtos perdidos, basta apenas acionar a polícia ou simplesmente ligar o rastreador e sair procurando, num veículo.

Quem rouba quer vender. Quando o comprador observar que tem chip localizador, não vai querer comprar o produto roubado.

O chip localizador também é de uma  importância muito grande como identificador do produto eletrônico no cadastramento da Escola.

Em caso de perda ou roubo, não deixe de fazer o boletim de ocorrência e a queixa, mesmo que não haja certeza sobre a autoria do roubo.
Equipar a polícia com aparelhagem para rastreamento, não ficaria tão caro assim.

Acham que estou sonhando? Vejam anúncio que encontrei na internet:
Rastreador tracker – Preço R$189,00
Rastreador Tracker, P/ Veiculos ,pessoas E Até Animais

TEMPO REAL  GPS / GSM / GPRS
Gps Tracker – Localizador Rastreador Gsm – Sem Mensalidade
PRONTA ENTREGA
RASTREADOR PESSOAL
ÓTIMO PARA SUA SEGURANÇA
FUNÇÃO DE ESCUTA REMOTA  

USO SUPER SIMPLES: VOCÊ LIGA DE QUALQUER CELULAR PARA O CHIP QUE ESTÁ DENTRO DO GPS TRACKER, AGUARDE ALGUNS SEGUNDOS E RECEBA VIA SMS (TORPEDO) AS COORDENADAS EXATAS DE ONDE SE ENCONTRA O APARELHO. PRONTO AGORA É SÓ IR EM (GOOGLE MAPS) INSERIR AS COORDENADAS E VAI APARECER  NO MAPA O PONTO EXATO ONDE SE ENCONTRA O APARELHO .

SUPER ESCUTA REMOTA ESPIÃ: FUNÇÃO MONITOR ONDE VOCE LIGAR PARA O CHIP QUE ESTA NO APARELHO E ESCUTA SEM NINGUEM PERCEBER O SOM DO AMBIENTE ( MICROFONE INTERNO DO GPS TRACKER)

TAMBEM PODE-SE FAZER RASTREAMENTO EM TEMPO REAL PELA INTERNET (USA-SE GPRS – CHIP DE DADOS DE QUALQUER OPERADORA.)

ESTA FUNÇÃO É MAIS COMPLEXA E EXIGE CONFIGURAÇÕES.

FUNÇÕES DO APARELHO:
·         Monitoramento de crianças, adolescentes e idosos.
·         Monitoramento de animais de estimação.
·         Ótimo para Empresários

·         Mais segurança contra sequestros

·         E muitas outras funções

o    Monitoramento de frotas (sem necessidade de instalação).

o    Monitoramento de veleiros e barcos em águas abrigadas.

o    Rastreamento de pessoas com atitude suspeita.

o    Proteção para autoridades e executivos.

o    Monitoramento de cargas.

 

– Cadastro de até 5 números de celulares para envio das SMS
– Permite configurar um limite territorial e o equipamento envia uma SMS com as coordenadas caso saia do limite pré- programado
– Função SOS – Caso o usuário esteja em uma situação de emergência ao apertar o botão SOS o equipamento irá enviar SMS solicitando ajuda a cada 3 minutos para os números cadastrados
– Escuta remota – Permite que qualquer um dos números cadastrados escute o som ambiente de onde se se encontra o equipamento
– Alerta de Movimento- O equipamento envia uma SMS aos números cadastrados caso se movimente ( Segurança de cargas ou veículos)
– Alerta de Velocidade – Permite programar uma velocitade pré definida e caso essa velocidade seja ultrapassada o equipamento envia uma mensagem SMS para os números cadastrados.

Conteúdo

1 x aparelho rastreador GPS/GSM 
2 x baterias Li-ion recarregável
  
1 x carregador de parede 110/220V
 
1 x
 Manual (em inglês) 
1X CAPA A PROVA DAGUA
1 CD INSTALACAO
1 tampa  magnética para fixar aparelho no carro ou moto
Manoel Amaral
Osvandir.blogspot.com.br

CAMPANHA ELEITORAL VEREADORES

CAMPANHA
ELEITORAL PARA VEREADORES

As campanhas eleitorais 2012 já estão deflagradas, antecipadamente, a imprensa (escrita, falada e internet) iniciaram uma tola discussão perguntando se Vereador pode ou não comprar projetos de leis de Assessorias Particulares.

Pura bobagem, isto já vem sendo feito há muito tempo e os jornalistas fingem que não sabiam disto.

Por causa desta tola discussão é que todos só comentam em seus sites tal assunto. Desde o dia 20 que todos os jornais do país publicaram qualquer coisa sobre o assunto. Tudo teve início com uma entrevista que demos para o Jornal Estado de Minas a Alice Maciel e uma sua amiga, que se
fez passar por uma compradora de Projetos de Leis de certa Câmara Municipal
(que não vou citar é claro!).

Um assunto tão bobo tomou proporções tão grandes que no outro dia dei entrevista para os principais jornais ou eles pura e simplesmente copiaram de outros jornais (eles podem!).

A Rede TV procurou-me no sábado p. passado, marcando entrevista para as 14 hs, lá fui e respondi a todas as perguntas. O assunto era o mesmo: Quem comprava, quanto comprava, quando. Outro questionamento que todos fazem: pode o Vereador comprar projetos de leis de Assessoria Particular? Claro que pode, deve, convém e faz bem!

Tenho mais algumas entrevistas marcadas para esta semana. Do jeito que a coisa está indo, logo, logo estarei sentado ao lado de Jô Soares, Ana Maria Braga, Ratinho, Gugu e Faustão… Não duvidem!

Manoel Amaral

http://www.casadosmuncipios.com.br/

OSVANDIR E O METEORITO

CAOS NAS PREFEITURAS
“Política é um charco. As pessoas de bem têm de andar com lenço no nariz.”
Jefferson Peres

No início do mês de março Osvandir estava em Pirenópolis (a 140km de Brasília), quando avistou nos céus um facho de luz em tom verde que iluminou o céu da região Centro-Oeste em alta velocidade.

Seria um disco voador? Ficou na dúvida e na manhã seguinte ficou sabendo pelo Correio Briziliense que era apenas um meteorito de acordo com os astrônomos.

Mas seguindo viagem pelo Estado de Goiás, de passagem por pequenos municípios, resolveu visitar os Prefeitos e as Câmaras, para ouvir histórias sobre como encontraram o Município no dia da posse.

Coisas inacreditáveis contaram para ele naquele estado. Achou que seria só para aquelas bandas e resolveu tocar no assunto quando passava por Minas Gerais, aí a coisa piorou.

Vejam abaixo um pequeno resumo de tudo que ouviu. Omitimos o nome dos Prefeitos e dos Municípios, mas temos tudo arquivado, quem quiser saber mais é só entrar em contato.

PRÉDIO DA PREFEITURA: computadores queimados, HDS desaparecidas com os dados. Listagem de IPTU, dívidas, ISS totalmente destruídas. Computadores novos substituídos por velhos em quase todas as repartições. Notas fiscais escondidas e não lançadas. Contabilidade com dados zerados (um crime!). Nenhum estoque de papéis, cartucho tintas, tonners, impressoras quebradas. Cabos destruídos.

MERENDA ESCOLAR: “Toneladas de alimentos – entre eles café, açúcar, feijão, vinagre, ervilha, milho e farinha – estragaram e perderam a validade no galpão.” Geladeira estragada. Roubaram até as panelas.

PRÉDIOS ESCOLARES: Piso arrancado, vidros quebrados, carteiras inutilizadas, banheiros depredados, sem nenhuma condição de utilização pelos alunos. Cozinha sem condições de uso, “levaram até os botijões”.

FROTA VEÍCULOS: A maioria dos municípios visitados com problemas nesta área. Veículos completamente sucateados. Ambulâncias sem nenhuma condição de uso. O transporte escolar com péssimos ônibus, pneus carecas, enferrujados, sem assentos, motores em estado lastimáveis.

DÍVIDAS: Neste item é que os novos Prefeitos mais reclamam. Dívidas de milhões, que não foram declaradas (apresentadas) pelos ex-Prefeitos.

CONVÊNIOS: Muitos estão há meses vencidos.

SAÚDE/HOSPITAIS/POSTOS: Postos de saúde fechados, médicos sumidos, funcionários sem trabalhar por falta de equipamentos. Um dos setores mais sacrificados. “Medicamentos vencidos. Equipamentos odontológicos e móveis caríssimos jogados dentro de uma sala, sem nenhum uso.”

SERVIDORES FANTASMAS: muitos não foram encontrados até hoje.

PAGAMENTOS ATRAZADOS: Muitos Prefeitos não quitaram novembro, dezembro, 13º Salário. Engraçado: nas Câmaras Municipais, a maioria, com subsídios em dia.

CELULARES: Vários, distribuídos até para familiares.

TELEFONES FIXOS: Contas atrasadas desde outubro, a maioria cortados.

OBRAS INACABADAS: Obras inacabadas e já pagas.

LICITAÇÕES: Fraudadas, para ganhar quem fosse do interesse da Administração.

FUNCIONÁRIOS SEM CONCURSO: Foram encontrados Servidores da administração anterior, admitidos sem concurso em áreas proibidas por lei.

Os relatórios oficiais entregue aos prefeitos, onde nota as más condições e o desperdício encontrados, são de deixar qualquer um de queixo caído. “As alegações são de prefeituras sucateadas, cofres vazios, dívidas, servidores com salários atrasados e fornecedores loucos para receber do município.”

Agora os novos Prefeitos estão tentando “resgatar os desmandos de administrações anteriores que depredaram o patrimônio público, entravaram o desenvolvimento dos municípios e a melhoria da qualidade de vida do povo através da manutenção dos serviços básicos como saúde, educação, limpeza, pavimentação, dentre outros”.

Onde ouve candidatos à reeleição que perderam a eleição os novos Prefeitos encontraram o Município num verdadeiro caos. A reeleição é um verdadeiro poço de corrupção

Parece que meteoritos haviam caído em vários municípios brasileiros.

Mas dizem que não é para gente assustar não porque “Esta história começou com a chegada dos portugueses ao Brasil, onde implantaram seu modelo administrativo cheio de falhas”.

Manoel Amaral

Untitled

OSVANDIR EM: DRAGA É UMA DROGA!
“Uma chave de ouro abre todas as fechaduras.” (Christoph Martin Wieland)

Já há algum tempo Osvandir foi passear na casa de sua avó, nos dias de folga do carnaval.
Ficou impressionado com o número de carretas que passava por dia em frente a casa da velhinha.
Contou aproximadamente 50 carretas por dia com nomes de várias empresas, mas todas carregando toneladas de areia.

Perguntou para um vizinho de onde vinha e para onde ia, ele informou que tudo aquilo saia da Fazenda das Tabocas ia para Belo Horizonte, para a construção civil.

Fez os cálculos: cada carreta carregaria entre 20 a 50 toneladas, na média umas trinta toneladas cada uma. Trinta multiplicado por 50 carretas, daria umas 1.500 toneladas diariamente.

Era muita areia para vender! Osvandir resolveu ir até o local da extração. Pegou emprestado, um fusca 1500, ano 1972, azul da cor do céu e saiu para a beirada do rio.

Quando lá chegou deparou com 20 dragas retirando areia do fundo do rio, dia e noite, e uns 5 tratores de esteira revirando os barrancos.

O estrago ambiental era de grandes proporções. O rio já estava quase sem água na época da seca. Só se via pedras e árvores caídas por todo lado.

Conversando com o administrador ficou sabendo que a empresa tinha todos os documentos para extração. Resolveu ir até o escritório e verificou que na realidade ela tinha apenas um velho alvará da Prefeitura local.

Indignado com tudo aquilo foi até a Prefeitura e conversou com o Prefeito, um tipo bonachão que deixava todas as riquezas do Município irem embora sem nada em troca.

O que a empresa deixava no Município? Praticamente nada! Pagava somente um valor ridículo, por ano, para renovação do alvará.

Osvandir quis saber dos projetos de recuperação da área degradada do rio e o Prefeito informou que não existiam nada na Prefeitura. E ainda falava: “a natureza é pródiga, dentro de alguns anos tudo voltará como era antes”.

Devido ao volume de extração por dia, Osvandir ficou meio desconfiado e voltou novamente no local da extração. Desta vez não estava presente aquele Senhor que administrava. Apenas um rapaz de dentes cariados, rosto queimado, chapéu de palhas, descalço e um sorriso amarelo.

Ele muito tímido, levou o Osvandir para tomar um cafezinho no rancho de sapé.
__ Foi coado ainda há pouco, quando acabamos de almoçar. O que Senhor deseja saber?
__ Queria apenas o endereço da empresa em Belo Horizonte, pois pretendo comprar alguns caminhões de areia.

O rapazola saiu com um pedaço de papel onde tinha o telefone e o endereço completo da empresa.

Depois do carnaval, quando a purpurina já havia desaparecido dos salões, apenas alguns sinais de confetes e garrafa pet entupiam os bueiros de enxurradas, Osvandir resolveu ir até a capital.
O bairro era meio afastado, a segurança era total. Ninguém poderia entrar ou sair, sem autorização, devido os altos muros.

Na portaria conversou com um sorridente guarda, sinal que ganhava muito bem. Ele informou que naquele horário não tinha ninguém no escritório.

De relance pode notar que havia no centro do pátio umas máquinas esquisitas, parecia muito antigas, mas rodavam fazendo uma barulheira danada.

Curioso, resolveu bater um papo com o sorridente serviçal. Notou que ele adorava futebol, coisa que Osvandir detestava, mas tinha um pequeno conhecimento devido a leitura de jornais diários.
Falaram muito sobre a situação do Cruzeiro e do Atlético e de outros grandes times de Minas.
O guarda estava muito empolgado por uma cervejinha gelada adquirida por ali mesmo, foi falando tudo que Osvandir desejava saber dos movimentos da empresa. Disse que a areia não vinha só daquele local que ele visitou, mas de vários rios de Minas, principalmente do Centro-Oeste.
__ Mas e aquelas máquinas grandes, para que servem?
__ Ninguém aqui pode saber, mas vou revelar para você, que parece ser gente fina. Elas extraem ouro das areias dos rios.
__ Ouro? Como assim! Então não tem nada de construção civil no meio?
__ Não! O patrão vende a areia lavada por um preço baixíssimo. E se for pouca quantidade não precisa nem pagar, pode levar de graça…
__ Muito bom este seu patrão, hein?
__ Ele é inglês mas já está falando bem o português e foi para o Rio neste o carnaval.

Osvandir saiu dali injuriado. Então aquele esperto cidadão inglês estava saqueando o nosso ouro, como antigamente e portando-se como um simples empresário vendedor de areia para construção civil.

Posteriormente ficou sabendo que o dito Senhor, vermelho como ele só, pelo escaldante sol da região, tinha um esquema montado, com máquinas mais modernas, no estado do Mato Grosso.
Procurando mais informações em Prefeituras do Estado recebeu notícias que ele já estaria atuando também no Amazonas.

Por aí vocês vêem como é fácil sair de nosso país com qualquer mineral valioso…

Manoel Amaral