CARTA DE SÃO PAULO AOS CORINTHIANOS

SÃO PAULO AOS CORINTHIANOS

Lá pelos idos de 67 DC, estavam reunidos naquele grande estádio os principais sábios: Raposa, Galo, Coelho, Urubu, Mosquetinho, Periquito, Português, Mosqueteiro, Saci Pererê, Baleia, Pantera, Moleque, Macaca e Zebra.

Foi aí que São Paulo de Tarso resolveu falar:

Corinthianos,

Combati o bom combate”, não adiantou, hoje estou aqui numa Descrição: https://mail.google.com/mail/images/cleardot.gifsituação desagradável, não posso sair às ruas e todos gritam:

― É freguês!

Bem sei que são “néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia. Estando cheios de toda a iniqüidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade.”

“Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães;”

Não escrevo estas coisas para vos envergonhar; mas admoesto-vos como meus colegas amados.

“Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre nós dissensões; antes sejamos unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo parecer.”

“Não sabeis que um pouco de fermento faz levedar toda a massa? Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade.”

Não estamos preocupados quem vença ou perca, o importante é que marchemos todos juntos neste campeonato, com times bem treinados e jogos bem equilibrados em todos sentidos.

Que “ninguém se engane a si mesmo”, hoje estão por cima amanhã poderão estar por baixo, é a roda da vida e deste campeonato.

É muito cedo para definir a situação de todos os times.

Não quero, porém, irmãos, que ignoreis que” muitas vezes o juiz rouba mesmo! “Há coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu.”

“Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais.”

“Na verdade é já realmente uma falta entre vós, terdes demandas uns contra os outros. Por que não sofreis antes a injustiça? Por que não sofreis antes o dano?”

Cá estou eu amargurado, abatido, arrazado, perdi de 5 x 0 e não tenho justificativa para este povo que me acompanha. Sem contar que sou obrigado a ouvir estas palavras torturantes:

― O freguês voltou, olé!

Manoel Amaral

Fonte Pesquisa:

Cartas do Apóstolo São Paulo.

OSVANDIR E O CARNAVAL DE 2011

“Depois do Carnaval as máscaras caem…” Omair, Primo do Osvandir

Osvandir abriu os jornais, só tinha fotos de mulheres quase nuas, dançando no carnaval do Rio, São Paulo ou Salvador.

Pensou, pensou, resolveu cair no samba. Foi primeiro pro Rio, ficou no camarote do jogador Neimar, passou no da Xuxa e várias outras personalidades. Não perdeu tempo e aproveitou para conversar com alguns turistas.

A Rainha de Bateria da Imperatriz Leopoldinense Luiza Brunet, quando desfilava, acenou para ele.

Já no camarote da Brahma várias personalidades desfilaram, inclusive o Osvandir. Quando estava cantando e apreciando as baterias junto com aquele cantor Luan, e umas bonitas dançarinas, apareceram os Vesgo e Silvio Santos do Pânico e estragaram tudo.

Em Salvador encontrou com Ivete Sangalo e Claudinha Leite. Desfilou nos trios elétricos.

Todos disseram fogo! Foi um alvoroço geral, mas era a Águia de Ouro invadindo o Sambódromo do Anhembi.

Todos disseram fogo! Era fogo mesmo! “Aparecida foi a quinta escola a desfilar no Carnaval de Manaus 2011, sofreu com um incêndio em uma de suas alegorias”.

O carro “Cinema em Terceira Dimensão – Arte ou Ilusão”, da Mocidade, de São Paulo, quebrou antes do desfile, estava muito pesado.

Engraçado, Osvandir não viu mulher pelada neste carnaval…

Muita gente fazendo xixi na rua e foram presos. Turistas olhavam e não entendiam nada.

Cansado de tanta movimentação, fantasias e sonhos mil, voltou para Minas, para pagar as contas de IPTU, ISS, INSS, IPVA, Aluguel, Oficina, Farmácia e empregada, sem falar no Imposto de Renda que espera todo mundo neste mês de março. É conta demais para quitar é melhor não deixar acumular.

Quarta-feira de cinzas, ao pó vamos retornar…

Manoel Amaral

OSVANDIR & HARRY POTTER NO BRASIL

Capítulo III
A VIAGEM
“Você vai encontrar muitos inimigos em seu caminho,
mas também vai encontrar amigos,
poucos, mais verdadeiros.”Harry Potter

Tudo estava preparado para a grande viagem a maior cidade brasileira.
Harry iria conhecer um grande centro urbano, mas também apreciar as matas, córregos, rios e a natureza enfim.

Seguiriam para a capital de Minas Gerais, Belo Horizonte, onde de avião chegariam rápido a São Paulo. Mas na última hora resolveram ir de carro, para parar quando fosse preciso, atendendo as prioridades do visitante.

A distância bem longa, cerca de 500 km, umas seis horas de viagem, rodando devagar para apreciação das paisagens, uma exigência do ilustre passageiro.

O roteiro bem planejado com paradas nas principais cidades apenas para tomar um cafezinho ou uma leve refeição.

Deveriam passar por Carmo da Mata, Oliveira, Lavras, com parada estratégica em Varginha para almoço. Nesta cidade foi passada ao nosso herói a famosa história do ET, difícil foi explicar-lhe o que seria um Extra Terrestre como este, de saliências na cabeça e de cor marrom.

Outra parada em Pouso Alegre, ainda em Minas, para um cafezinho rápido e observação da paisagem.

Finalmente, depois de mais de seis horas de viagem, ver carros e mais carros na estrada. Acidentes por todo lado, foi interrogado pelo Harry:
__ O que são estas latarias velhas na beira da estrada?
__ São resultado da imprudência, meu caro! O motorista quer passar um dia na praia e acaba passando o resto da vida no cemitério.

O assunto estava ficando fúnebre, então uma música para animar o ambiente. O DVD foi ligado e muitas imagens e emoções foram passadas para aquele jovem ávido de informações sobre o nosso povo.

Aproximando da grande cidade, o movimento aumentando mais ainda. O hotel escolhido foi bem no centro da capital. A ideia era visitar os pontos principais, algumas atrações turísticas. Chegar na Av. Paulista numa sexta-feira, de manhã, aquele movimento todo. Barracas por todo lado. Turistas comprando tudo que encontravam pela frente. Um espetáculo que nenhum visitante poderia perder.

Acomodados num bom hotel, que curiosamente estavam dando um desconto de cinqüenta por cento de desconto para quem ficasse hospedado por mais de três dias.

Lá do alto do edifício, Harry e Osvandir olhavam a paisagem e o primeiro ficava extasiado com tantas construções e o movimento nas ruas. Chegou até a comentar sobre o assunto, mas logo esqueceram, pois o garçom avisara que estava na hora do almoço.

A dificuldade maior de sair com HP era que ele queria comprar muitas coisas, sem saber preços nem nada. Ia só pegando e Osvandir pagando com o Mega Card de Ouro. No fim das contas, no hotel já tinham uma mala cheia só de compras. As jóias eram as preferidas, depois cinturões de couro, sapatos, tênis, camisas, calças e até um blusão muito moderno, com escudo e tudo mais. Comprou algumas roupas de mulher, dizendo que eram para a sua amiga Hermione Granger. Como ele iria levar isto tudo para casa já era outra história.

Estava separando tudo de acordo com seus principais amigos. Ele disse que achava muito prática as sacolas de plástico, que lá no seu pais eles usam mais as de papel, Osvandir que tinha verdadeira aversão ao produto, explicou-lhe que a origem da maior parte da poluição da terra e das águas do Brasil, estava nestas inocentes sacolas de supermercado.

Visitaram museus, livrarias, foram ao teatro, cinema e até divertiram muito num grande parque. Queria entrar em todos os brinquedos, até no trem fantasma. A montanha russa assustou-o um pouco. Levou um grande choque na hora em que estavam fazendo o loop.

Quando estavam saindo pela última vez, daquele centro tumultuado, perto da Praça da Sé, sentiu pela primeira vez o efeito de um “arrastão”, os bandidos levaram quase tudo que eles tinham comprado. Harry e Osvandir tentaram reagir, mas foram avisados por outras pessoas que não se deve fazer nada porque aqueles bandidos estão sempre bem armados. Osvandir não compactuava com estes pensamentos, mas não falou nada. Saíram dali o quanto antes.

Com a sua estadia ao fim, Osvandir procurou pagar as contas do hotel. Recebeu um livreto-guia com todos os locais mais importantes de São Paulo. Ele achou engraçado, não deveriam dar este folheto na chegada do hóspede?

De carro, ainda, seguiram para o Rio de Janeiro.

Manoel Amaral

OSVANDIR E O CARNAVAL 2009

“No carnaval, alegoria de pobre dura pouco.” Casseta&Planeta


Quarta-feira começou a barulheira lá pelos lados da Bahia.
Quinta e sexta-feira no Rio e em São Paulo, muita gente para ver os desfiles das escolas.

As fantasias não estavam tão brilhantes e luxuosas como nos anos anteriores, sinal que a crise mundial afetara também aquele setor.

Muito material reciclável foi forçosamente utilizado na confecção dos adereços. Penas de pavão, emas e outros pássaros raros, nem pensar.

Vários containeres ficaram retidos na alfândega por falta de pagamento dos impostos e taxas.

Os investimentos de grandes empresas, na hora “H”, não apareceram.

Osvandir não se fez de rogado, resolveu fugir do carnaval e quarta-feira já estava na Europa passeando e pegando um frio e até neve na Inglaterra. Logo ele que não pode nem abrir geladeira ou entrar em bancos que fica gripado por três dias.

Pegou o Eurotúnel, Túnel da Mancha, conhecido na Inglaterra por Channel Tunnel e em poucas horas estava em Paris, onde encontrou um clima mais ameno.
Ficou no famoso Hotel Lê Bristol e almoçou no restaurante que tem um lindo jardim ao lado.

Acabando de almoçar pegou as tralhas e partiu para a Alemanha. Vendo aquelas construções antigas, bem no centro de Berlim, lembrou das atrocidades da segunda guerra mundial, onde morreram mais de 6 milhões de judeus.

Judeus? Resolveu ir para o Oriente-Médio, queria visitar Israel. Em lá chegando assustou-se com os estragos da guerra contra os Palestinos.

Eles não aprenderam nada com Hitler, ou aprenderam demais? Estão seguindo o mesmo caminho massacrando uma minoria étnica.

Fugiu dali, foi para Austrália. O fogaréu estava consumindo várias hectares de árvores de eucaliptos. Cangurus saltavam por todos os lados.

Voltou, em vôo com escala na África, para América do Norte. Obama cada vez fundando-se nas dívidas de guerra, deixadas por outros presidentes.

De lá esteve no Canadá onde faz frio seis meses do ano e pegou uma nebrasca de gelar até picolé.

Assim que o tempo melhorou decolou para Venezuela onde o calor era aproximado ao de sua terra, em Minas. Esteve no Chile, em terras mais clamas, depois visitou a Argentina e finalmente chegou ao Rio de Janeiro na quarta-feira, quando estavam fazendo as apurações dos desfiles das escolas.

Em São Paulo, o resultado fora apurado na noite anterior, saindo vencedora a Vai-Vai, as demais ficaram só na esperança.

No Rio, depois de alguma confusão com os jurados, o resultado deu vitória para Salgueiro .
Osvandir havia comprado um jornal em cada lugar onde esteve e vejam abaixo as manchetes de cada um.

Em Divinópolis, que não tem carnaval, chega nosso herói, mais cansado do que quando partiu, pegou o seu travesseiro azul e foi sonhar com os carneirinhos…

Manoel Amaral

Carnaval nos EUA com Obama
http://i35.tinypic.com/28lcmeq.jpg

EUA
OBAMA DANÇOU O SAMBA
A CRISE DAS FINANÇAS NÃO CHEGOU AO BRASIL.

Canadá
NEM O FRIO IMPEDIU O CARNAVAL

Portugal
ORA, POIS POIS. CARNAVAL PORTUGUÊS É EM COIMBRA.

França
O PRESIDENTE CUMPRIMENTA O LULIN

Argentina
ATÉ CLARIN TINHA NO CARNAVAL

Chile
Chile cumprimenta as escolas vencedoras

Venezuela
VAMOS PULAR CARNAVAL FANTASIADOS DE VERMELHO

Canadá
NO FRIO NEM CANA DÁ

Austrália
CARNAVAL É FOGO!