OSVANDIR NO CEARÁ III

Capítulo III

A PEDRA DA GALINHA CHOCA

“Os grampos na telefonia brasileira me lembra a
União Soviética, com seu sistema de escuta e
“deduragem”. (Moura)

Ao chegar a Quixadá, Osvandir viu logo a pedra da Galinha Choca do lado direito de quem vem de Fortaleza.

Quando todos desceram da van, o guia, o primeiro a descer disse:
— Sejam bem-vindos a Quixadá, a cidade dos monólitos e da Galinha Choca. Esta excursão consiste de várias modalidades. Recomendo antes de tudo, com respeito à vestimenta e acessórias. São indicados o uso de mochila, vestimenta de tecido resistente, protetor solar, chapéu e traje de banho. Uma máquina fotográfica e um binóculo são excelentes acessórios.

Osvandir sentiu-se menos rico, depois de dormir no Othon, mas lembrou-se de que estava em uma cidade do interior do Ceará. Foi avisado pelo guia que às 8 horas iriam iniciar a excursão na Cidade e arredores. Ele saiu do hotel, chegando à calçada já havia pessoas esperando o veículo da excursão.

A Van chegou, uma linda moça loura desceu e falou:
– Sou a guia da Agência podem entrar todos. Vamos até uma praça espaçosa para falarmos sobre a história de Quixadá e seus mais importantes pontos turísticos. Estacionaremos numa praça larga e bem arborizada com árvores antigas. Todos desceram e se colocaram na sombra de uma árvore frondosa.

— Por favor, sentem-se no chão, para terem melhor contato com a natureza. Vamos juntar mais um pouco para explicar o que iremos ver hoje e saber sobre os pontos turísticos e prática de esportes radicais.

Vou começar pela história da cidade. Todos já estão com traje esporte que é a melhor opção.
Vou ler resumidamente sobre a história desta cidade; nunca consegui decorar esse texto.
– A colonização de Quixadá ocorreu através da penetração pelo rio Jaguaribe, seguindo seu afluente o rio Banabuiú e depois o rio Sitiá, cujo objetivo principal era a conquista de terras para a pecuária de corte e leiteira…
Já estavam ali por meia hora e a jovem loura não havia terminado de ler tanta história do Nordeste. Os pontos turísticos principais são:
Açude Cedro, Santuário Nossa Senhora Imaculada Rainha do Sertão, Chalé da Pedra, Lagoa dos Monólitos, Pedra do Cruzeiro, Serra do Estevão, Clube Cearaqui.

Em 2004, o então estudante de arquitetura da Universidade de Fortaleza, Osíres Abreu de Menezes Bezerra apresentou como Trabalho de Conclusão de Curso, um Projeto para Construção de um Centro Ufológico em Quixadá-CE – considerada por muitos a capital ufológica do nordeste.

A Guia continuou, falando sobre os esportes radicais praticado no local: Vô Livre, Moutain Bike, MotoCross, Off Road, Rapel e Trekking.

As principais trilhas para trekking são: Barriguda, Olho D’água, Andorinhas, Boqueirão, Cabeça do Gigante.

A Cabeça do Gigante, é uma enorme escultura natural, caracterizada por três grandes locas que se interligam e atravessam todo o serrote, formando entre os vazios impressionantes arcos de pedra que se assemelham à cabeça de um gigante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *