NOVOS CÍRCULOS APARECEM EM IPUAÇU/SC

Imagem Google, hoje, 02/011/13, Ipuaçu/SC
Incidente em Rosvolândia

Em 2008, Osvandir juntou o material, barraca de camping, lanterna, máquina digital, binóculo, dez metros de corda, outros bagulhos menores e cartões de crédito; pegou o carro e sumiu na estrada. Destino: Riolândia, São Paulo.

Assim que chegou a cidade foi logo a banca de jornal e comprou um regional O Jornal “BOM DIA” de S. J. Rio Preto, com a seguinte manchete:

Riolândia atrai curiosos para ver rastros de ‘E.T.’
Canavial se torna atração na região e arrasta dezenas de
moradores de cidades vizinhas para ver o ‘fenômeno’

Cidade pequena, cerca de 8.500 habitantes, norte Estado de São Paulo. Prefeito assustado com repentino aumento da população no município. Câmara Municipal preocupada com repercussão do fato na mídia internacional.

Tudo aconteceu num terreno de uma pousada turística. Osvandir hospedou-se na cidade, num pequeno hotel.

Uns acreditam que ali tenha pousado um Disco Voador de grandes proporções, deixando aquelas marcas.

A única testemunha, disse que já repetiu a mesma história mais de 50 vezes para pessoas curiosas, ufólogos e autoridades.

Alguns moradores do lugar também informaram que na mesma noite ouviram barulhos e os cães latirem, depois tudo caiu num silêncio profundo.

Os céticos afirmam que tudo não passa de uma armação para atrair turistas para o local. Os crédulos acreditam mesmo que uma nave espacial de grandes proporções pousara naquele local.

Depois de muitas medições, conferindo também a radiação, Osvandir chegou a conclusão que tudo aquilo não passaria uma manifestação da natureza.

Osvandir aproveitou o público: jornalistas, ufólogos e outros visitantes, para fazer um grande círculo no meio do canavial, a título de ilustração.

Pegou a corda de dez metros que levou, pediu uma marreta, um pau para estaca e foi para o meio do canavial. Plantou a estaca num determinado local, passou uma argola de metal sobre ela e amarrou a corda naquele aro. Convidou duas pessoas para ajudá-lo. Uma ficou no centro controlando a descida da corda, Osvandir e outro ficaram na ponta. Esticaram a corda até o fim dos seus dez metros. Foram andando, fazendo o círculo devagarzinho, primeiro passaram a corda nas canas, mais ou menos um metro de altura, depois baixaram para meio metro e finalmente o mais rente possível do chão.

O que se viu depois de pronto foi um perfeito círculo, com 20 metros de diâmetro! Todo mundo ficou sabendo direitinho como poderiam fazer círculos em canaviais, arrozais, trigais e outros ais.

Mas o que se viu em Riolândia não chegava nem perto daquilo. Apenas umas canas rebaixadas talvez por um forte vento. A tal tesoura de vento que eles falam no interior. É o que a maioria acredita. Só foi visto porque está muito próximo da estrada da Pousada e do rio.

Alguns turistas que chegaram depois adoraram o círculo do Osvandir. Acreditaram mesmo que aquilo seria de ETs.

É assim que se produzem os fatos, aquela mentira vai se tornando realidade devido a pouca informação e muita ignorância. Já tem gente levando até santo pra lá. Estão fazendo romaria…

Acredita-se que tenha interesse financeiro no fato. Alguns hotéis e pousadas já estão cobrando mais caro e todos estão lotadas a semana inteira. Tem serviço de Táxi que leva o pessoal até o local.

João,  nosso amigo de Minas, articulista, descobriu que Riolândia já consta até da Wikipédia, a grande enciclopédia digital: “Poucos dias depois do ocorrido, já podemos encontrar citações do caso de Riolândia nas principais mídias do ramo ufológico, em blogs, comunidades, fóruns, sites nacionais e internacionais”. Tudo feito às pressas, alguns links acabam dando em Portugal.

Mas Osvandir, de tanto conferir as medidas, acabou desistindo e foi ver se conseguia dormir, para a partida no dia seguinte. Não conseguiu, teve que dar entrevistas para os canais de TV e jornais. Muita chateação, falação e repórteres escalados para a matéria que nada entendiam do assunto com perguntas impróprias. Algumas até engraçadas, porque não dizer hilárias.

Cansado de tanta besteira Osvandir resolveu voltar para casa. Arrumou tudo, foi pagar as despesas na portaria do hotel e ficou surpreso: não devia nada. O proprietário disse que não ia cobrar nada porque de certa maneira ele havia contribuído com o esclarecimento dos fatos. Não entendeu nada, ficou até curioso com o assunto.

Na manhã seguinte leu a seguinte manchete no Jornal da região de Riolândia:

“NOVO CÍRCULO APARECE EM CANAVIAL DE RIOLÂNDIA”

No subtítulo a matéria dizia que o novo círculo aparecera na noite anterior e tinha aproximadamente 20 metros de diâmetro.

Manoel Amaral

www.casadosmunicipios.com.br

OSVANDIR E O SUMIÇO DE LOURENÇO

A ABDUÇÃO
“Abdução Alienígena é o nome que se dá ao seqüestro e
abuso físico de seres humanos por criaturas do espaço exterior.”
Edson Aran

Ele chegou dizendo que viajara para muito longe. Que sofrera muito. Eles o pegaram, colocaram num carro esquisito, triangular, todo verde escuro, com faróis muito possantes e emblemas desconhecidos. Um enorme círculo e um traço horizontal cortando-o ao meio.

Informou que de tanto tomar uma espécie de choque, ficou com o braço esquerdo paralisado. Uma luz forte impedia que ele visse melhor quem eram os agressores. Continuou explicando para Osvandir:

“Foi em maio de 1970, logo depois das festas de Nossa Senhora, aqui no povoado. Acordei assustado, vi uma luz muito forte, achei até que era farol de caminhão. Abri a porta e alguma coisa acertou minha cabeça. Não vi o que era. Fiquei imóvel por muito tempo, perdi os sentidos. As vozes eram muito agudas e pareciam que estavam arranhando uma lata ou mesmo um barulho de TV quando está fora do canal. Quando acordei estava todo banhado em suor.”

Lourenço continuou contando aquela história incrível:
“Acho que fiquei muitos dias desaparecido, não sei dizer. Parece até que voei muito alto. Mostraram-me coisas que nunca vi na vida. Equipamentos bem polidos, brilhantes. Veículos voando por todo lado, sem gasolina, álcool ou qualquer outro combustível conhecido. Passei um bom tempo com dor de cabeça, náusea e tontura. Perdi uma parte da visão. Nas pontas dos meus dedos apareceram estranhas perfurações. Estive num local onde existia uma espécie de hospital, coisa muito fina, chique. Não se via nada fora do lugar. Tudo muito branco, camas e macas muito aperfeiçoadas. Ali os médicos tinham pouco trabalho, as máquinas faziam a maior parte dos serviços. Telas gigantes refletiam imagem de todo o corpo do paciente.”

Fora deixado em outro estado, sem referência nenhuma. Ficou perambulando por várias cidades. Perdera o rumo de sua terra natal.

Assim que chegou em casa foi considerado um louco que havia sido torturado pelo regime militar.

A família procurou um advogado, que após pesquisar o caso, entrou com uma ação de indenização por danos materiais e morais.

Hoje recebe uma pensão mensal no valor de vários salários mínimos.
Dizem que no seu caso houve perseguição política, prisão e tortura.

Não existe prova de que Lourenço foi abduzido por extraterrestres, mas também ninguém descarta tal hipótese.

MANOEL AMARAL
www.afadinha.com.br

Untitled

OSVANDIR E A CRISE MUNDIAL

“O fim do mundo começou…” Avô do Osvandir

Estamos no ano de 2012, um grande planeta aproxima-se da terra. Isto fora previsto há uns 30 anos atrás, mas ninguém dera ouvidos para o fato. Não tomaram medidas para alterar o curso do astro.

A lua saiu da sua rota, o cataclismo alterou os pólos da terra, O pólo Norte estava em outro lugar, grande choque na crosta terrestre. As calotas polares derreteram e aumentou o nível das águas do mar. As cidades litorâneas desapareceram. Minas Gerais virou mar, lindas praias apareceram por todo lado, crianças inocentes brincando na praia, alheias aos acontecimentos.

Vários eventos acontecendo: bolas de fogo caindo por toda parte, sol soltando labaredas de milhares de quilômetros, clima insuportável.
Ninguém saberia dizer se faria sol ou chuva. Chuva de granizo por todos os cantos da terra.

Os vulcões, gêiseres, maremotos e terremotos agitavam os continentes.
Até vulcão extinto voltou a soltar fumaça de quilômetros e lava correndo para o mar.

Na China, Japão e em toda Ásia não passava um dia sem um terremoto. A população em polvorosa, um desastre difícil de narrar. Ondas gigantes destruindo cidades inteiras, milhares de mortos por todos os lados.

A crise financeira mundial viu bancos quebrando, empresas falindo, comércio retraindo e empregos sumindo. O Dólar e o Euro sofriam desvalorização diária. Os países ricos, de repente se tornaram pobres. Por incrível que pareça o Real continuava como a única moeda estável. O emprego moderno desapareceu, muitos voltaram para a zona rural, praticando aqueles trabalhos de seus avós.

O Presidente que daria solução para o mundo, não estava agüentando tantos problemas.

As doenças chegaram em todos os países, cada vez mais fortes. Gripes desconhecidas, sarampo, febre, alergia, AIDS, vaca louca, um vírus novo, criado na internet atacava quem ficava muito tempo no teclado e uma série de males para atormentar o povo, já quase sem esperança.

A mudança climática já se fazia notar em toda parte. Bactérias causando temporais de chuva ácida espalhando o terror pelo planeta.

Na África grandes incêndios queimando milhares de quilômetros quadrados, deixando para trás um calor arrasador e um chão completamente limpo, sem nenhuma vegetação, só cinzas. Centenas de pessoas desaparecidas e animais completamente torrados.

Na América do Sul grande perda com a produção agropecuária ameaçada pela seca mais grave dos últimos 50 anos, cujo prejuízo chegou a bilhões de dólares, causando conflito entre produtores e Governo. O que sobrou, veio a chuva e levou.

Intensa onda de calor que atingiu a Ásia e a Austrália, provocando caos total, deixando sem eletricidade milhões de pessoas, afetando a circulação dos trens e o trânsito em geral.

Grande parte do mundo já sentia as conseqüências da falta de água doce. A Amazônia já estava suprindo o resto do mundo. Navios de vários países vinham aqui buscar água.

A internent virou um mundo a parte. Os spans enchiam as caixas dos internautas e ninguém sabia de onde vinham, aquilo virara um inferno, tudo cruzando na tela do computador. Os atuais foram engolidos por outros softs maiores e melhores, dos próprios governos. Cada qual queria alcançar o internauta primeiro. A era do “olho que tudo vê” havia chegado. Chegamos a tal ponto que tudo girava em torno do computador. Todos recebiam uma senha e começava pelo número 666.

A guerra agora era praticada na rede. Não precisava de exército, tanques, soldados e nem canhão. Os hackrs mandavam foguetes para onde queriam, uma espécie de Guerra do Golfo, ampliada, alcançando o mundo inteiro. Era um Apocalipse Total!

As grandes agências mundiais de espionagem não precisavam mais viajar, pesquisar, estava tudo na internet para quem quisesse ver.

Um brasileiro de 14 anos, inventou um simples programinha que engoliu os grandes softwares financeiros. Ele tinha a capacidade de retirar de cada banco e cada conta bancária um valor predeterminado e transferir para outras contas indicadas. O menino ficou bilionário.

As grandes profecias dos Maias sobre o ano de 2012, Nostradamus e dos Profetas Bíblicos se cumpriram. A terra estava um verdadeiro inferno, um Juízo Final!

No meio de tanta desgraça, Osvandir resolveu consultar um Profeta do Cerrado de Mato Grosso. Pegou o carro elétrico, pois não existia mais gasolina como combustível, seguiu para uma pequena cidade do interior e lá estava o Profeta falando para o povo.

Aguardou até que ele terminasse o discurso e foi perguntar-lhe o que seria do mundo.
__ Quando teremos uma pausa de tanto sofrimento pelo mundo?
__ Haverá uma reunião para a Nova Ordem Mundial entre os grandes líderes e aí aparecerá o Grande Irmão (Big Brother), um fato novo será anunciado e todos os povos terão paz.
__ Mas quem é este Grande Irmão?
__ Ele não é deste mundo. Ele virá para trazer a tranqüilidade para o povo.

Osvandir saiu dali pensando: seria o Grande Irmão um ET? Foi consultar no computador mais próximo. Clicou no buscador e lá saiu: O “Grande Irmão” (ou “Irmão Mais Velho”, em inglês: “Big Brother”) é um personagem fictício no romance 1984 de George Orwell.

Não satisfeito pesquisou em vários sites e chegou a conclusão que o Grande Irmão era o Google, que tem os dados de todas as pessoas do mundo e sabe o que todos querem comprar ou vender, namorar, casar ou enrolar. Sabe de tudo da vida de cada cidadão.

De repente, quando estava chegando a esta conclusão conclusiva, sentiu uma coisa pesada cair em sua testa. Assustou-se. Acordou.

Estava debaixo de um pé de jaca, próximo de uma igreja, no interior de Minas, onde pesquisava o aparecimento de um estranho Disco Voador em formato retangular, que aparecera em um canavial.

Por via das dúvidas levantou-se, entrou na igreja e foi rezar.

Manoel Amaral

OSVANDIR FOI PRA PASÁRGADA

“Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá a existência é uma aventura”
Manuel Bandeira

Enquanto nossos amigos Argonautas seguiam para a exposição de foguetes em Cabo Canaveral, na Flórida, local que Dr. Mendes conhecia muito bem de outra viagem sua, lá no acampamento de Bost Osvandir, ferido, febril, passou a delirar.
“__ Quero ir para pasárgada, lá posso passear com Angelina Jolie, com aqueles lábios grossos e tentadores.
Lá o Planalto não tem plano “B”, tem “plano alto”.
Naquele local a Ordem dos Advogados Extraterrestres não fica fiscalizando terceiros, metendo o nariz onde não deve, nem existe Prédio da Justiça em construção, que gasta bilhões de Zolares.
O Zolar, moeda local, está sempre estabilizada, não baixa e nem sobe, não prejudica ninguém.
Cartões corporativos nem pensar, os que existem somente para meia dúzia de autoridades maiores, que sabem como gastar.
Assalto a banco é coisa do passado. O último foi aquele do Banco Central, mas já está tudo resolvido. Os bandidos estão todos na Cadeia Global Intergaláctica (CGI).
Em Pasárgada os políticos são todos honestos, não existe fome e nem pobreza. Na verdade alguns políticos adotam apelidos bem engraçados: Progresso, Felicidade, Pai de Todos, Mão Branca, Polvo e outros mais…
Os Partidos políticos são poucos, mas trabalham pelo e para o povo. Tem nomes comuns: PL – Partido da Lua, PS – Partido do Sol, PSR – Partido Sem Religião, PP – Partido do Povo.
Na Capital Federal tem um hotel com o nome de “Legislatura” onde alguns políticos menores passam a maior parte do dia.
Naquela terra os Bancos têm juros baratinhos, quase zero por cento. São controlados, não podem assaltar o povo, com taxas e juros extorsivos. Não são como empresas que têm lucros. Têm programas sociais, realmente sociais, ajudam o povo.
Os aposentados nunca estão endividados. Podem passear, fazer turismo. São bem tratados, nunca assassinados.
As crianças têm prioridade em tudo, crescem lindas e saudáveis. Nunca são atiradas pelas janelas.
O Programa de Saúde funciona muito bem, a Febre Verde, já está controlada. Ela foi disseminada pelo vírus de um macaco ET, raça em extinção do Planeta Amarelo.
O único inconveniente é que naquela boa terra existem alguns mosquitinhos denominados Petedengues que são uma verdadeira praga. Infestam todos os locais de trabalho e os altos escalões. Mas já, já, estarão extintos pela fome e pelos próprios erros de cálculo.
Os seqüestros Raio são problemas menores, que foram controlados pela CIA – Comando Intergaláctico Aeroespacial.
Todos os brancos também têm cotas nas Universidades. Não existem raças superiores.
O gás da cidade-estado vem de outras duas comunidades chamadas Rolívia e Arruela.
Lá tem uma revista de ufologia denominada ARRUFOS e vários jornais eletrônicos – os impressos em papel estão em extinção: Virgília, Rodovia, Galáctíca e por aí…
A Galáxianet – com bunda larga, não deixa ninguém em desvantagem, todos podem navegar sem Explorer. Os programas Zoogle, Piorhoo, garantem busca em todo o universo.
Em pasárgada tem uma famosa indústria de refrigerante Rota-Cola que está sempre em briga com a concorrente Pesca-Cola. Coisa de mercado, no fundo são todas iguais. Satisfazem o desejo dos cidadãos.
Corrupção nem pensar… O último caso em que um funcionário público roubou um centavo do Zolar, foi severamente punido!”
Osvandir estava acordando, voltando a si, caindo na realidade. Olhou para um lado e para outro, ainda estava em Bost!
Em Cabo Canaveral, Dr. Mendes convida seus amigos a segui-lo pelos emaranhados caminhos dos foguetes, cápsulas e naves.
__ Esta aqui é a Gemini–5, levava dois astronautas, em 1965, ela ficou quase oito dias no espaço, falou Dr. Mendes.
Assim que terminou algumas palavras sobre o foguete Titan, foi chamado por policiais que guardavam o local.
__ Were is your passaport?
Exigiram os passaportes, ninguém tinha tal documento.
__ We have passaport!
Todos foram presos e conduzidos ao interrogatório.
(Continua…) Manoel
= = = = = = = = = = = = = = = = = = =
FONTE: Texto extraído do livro “Bandeira a Vida Inteira”, Editora Alumbramento – Rio de Janeiro, 1986, pág. 90