OSVANDIR NO ESPAÇO – V

CAPÍTULO V
OSVANDIR NAS ESTRELAS

Se não bastassem os barulhos que andaram perturbando o Osvandir nos últimos dias, na noite anterior ao seu sumiço misterioso, ele teve um sonho muito intrigante e confuso. Talvez prevendo um acontecimento que mudaria de forma radical a sua vida de Ufólogo e pesquisador. Como acontece na maioria dos sonhos, é difícil lembrar e entender tudo o que se passou. No seu gravadorzinho de bolso, que o acompanha sempre que saí em busca de novos casos, ele narra o sonho da seguinte forma:

Um ser de aparência humana, trajando uma roupa prateada, colada ao corpo, cabeça encoberta por um capacete reluzente como ouro. A bordo de uma nave espacial prateada, bradava firmemente para uma multidão estupefata à beira de uma rodovia.

“Caros Terráqueos, filhos das estrelas, esquecidos do nosso passado, vocês estão a milhões de anos luz atrasados. Querem voltar ainda mais no tempo? Nada disso! Vocês estão aqui por minha culpa, estamos ficando cada vez mais incumbidos desta idéia de viajar no tempo, para proteger a população terrestre. Estamos tentando evitar que seu planeta seja destruído por vossas próprias mãos. Viajamos com nossas próprias naves. Eis o dilema! Cadê as naves? Perguntam-se. Vocês não as vêem porque mal conseguem sobreviver numa boa aqui na Terra. Se não conseguem viver bem entre vocês mesmos, imaginem com algo que não conhecem ainda.

Na minha infância eu gostava de olhar o céu que chamava de firmamento.
Mas de repente uma idéia suscitou, viajar agora, de qualquer jeito.
Meu povo da Constelação UFOVNIA me pediu para pegar umas centenas do povo terrestre para ver se conseguíamos introduzir dentro delas todo o nosso conhecimento.” Osvandir continua narrando seu sonho…
“Agora, por enquanto, eu estou viajando por minha conta para ver se os nossos irmãos Ufovnianos permitem a entrada, pelo portal dimensional, dos terrestres escolhidos. Sem documentos, e sem dinheiro no bolso porque em Venúsia, nosso Planeta natal, não precisamos disto..
Venúsia é o segundo planeta do nosso Sistema, tipo terrestre, o telúrico, um dos mais brilhantes vistos da Terra.
Nas noites claras que passo na Terra posso observá-lo, estando sentado na minha poltrona da cabine do meu veículo espacial, onde telepaticamente me comunico com uma bela venusiana, de cabelos longos e olhos azuis. Gentilmente me disse estar atento a não capturar nenhum terrestre que destrói o próprio Planeta, para não poluir o nosso meio ambiente. Que nunca tentem sequer imaginar fazer isto em nosso Planeta porque seriam banidos do espaço e do tempo, coisa que nós, venusianos, adoraríamos.
Voltando à terra com meus pensamentos e com toda a vontade de voltar para Venúsia novamente , convido somente vocês, meus amigos da Terra. Estais prontos? Logo, eu, o Onovnir e os escolhidos, com minha nave de luz, conseguiremos alcançar uma dimensão que nem sequer o Challenger, Columbia, Apollo ,Ullysses, Voyager, Mir, Soyuz, ou qualquer nave espacial terrestre conseguiu.”
“Mas antes de tudo terei que pedir ao Pepovnir, nosso superior de Venúsia, se poderei levar junto um terrestre que vai ser pai novamente. Se ele não permitir, terá que ficar na Terra. Uma pequena Venusiana está chegando na Terra chamada Annanovnir, em outra nave, junto com o também venusiano Nunovnir. Outro venusiano está pousando na casa dele chamado Miguelovnir”.
“Então como faremos para estarmos juntos? Só se deixarmos a viagem para outro tempo e espaço. Mais uma outra coisa do futuro que vocês precisam saber. Não precisaremos de nenhuma nave já que o nosso corpo será um corpo de LUZ estará apto para viajar sem nave nenhuma como o fazem os nossos irmãos extraterrestres de nível superior. As naves são consciência de LUZ em plena expressão, por isso transcendem as leis da matéria. Têm total controle do ambiente onde atuam . Não confundir com a materialidade. Pelo meio dos sentidos que percebemos o universo. “

Neste trecho a gravação do Osvandir encerra de forma inesperada. Não havia mais espaço na fita para gravação. No dia seguinte a este sonho misterioso, o Osvandir partiu em direção à Rodovia Bandeirantes de onde sumiu sem deixar rastros.

@NN@ & AL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *