O FRANCÊS QUE NÃO ENTENDEU O BRASIL II e porque ele fugiu correndo…


Este adorável francês Jean chegou aqui ao Brasil, dois meses antes da maior Copa do Mundo.

Depois de andar por todo lado resolveu visitar um parque nacional, foi lá para Mato Grosso, na Chapada dos Veadeiros (êpa!), um local lindo para visitar.

Por onde se pode encontrar ainda o pau-terra-vermelho, o caju-do-cerrado, o murici, e as mandioqueiras. No meio da mata tem até pau-d’arco roxo (raro), copaíba, aroeira e tamanqueira. Muito buriti e babaçu por todos os lados.

Entre os animais que podem ser encontrados por lá: a onça pintada, o cervo-do-pantanal, o veado-campeiro, lobo guará. Tem ema, urubu-rei e o gavião real. Se der sorte pode até encontrar a anaconda gigante.

E o nosso pobre turista não tem a menor noção destas coisas, só conhece o local por fotos, cinema e TV.

Lá vai ele e mais dois colegas embrenhando-se na mata a procura de um bom lugar para acampar.

Acho que eles nem leram as placas que é proibido fumar nas áreas de visitação.

Também eles já haviam embrenhado no mato, sem guia nem nada. Acharam que poderiam seguir mata-a-dentro sem se perder.

Ali não havia sinal de celular e a noite já vinha de mansinho.

Seguiram pela trilha de Seriema, a mais curtinha, um ótimo local para banho.
Deram azar por que esta trilha é uma das menos visitadas, poucas pessoas passam por ali.

Saíram fora do indicado, a procura de um poço para refrescar do calor.
Perderam-se na floresta, pouca comida, sem sinal de celular, não conheciam o local. Anoiteceu.

De manhã os três franceses tentaram voltar, mas quanto mais andavam, não saiam do lugar e cada vez perdiam mais a noção do tempo e localização.

Uma onça pintada rosnou atrás das moitas, Jean escorregou na casca de uma fruta e caiu. O animal, que procurava outra vítima, deu um salto e conseguiu pegar um coelho selvagem.

Uma ema passou rápido, quase não foi percebida, estava a procura de alimentos como folhas, brotos, sementes, insetos e pequenas serpentes e animais.

Os três turistas foram resgatados pelo Corpo de Bombeiros, depois de várias horas perdidos naquela mata.

Manoel Amaral
www.casadosmunicipios.com.br

OSVANDIR E O CARNAVAL DE 2011

“Depois do Carnaval as máscaras caem…” Omair, Primo do Osvandir

Osvandir abriu os jornais, só tinha fotos de mulheres quase nuas, dançando no carnaval do Rio, São Paulo ou Salvador.

Pensou, pensou, resolveu cair no samba. Foi primeiro pro Rio, ficou no camarote do jogador Neimar, passou no da Xuxa e várias outras personalidades. Não perdeu tempo e aproveitou para conversar com alguns turistas.

A Rainha de Bateria da Imperatriz Leopoldinense Luiza Brunet, quando desfilava, acenou para ele.

Já no camarote da Brahma várias personalidades desfilaram, inclusive o Osvandir. Quando estava cantando e apreciando as baterias junto com aquele cantor Luan, e umas bonitas dançarinas, apareceram os Vesgo e Silvio Santos do Pânico e estragaram tudo.

Em Salvador encontrou com Ivete Sangalo e Claudinha Leite. Desfilou nos trios elétricos.

Todos disseram fogo! Foi um alvoroço geral, mas era a Águia de Ouro invadindo o Sambódromo do Anhembi.

Todos disseram fogo! Era fogo mesmo! “Aparecida foi a quinta escola a desfilar no Carnaval de Manaus 2011, sofreu com um incêndio em uma de suas alegorias”.

O carro “Cinema em Terceira Dimensão – Arte ou Ilusão”, da Mocidade, de São Paulo, quebrou antes do desfile, estava muito pesado.

Engraçado, Osvandir não viu mulher pelada neste carnaval…

Muita gente fazendo xixi na rua e foram presos. Turistas olhavam e não entendiam nada.

Cansado de tanta movimentação, fantasias e sonhos mil, voltou para Minas, para pagar as contas de IPTU, ISS, INSS, IPVA, Aluguel, Oficina, Farmácia e empregada, sem falar no Imposto de Renda que espera todo mundo neste mês de março. É conta demais para quitar é melhor não deixar acumular.

Quarta-feira de cinzas, ao pó vamos retornar…

Manoel Amaral