OSVANDIR NO CEARÁ

A CHEGADA
Ah, minha amiga, meu amigo, (no Brasil) nada se cria, tudo se desvia.
Tem gente que desvia avião, um troço grande daquele,
imagine merenda escolar, que cabe no bolso da calça.”
Ricardo Kelmer – Jornal O Povo – Fortaleza-CE
Osvandir resolveu sair da Bahia, onde viveu aquela aventura na casa assombrada. Al estava certo, ele ficara um pouco abalado com os últimos acontecimentos. Mesmo assim resolveu voltar para a casa do Manoel que havia sofrido um acidente feio. Uma queda quebrara-lhe o nariz e várias escoriações pelo corpo. O rosto estava ainda inchado, vários dentes foram afetados. A arcada dentária deveria ser recuperada através de cirurgia.

Moura havia solicitado a sua presença no Ceará, havia bastante tempo, o recurso era ir para aquele estado verificar os estranhos acontecimentos ufologícos.

Enquanto seguia para aquele estado recebeu notícias do Bahia, pelo amigo JJ, que em Conceição do Almeida, naquele Estado, estaria aparecendo uma luz, ao cair da noite, que muda de cor. Uns acham que é a Mãe do Ouro, outros acreditam tratar-se de naves espaciais.

Osvandir deverá voltar aquele estado para verificar estes fenômenos.

Saiu de Belo Horizonte, em vôo direto para Fortaleza, no Ceará. Tempo bom, muito sol, viagem sem nenhum contra tempo.
Ao descer do avião, pegou uma de suas malas e seguiu até o setor de informações do Aeroporto Internacional Pinto Martins.

Deu uma ligeira olhada para pista, calculou que teria uns dois quilômetros e meio, mais ou menos, bem acabados e bem equipados, com luzes noturnas em perfeito funcionamento.

No pátio de estacionamento vários aviões de médio e grande porte, em posição de vôo.

Dirigiu-se ao Serviço de Informações Turísticas para saber alguns detalhes sobre hotéis e passeios pela capital Fortaleza.

Logo após, esteve na Praça de Alimentação, tomou um chope, comeu algumas batatinhas fritas, olhou vitrines, passou por uma banca de revistas e adquiriu os jornais O Povo e o Diário do Nordeste. No último uma manchete o preocupou:

TAXISTA ACUSADO DE ASSALTO
Não quis nem abrir o resto do jornal. Pegou o outro e as manchetes eram:
Tentativa de assalto deixa homem baleado
Onda de furtos no Centro assusta comerciantes

Informava que na Avenida Imperador a coisa andava feia. Os comerciantes estavam fechando as portas por causa dos crimes.

O Moura tinha toda razão, as coisas no seu Estado não andavam bem.
Ao chegar ao Hotel Fortaleza Othon Pálace, próximo da praia, deu uma olhada no local. Um sol bom para se bronzear, muita gente deslocando-se para as barracas, muita comida e bebida, artesanato e outras coisitas mais.

Confirmou a reserva feita pela internet, pegou as chaves do apartamento e subiu para um banho. Ao ligar a TV, outra notícia não lhe agradou:
Igreja fechada por falta de segurança…
O café da manhã, com frutas, biscoitos, bolos, queijos, presuntos, pães, e várias outras iguarias era um verdadeiro almoço.

Deu uma passada pela piscina, sala de massagem, sauna e acabou chegando ao restaurante. Três salões enormes, para eventos, chamou a atenção de Osvandir. O Hotel era mesmo um dos melhores de Fortaleza.

O encontro com Moura estava programado para o dia seguinte.
Tudo seguiria normalmente, se não fosse um pequeno incidente ocorrido na rua. Três jovens viciados em drogas abordaaram Osvandir solicitando dinheiro. Este reagiu e um deles arrancou uma faca e o outro um revólver 38…

Continua
Manoel
http://www.othonhotels.com/H00693/POR_index.asp

3 thoughts to “OSVANDIR NO CEARÁ”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *