PENSAMENTOS DE MANOEL


LIVRO NO SENADO

Renan Calheiros acaba de lançar o seu novo livro: Como Enfrentar o Supremo em Nove Passos.

APELIDOS DA LISTINHA DEBRECHT
Caju, Índio, Justiça, Bitelo, Babel, Primo, Angorá, Caranguejo,, Polo, Ferrari, Botafogo, Las Vegas, Cerrado, Pequi, Helicóptero, Pino, Gripado, Todo Feio, Feia, Corredor, Misericórdia, Decrépito, Boca Mole, Kimono, Missa, Velhinho.
Misericórdia! Cada apelido de doer.
Se quiser saber quem são eles, leiam a reportagem.

PMDB – PONTE PARA O FUTURO
Ponte não, Pinguela, (FHC)
Pinguela sem corrimão.
Travessia só para experts.

Sogro rico e porco gordo só dá lucro quando mortos. Assim também é na política.

O Ano de 2017 começará exatamente no dia 1º de Março.

ALFAFA PARA TODOS
“Eu recomendo alfafa, muita alfafa. In natura ou como chá. É própria para muares e equinos, acalma e é indicada para passeatas non sense”, (Requião)
Chá de alfafa.
Em Portugal é também chamada de Luzerna. Indicação: O Chá de Alfafa é indicado para escorbuto, anemias, circulação sanguínea, falta de apetite, má digestão, úlceras nervosas, cistite, reumatismo, artrose, artrite, e como anti-abortivo e calmante. 

Publiquei nova foto no meu perfil, é a Igreja Matriz de São Gonçalo do Pará-mg.
Mulheradas russas querem casar com brasileiros.

Sei que vou apanhar de nossas mulheres, mas lá tem muitas bonitas e bundudas, como aqui.

O povo levou muita gente para guilhotina ou para forca, por isso é preciso cuidado nestas manifestações e assinaturas de apoio.

Hoje ainda não disse: –Capim para todos.

Estou lendo melhores crônicas de Ferreira Gullar.

A VIDA
A vida é boa, nois é que petecamos ela.

Cruzeiro Marítimo no Brasil é
Real Marítimo?

UE – União Europeia
O EURO está esfarelando-se.

Em cada quatro postagens três são de e-book gratuito. Já avisei sobre este assunto. Pura propaganda, Marketing Digital.

TEMER NÃO VAI TEMER
TEMER VAI TREMER
A pressão é muito
grande.

Renan é Rei… Rei Morto… Viva o novo Rei!.

Manoel Amaral

OSVANDIR, O ESPIÃO QUE ABALOU A RÚSSIA

Capítulo II
OSVANDIR, UM ESPIÃO

Ele foi preso e, acusado de ser um agente da CIA, a serviço de inteligência dos EUA.
“Osvandir foi acusado, pela Promotoria, de se passar por cidadão russo para, sob as ordens dos serviços de inteligência americano, se infiltrar em círculos políticos influentes da Rússia e coletar informações. Após as confissões no tribunal de Moscou, o juiz responsável pelo caso descartou as outras acusações que pesavam contra o suspeito – entre elas a de microfilmar importantes pesquisas sobre ufologia – e ordenou a sua deportação imediata do país, o que seria fruto de um acordo em troca das confissões..”

Se todas aquelas acusações se confirmassem ele seria enviado para a Sibéria, para trabalhos forçados, num local com temperatura maior que -25º (vinte e cinco graus abaixo de zero!). Logo ele que não estava suportando nem 20º, acostumado que estava com sol o ano inteiro em sua terra natal.

O Governo Americano mandou um avião com alguns espiões, a Rússia fez o mesmo. Pousaram num campo secretO e a impressa não teve acesso. Tentaram fotografar, mas não foi possível. Tudo fora projetado para que a integridade física do espiões fosse mantida.

Osvandir que mal conhecera a Rússia foi deportado para o EUA.
No avião, abriu sorrateiramente o seu note book e viu no seu jornal eletrônico preferido a seguinte manchete:

EUA e Rússia realizam maior troca de espiões pós-Guerra Fria

“Os órfãos da Guerra Fria voltaram a suspirar esta semana com a prisão em Nova York da jovem espiã russa Anna Chapman, acusada de usar seus encantos de mulher fatal, e ainda por cima ruiva, para seduzir funcionários do governo e empresários americanos. Buscava, diz a Polícia Federal dos EUA, “segredos íntimos” para o Kremlim.”
Outro texto vinha da Rússia:

“Um avião trouxe quatro espiões condenados na Rússia e que receberam um perdão do presidente, Dimitri Medvedev.”

Assim, nesta confusão de contra-informação Osvandir estava metido até o pescoço. A Rússia o acusava de espião, os EUA nem desconfiava que ele era brasileiro.
Quando puseram os pés em New York foi que o FBI descobriu um estranho entre os espiões. Interrogado e jogado numa cela fria por dois dias, depois foi levado para a prisão de Guantânamo, Base Naval dos EUA em Cuba, acusado de terrorista.

Por ali ficou até que o Consulado Brasileiro tomou conhecimento e providenciou documentação para a sua soltura.

Quando as autoridades americanas souberam que ele era “ufólogo brasileiro”, todos caíram na gargalhada.

Liberado e deportado com forte esquema de segurança. Partiu de Cuba num dia chuvoso e veio parar no aeroporto de São Paulo. De lá conseguiu ligar para um amigo que o trouxe até a sua terra.

Depois de passado o susto, ficou imaginando o que seria dele se fosse para a Sibéria, morreria dentro de poucos dias com os trabalhos forçados e o frio, logo ele que não passou nenhuma noite com a linda espiã ruiva Anna Chapman.

Manoel Amaral

Leia o Capítulo I e II

http://osvandir.blogspot.com.br/2010/07/osvandir-o-espiao-que-abalou-russia.html

http://osvandir.blogspot.com.br/2010/07/osvandir-o-espiao-que-abalou-russia_13.html

Osvandir, o Espião que abalou a Rússia

Imagem Google

Capítulo I
Moscou

“А информационная война – это комплекс мероприятий и операций,
проводимых в мирное и военное время, в которых информация
является одновременно оружием, ресурсом и целью.”

“E a guerra de informação – é um complexo de atividades e

operações realizadas em tempo de paz e de guerra, na qual a
informação é tanto uma arma , de recursos e efeitos.”
Jornal Pravda, Rússia

Osvandir passeava tranquilamente entre uns turistas, no Rio de Janeiro, antes de embarcar para a Rússia e assistiu a uma cena chocante. Um casal passeava na rua e um bueiro explodiu, lançando uma mulher a mais de três metros de altura. O fogo que saia do buraco provocou queimadura no casal, que foi imediatamente internado, em estado grave.

Depois dessa Osvandir seguiu direto para o hotel e em seguida para o Aeroporto Internacional do Galeão, comprando passagem, bem como seguro de viagem, para a Rússia. Perguntaram se era a passeio ou a negócios e foi informado que era a negócios. Foi Informado as reservas de hotel e programação da data de retorno em seus documentos.

Embarcou às 10h, para uma viagem de aproximadamente de 11.542 km de distância em linha reta do Rio de Janeiro, Brasil até Moscou, na Rússia. Horas e horas naquele confortável assento.

Um cafezinho, um salgadinho, bebida alcoólica que foi prontamente recusada. As aeromoças muito gentis.

Leu revistas e os dois livros que levou: Como aprender Russo em 30 dias e Giselle Montfort, a espiã nua que abalou Paris”, de David Nasser. Um Guia da capital russa, Moscou, também encontrava-se na maleta de mão.

Abriu um jornal, mas estava em Russo e não entendeu quase nada, dizia qualquer coisa relacionada com espionagem nos EUA.
Fizeram escala num país da Europa, Portugal. Seguiram em frente.
Osvandir resolveu perguntar quantas horas de Brasil a Moscou, a aeromoça, num português muito enrolado respondeu que gastariam 15 horas.
Mês de julho deste ano 2010, a temperatura em Moscou apresenta-se em média de 21 a 24 graus, quente para eles, mas suave para Osvandir.
A maior dificuldade foi devido à língua, o problema foi resolvido com a contratação de um intérprete.
Na Praça Vermelha viu o Kremlin ao lado. Andou de metrô, na Linha Vermelha. Aquilo que é meio de transporte. Que organização. Com 19 estações e 26,1 km de comprimento. Foi uma das primeiras linhas de metrô criadas em Moscou.

Os principais pontos turísticos de Moscou: Visitou o Museu Nacional de História, Catedral do Cristo Salvador, Museu de Belas Artes Púshkin, Catedral de São Basílio, Teatro Bolshoi.
Osvandir fez uma reserva, com antecedência para o espetáculo de 6 de julho, no Teatro Bolshoi, valor US$279 por ingresso. Conforme o cartaz tratava-se do Ballet Clássico Alexander Glazunov “Raymonda” (Balé em três atos).

O luxo nas dependências do Teatro impressionou o nosso herói, a Orquestra Sinfônica Teatro Bolshoi, estava lá com todos seus membros, na direção de Pavet Sorokin.
O pessoal do Teatro ainda estava um pouco abalado pelo falecimento de Marina Semenova, lendária bailarina clássica da época soviética, aos 102 anos, dia 9 de junho próximo passado.
Ficar nas residências, ao aconchego do aquecimento é muito bom, mas sair às ruas, para quem vive o verão praticamente o ano inteiro, no seu país de origem, é meio difícil. O frio é muito forte para quem não está acostumado.
Por esta razão, assim que a peça terminou, Osvandir correu para o hotel, mas teve uma surpresa quando atravessou a porta de entrada. Dois policiais da KGB estavam a sua espera. Foi preso.
Manoel Amaral

Leia os dois capítulos I e II

http://osvandir.blogspot.com.br/2010/07/osvandir-o-espiao-que-abalou-russia.html

http://osvandir.blogspot.com.br/2010/07/osvandir-o-espiao-que-abalou-russia_13.html

OSVANDIR E O MISTÉRIO DA LUZ ESPIRALADA

Esta semana, a cor azul está tomando conta dos casos. Veio a pedra azul que caiu do céu e esta gigantesca espiral luminosa pairando sobre a Noruega.

Laser não pode ser, festa lá não tinha. Era um lugar ermo. Um fenômeno misterioso. Lindo de se ver mas deixou a todos assustados.

Um meteoro? Uma bola de fogo? Um UFO? Ninguém sabe ao certo!

Alguns cientistas dizem que tratava de um rastro de um foguete russo. Já fizeram muitas experiências e entendem do assunto, mas a Rússia negou que esteja fazendo testes com foguetes naquela área.

No entanto a Marinha Russa disse que estaria mesmo fazendo experiência naquele local e deve ser o lançamento de um foguete que não deu muito certo.

Osvandir lembrou de seu tempo de criança, lá do no Estado de Goiás, quando soltava busca-pé. Se alguém quebrasse um pedaço da cauda (varinha de bambu), ele girava no espaço, que nem a figura formada das fotos da Noruega.

Não é a primeira vês que este tipo de imagem aparece no céu, mas com esta beleza e registrada por câmaras possantes, é difícil de encontrar.

Cientistas do mundo inteiro quiseram dar os seus palpites e muitos informaram que não se tratava de uma aurora.

O mais interessante é que de seu centro partiu um raio azulado em direção a terra.

Poderia até ser um tipo de experiência, para um novo filme 2012!
Os adeptos de filmes apelidaram o fenômeno de “Star Gate”, quem sabe poderia ser um buraco negro?

Seria um fireball, bola de fogo, ou explosão nuclear?
Pode tratar-se de um novo fenômeno celeste. Um aviso?

Vamos deixar de brincadeira que a coisa é séria. Se a Marinha Russa confirmou que esteve fazendo experiência no local, quem sabe possa até ser aqueles tipos de escudo invisível para abater foguetes inimigos?

Para Osvandir aquilo foi apenas um redemoinho de luz, mas que beleza! Parecia até um daqueles que aparecem no mar.

MANOEL AMARAL

OSVANDIR E A SEMANA SANTA

QUEM MATOU ESTE HOMEM?

“The State of Israel is at war with the Palestinian people,

people against people, collective against collective.”

Benjamin Netanyahu (primeiro ministro de Israel)


Pelos cálculos, ele nascera em 1976, em Belém-PA, Brasil. Tornara-se conhecido pela sua grande sabedoria. Desejava a paz das Nações. Vivia nas favelas ou periferia das cidades, em companhia dos pobres.


Viajava sempre para Israel e seus arredores. Visitava os palestinos, via as suas misérias, o muro, as bombas, os tanques, explosões a toda hora.


Ensinava ao ar livre, debaixo do que restou das árvores do território palestino, bem como atendia a pedidos para palestrar em grandes recintos fechados, com modernas técnicas de comunicação.


Pregava o igualitarismo radical, tanto em níveis socioeconômicos (alimentação e o uso da água para toda a população), como o religioso-político (liberdade religiosa e política). Essa combinação poderia ter levado a execução deste homem.


Vamos resumir a sua história: saiu do Brasil aos 30 anos. Perambulou pelo mundo, visitando a Índia, a China, a Rússia, praticamente toda Europa. Teve um carinho especial com aquele povo sofrido da África, visitando constantemente aquela região.


Conversou com grandes líderes do G20 para que ajudassem os países mais pobres.


Arrecadou e mandou toneladas de alimentos para o Haiti, Nordeste Brasileiro e onde havia falta de comida. Levou sua palavra de consolo a muitas regiões do planeta.


Pregou nos mais afastados recantos da terra. Atravessou, oceanos, rios e lagos a procura de alguém que precisasse de sua palavra, nestes tempos de aflição.


Passou uma temporada nos Estados Unidos, falando ao povo, em tempos de crise.

Pregou aos grandes como perdoar e fazer a caridade. Ensinou aos pequenos como suportar a dor e continuar vivendo.


Previu que grande crise mundial viria, mas que seria suportada pela população.

Disse aos barões da coca, traficantes, assassinos, colarinhos brancos, políticos e banqueiros corruptos, e demais bandidos que se não mudassem de vida, veriam seu mundo ruir num piscar de olhos.


Foi sentenciado de morte pelos poderosos, queriam que ele fosse banido de Israel. Passou a viver mais tempo do lado palestino, cuidando dos doentes e criancinhas abandonadas.


Criou e sustentou várias escolas e creches ao longo da Faixa de Gaza.

Ajudou muitos peregrinos que iam visitar Jerusalém e que encontravam-se em dificuldades.


Criticava as bases políticas, religiosas, sociais e econômicas de Israel.

Achava que o Rio Jordão e suas águas pertenciam a todos. Pregava sobre a desigualdade social.


O Povo Palestino em menor número, pobre, estraçalhado pelos foguetes de Israel, só poderiam revidar através de atos de terrorismo. A sua religião ensina as crianças a seguir seus líderes, transformando-se crianças em homens bombas.

Homem sereno e transcendental, sozinho, dolorosamente humano.


Naquele dia, numa sexta-feira, foi preso, carregado até o muro das lamentações, torturado, arrastado por jipes de guerra.


Levaram-no até aos portões de entrada para a Palestina. Pela lei dos Judeus seria o seu castigo o apedrejamento, no entanto foi amarrado numa cerca elétrica de arame farpado.


Colocaram uma coroa feita de arame de aço perfurante na sua cabeça e declararam-no Rei dos Judeus.

Quando estava agonizando um soldado israelense deu uma saraivada de balas com sua metralhadora e perfurou-lhe todo seu peito e informaram para a imprensa que o tiro partira de uma arma dos palestinos.


No muro ao lado uma frase: “Quem vive pelo fuzil, pela metralhadora morrerá!”


Manoel Amaral